Análise epidemiológica dos casos de leishmaniose visceral e tegumentar humana no estado do Tocantins nos anos de 2009 a 2019/ Epidemiological analysis of cases of visceral and human tegumentary leishmaniosis in the state of Tocantins in the years of 2009 to 2019

Maria Gabryele Marques Rodrigues, Janayna Araújo Viana, Ernane Gerre Pereira Bastos

Abstract


O presente estudo discorre o perfil epidemiológico dos casos de leishmaniose visceral e tegumentar humana dos anos de 2009 a 2019 no estado do Tocantins. Tendo que estas zoonoses são tipicamente endêmicas no estado teve-se o interesse de entender a sua disseminação analisando o quadro geral do estado do Tocantins e das suas regiões de saúde. Para tal utilizou-se de uma pesquisa aplicada, quantitativa de caráter exploratório, descritivo de corte transversal, com dados do sistema DataSus, fornecidos pela Assessoria Técnica das Leishmanioses na Secretaria de Estado da Saúde do Tocantins. Foram utilizados todos os casos notificados de óbitos, casos confirmados e novos casos dos anos de 2009 a 2019, através destes foram analisados as prevalências, incidências, óbitos e taxa de letalidade. As análises estatísticas foram realizadas com o auxílio do pacote estatístico SPSS, (26,0).  Através do estudo verificou-se que os casos de leishmanioses têm centralizações distintas, a leishmaniose visceral destaca-se ao norte do estado do Tocantins e a tegumentar ao sul do estado, está tem destaque também por ter uma maior frequência de casos, com ênfase para a região de saúde Capim Dourado (16,9%) situada ao sul do estado, já a leishmaniose visceral destacasse na região de saúde Médio Norte (38,3%) situada ao norte do estado. A análise dos dados do presente estudo é de grande valor para a epidemiologia pois iram auxiliar nas medidas contingenciais acerca das zoonoses no estado e nas regiões de saúde, visando a diminuição dos casos e os parâmetros que os cercam.


Keywords


Epidemiologia, Leishmanioses, Visceral, Tegumentar.

References


BRASIL, 2012. Ministerio da Saúde. [Online] Available at: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?idb2012/d0204.def

[Acesso em 12 novembro 2020].

BRASIL, 2014. Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral. Brasilia - DF: MINISTÉRIO DA SAÚDE.

BRASIL, 2018. Coeficiente de incidência de Leishmaniose Visceral, por 100.000 habitantes. Brasil, Grandes Regiões e Unidades Federadas. 1990 a 2018. [Online]

Available at: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2019/outubro/14/LV-Coef-Incidencia.pdf[Acesso em 24 03 2020].

BRASIL, s.d. Leishmaniose Visceral: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. [Online] Available at: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/leishmaniose-visceral

CARLI, G. A. D., 2001. Parasitologia Clínica: seleção de métodos e técnicas de laboratório para o diagnóstico das parasitoses humanas. São Paulo: EDITORA ATHENEU.

FAGUNDES, B. G., 2016. Morfometria alar das espécies do subgênero Lutzomyia (Diptera, Psychodidae, Phlebotominae) que ocorrem no Brasil, Brasilia: s.n.

IBGE, 2019. Tocatins. [Online] Available at: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/to/panorama[Acesso em 12 novembro 2020].

Lisiane Lappe dos Reis, et al, 2019. Leishmaniose visceral e sua relação com fatores climáticos e ambientais no Estado do Tocantins, Brasil, 2007 a 2014.. Cadernos de Saúde Pública , p. 35(1):e00047018.

Lopes et al, 2014. Características generales y epidemiología de los arbovirus emergentes en Brasil. Rev Pan-Amaz Saúde, pp. doi: 10.5123/S2176-62232014000300007.

MENEZES, A. M. F. et al., 2019. ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO NORDESTE BRASILEIRO (2007-2017). Em: P. D. A. C. d. Oliveira, ed. Patologia: doenças parasitárias. Ponta Grossa (PR): Atena Editora, pp. 73 - 84 , DOI 10.22533/at.ed.9781918038.

OKMWR, I. & UZONNA, J., 2016. Social and Economic Burden of Human Leishmaniasis. Sou. J. Trop. Med. Hyg., Volume 94 (3), pp. pp. 489-493.

Oliveira et al, 2019. Epidemiological analysis of visceral leishmaniasis in the State of Tocantins from 2007 to 2017. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecções, p. http://dx.doi.org/10.17058/.v9i4.13743.

SCHIMMING, et al, 2012. CANINE LEISHMANIA INFECTIONS - Review. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA – ISSN: 1679-7353, Número 19(Periódicos Semestral), p. Ano X – Número 19 – Julho de 2012 – Periódicos Semestral.

Secretaria da Saúde - Tocantins, 2020. Regionalização da Saúde Tocantins - História e Mapas. [Online]

Available at: https://saude.to.gov.br/planejamento-/regionalizacao-da-saude---desenvolvimento-de-politicas-de-saude/regionalizacao-da-saude-tocantins---historia-e-mapas/

WHO/OPAS, 2019. Organização Pan-Americana da Saúde: Leishmanioses: Informe Epidemiológico nas Américas: Washington: Organização Pan-Americana da Saúde;. [Online]

Available at: www.paho.org/leishmaniasis

[Acesso em 17 03 2020].




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-083

Refbacks

  • There are currently no refbacks.