Prevalência e fatores associados ao consumo de álcool em gestantes adultas de uma maternidade pública no Rio de Janeiro / Prevalence and factors associated with alcohol consumption in adult pregnant women in a public maternity in Rio de Janeiro

Gabriela Fernandes Moraes Fonseca, Patricia de Carvalho Padilha, Mayara Silva dos Santos, Thaissa Santana Vieira Lima, Cláudia Saunders

Abstract


Objetivo: Analisar a prevalência do consumo de álcool e os fatores associados a ele, durante a gestação, em mulheres adultas que realizaram pré-natal na Maternidade Escola da UFRJ, entre 1999 e 2014. Métodos: Estudo analítico transversal com 1430 gestantes adultas, divididas em 4 grupos (G), entre 1999 e 2014: GI (n=225), GII (n=209), GIII (n=380) e GIV (n=616). Gestantes possuem idade ≥ 20 anos, gestação de feto único e ausência de doenças crônicas, exceto obesidade. O desfecho foi o consumo de álcool em qualquer período gestacional, identificado em entrevistas ou por prontuários. Empregou-se análise multivariada e testou-se modelos hierarquizados para identificar fatores associados. Resultados: A prevalência de consumo de álcool na gestação foi de 12.9%. Aproximadamente 200 mulheres consumiram álcool na gravidez. 61.1 % do GIV (2014), 21.6% do GIII (2007 a 2008), 6.5% do GII (2005 a 2006), e 10.8% do GI. Portanto, evolução temporal crescente. Apesar de, inicialmente, ser observado que mulheres que vivem sem companheiro possuem maior chance de consumirem álcool, após ajuste, essa situação marital converteu-se em fator de proteção. A maior chance de consumo de álcool na gravidez foi entre mulheres acima de 6 consultas pré-natal. O uso de tabaco e drogas ilícitas teve significância, ratificando estudos que verificaram relação entre esse uso e o consumo de álcool. Conclusão: Necessidade de enfrentamento do problema pelo setor de saúde e desenvolvimento de ações de combate ao uso de álcool, cigarro e drogas. Qualificação e conscientização da equipe multiprofissional são importantes para combater o problema.


Keywords


Etanol, Gravidez, Prevalência, Cuidado Pré-Natal, Informação, Orientação.

References


ALIANE, P. P. Uso de álcool na gestação e sua relação com sintomas depressivos no pós-parto. 2009. Dissertação (Mestrado em Saúde Mental) - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.

BALESTRA, E. V. G. et al. O uso de drogas ilícitas na gravidez e as consequências para a mãe e para o feto. Brazilian Journal of Development., v. 6, n. 7 , p.43055-43064, jul. 2020.

COSTA, N. M. J. D. Atitudes dos professores do ensino público face à síndrome alcoólica fetal, em função da idade e do tempo de serviço em educação especial. 2012, 123 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação na Especialidade em Domínio Cognitivo-Motor) - Escola Superior de Educação João de Deus, Lisboa, 2012.

EGUIAGARAY, I.; SCHOLZ, B.; GIORGI, C. Sympathy, shame, and few solutions: News media portrayals of fetal alcohol spectrum disorders. Obstetrícia, v. 40, p. 49-54, 2016. Doi: 10.1016 / j.midw.2016.06.002. Acesso em: 04 jun. 2016.

FUCHS, S. C.; VICTORA, C. G.; FACHEL, J. Modelo hierarquizado: uma proposta de modelagem aplicada à investigação de fatores de risco para diarréia grave. Rev. Saúde Pública., v. 30, n. 2, p. 168-178, 1996.

GUIMARAES, V. A. et al. Prevalência e fatores associados ao uso de álcool durante a gestação em uma maternidade de Goiás, Brasil Central. Ciênc. saúde coletiva, v. 23, n. 10, p. 3413-3420, 2018.

JESUS, C. S.; DIAS, D. R.; ALVES, V. H. Álcool Na Gestação: Na Ótica Dos Profissionais De Saúde Do Pré-Natal De Um Hospital Universitário. Rev. Uniabeu, v. 12, n. 31, p. 218-228, 2019.

KASSADA, D. S. et al. Prevalência do uso de drogas de abuso por gestantes. Acta paul. enferm., v. 26, n. 5, p. 467-471, 2013.

LIMA, J. M. B. Álcool e Gravidez:Síndrome Alcoólica Fetal – SAF. Tabaco e Outras Drogas. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

MOSLEY, W. H.; CHEN, L. C. An analytical framework for the study of child survival in developing countries. Bull World Health Organ., v. 81, p. 140-145, 2003.

POPOVA, S.; et al. Estimation of national, regional, and global prevalence of alcohol use during pregnancy and fetal alcohol syndrome: a systematic review and meta-analysis Lancet Glob Health. v. 5, n. 3, p. e290-e299, 2017.

PORTO, P. N.; et al. Fatores associados ao envolvimento de gestantes com álcool e outras drogas. Rev Eletrônica Acervo Saúde, v. 11, n. 12, p. e795, 2019.

RECZEK, C., et al. Marital status, marital transitions, and alcohol use: A mixed-methods study. Paper presented at annual meeting of the American Sociological Association, Denver, CO. J Health Soc Behav., v. 57, n. 1, p. 77-96, 2012.

SILVA, E. P. et al. Avaliação do pré-natal na atenção primária no Nordeste do Brasil: fatores associados à sua adequação. Rev. Saúde Pública. v. 53, 43, 2019.

THIENGO, D. L. et al. Depressão durante a gestação e os desfechos na saúde do recém-nascido: coorte de mães atendidas em unidade básica de saúde. J. bras. psiquiatr., v. 61, n. 4, p. 214-220, 2012.

VICTORA, C. G., et al. The role of conceptual frameworks in epidemiological analysis: a hierarchical approach. Int J Epidemiol, v. 26, n. 1, p. 224-227, 1997.

WANDERLEY, T. M.; TENÓRIO, M. C. S.; OLIVEIRA, A.C. M. Hábito Etilista Como Fator Associado Ao Tabagismo Em Gestantes Atendidas Na Rede Pública De Saúde De Maceió-AL. Gep News.,v. 4, n. 4, p.68-73, out. 2019. Trimestral.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Recommendations on Antenatal Care for a Positive Pregnancy Experience. Geneva: WHO; 2016.

ZANOTI-JERONYMO, D. V., et al. Repercussões do consumo de álcool na gestação - estudo dos efeitos no feto. Braz J SurgClin Res. v. 6, n. 3, p. 40–46, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-113

Refbacks

  • There are currently no refbacks.