Experimento com Zephyranthes sp para caracterizar a germinação na presença e ausência de luz / Experiment with Zephyranthes sp to characterize germination in the presence and absence of light

Joabe Meira Porto, Eliane Mariza Dortas Maffei

Abstract


As plantas do gênero Zephyranthes pertencem à família Amaryllidaceae e são conhecidas como lírio-da-chuva ou lírio-do-zéfiro, sendo uma planta própria da região Sudeste e Sul do país. A espécie Zephyranthes sp. é um lírio endêmico da caatinga brasileira, sendo uma planta herbácea que sobrevive bem em condições naturais e permanece na maior parte do ano sem flores sendo que a brotação e a floração dessa espécie só ocorrem na época das estações chuvosas, produzindo belas flores. A germinação é influenciada por fatores externos e internos, deste modo, é de grande relevância a compreensão destes fatores. Este estudo teve por objetivo caracterizar a germinação de sementes de Zephyranthes sp. na presença e ausência de luz. As sementes foram obtidas em coletas realizadas no campus da UESB em Vitória da Conquista - Ba onde ocorrem naturalmente. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com quatro repetições de 20 sementes por tratamento, em placas de Petri com cinco centímetros de diâmetro, forradas com duas camadas de papel filtro saturado com água destilada. Os experimentos foram conduzidos em incubadora tipo BOD, Fanem 347 CDG, portando controle de luz e temperatura. Foram testados dois tratamentos, na presença de luz (fotoperíodo de 12 horas) e o outro na ausência de luz sob a temperatura de 28º C em ambos por 15 dias. As observações para avaliar a ocorrência da germinação foram realizadas diariamente. Os resultados demonstraram que na presença de luz, as sementes germinaram e apresentaram melhor desempenho, com o índice de germinação acima de 80%. O tempo de germinação no claro foi menor do que as sementes mantidas no escuro. Na ausência de luz a germinação decresceu e somente 50 % das sementes germinaram, mostrando que as sementes de Zephyranthes sp necessitam de luz para expressar a taxa máxima de germinação. Os resultados caracterizaram Zephyranthes sp como espécie fotoblástica positiva. No entanto a literatura aponta que o fotoblastismo positivo nem sempre é absoluto, pois no laboratório, em grande parte das espécies, sempre ocorre alguma germinação no escuro.


Keywords


Amaryllidaceae, Índice de germinação, lírio-da-chuva.

References


APPEZZATO, B. Anatomia Vegetal. 2º ed. Viçosa-MG, 2006.

DAMIÃO FILHO, C. Morfologia externa de espermatófitos. Jaboticabal: FUNEP, 2001.

DUTILH, J. H. A. Ornamental bulbous plants of Brazil. Acta Horticulturae, v. 683, p. 37-42, 2005a.

FELIX, Winston Pessoa et al. Citogenética de duas espécies de Zephyranthes Herb.(Amaryllidaceae–Hipeastreae) cultivadas. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n. S1, p. pg. 294-296, 2007.

GUERRA, M. Como observar cromossomos: Um guia de técnicas em citogenética vegetal, animal e humana. Ribeirão Preto, SP. FUNPEC editora. ISBN: 85-87528-38-6. 2002.

GUERRA, M. S. Introdução à citogenética geral. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 1988.

HUTCHINSON, J. The families of flowering plants. Oxford: Clarendon Press,1959

JUDD, W. S.; CAMPBELL, C. S.; KELLOGG, E. A.; STEVENS, P. F. Plant Systematics: a phylogenetic approach. Massachusetts: Sinauer Associates. 1999

JUDD, W. Sistemática Vegetal: Um Enfoque filogenético. 3º ed, São Paulo-SP, 2009.

LABOURIAU, L.G. A germinação de sementes. Washington: OEA: 1983

LIZCANO, Maria Lucia Otero et al. Genetic diversity of the species Zephyranthes Carinata and Zephyranthes Rosea, Amaryllidaceae in “valle del cauca”. In: XII CONGRESO COLOMBIANO DE FITOQUÍMICA. 2014.

MEERROW, A. W.; SNIJMAN, D. A. Amaryllidaceae. In: III Floqering Plants. Monocotyledons. Lilianae (except Orchidaceae). (K. Kubitzki) (Eds.) Springer, 1998. p. 83 – 110.

MORI, E. Sementes florestais: Guia para germinação de 100 espécies nativas. 1ºES. São Paulo-SP, 2012

NASCIMENTO, P. K. V. DO.; FRANCO, E. T. H.; FRASSETTO, E. G. Desinfestação e Germinação in vitro de Sementes de Parapiptadenia rigidaBentham (Brenam). Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 2, p. 141-143, jul. 2007.

NOGUEIRA, N. W.; RIBEIRO, M. C. C.; FREITAS, R. M. O. DE.; 1 GURGEL, G. B.; NASCIMENTO, I. L. DO. Diferentes temperaturas e substratos para germinação de sementes de Mimosa caesalpiniifolia Benth. Revista Ciências Agrarias, v. 56, n. 2, p. 95-98, abr./jun. 2013.

NOLASCO, C. Caracterização Citogenética e Morfológica de Híbridos de Mandioca (Manihot esculenta). Dissertação apresentada à Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação de Mestrado em Agronomia, Vitória da Conquista-BA, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-125

Refbacks

  • There are currently no refbacks.