O território na promoção da saúde: um diálogo necessário com as ações do programa saúde na escola / The territory in health promotion: a necessary dialogue with the actions of the health at school program

Rêrisson Kennedy de Souza, Elison Jefferson Silva Crispim, Francisco Hugo de Freitas, Gleys Ocidália de Lima Silva, Liégia Karissa Morais Rodrigues, Mádson Filipe Granjeiro Neres

Abstract


O conceito de território vem sendo discutido e incorporado por diferentes áreas de conhecimento. Entre essas, enfatizamos as políticas públicas de promoção da saúde. Sabendo da relevância e necessidade de discussão sobre a temática em questão, o objetivo do trabalho é analisar o território e suas relações com a promoção da saúde e suas contribuições para o desenvolvimento das ações do PSE. Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica. O trabalho perpassa a discussão das concepções de território, e corroborando considera sua relevância para a promoção da saúde, buscando relacionar as práticas corporais e atividade física como base para as ações do PSE. As leituras nos direcionaram a dá ênfase ao território a partir das suas dimensões sociais, o enxergando como algo complexo e dinâmico. Acreditamos que somente quando visto nesta perspectiva, o mesmo poderá ser utilizado para o enfrentamento das problemáticas sócioterritoriais e assim permitir a melhoria da qualidade de vida numa ótica da coletividade. Este não pode ser analisado de modo fragmentado, sob apenas uma única percepção, caso isso aconteça à equidade jamais será alcançada. Essa forma de atenção não é tarefa fácil e requer o desenvolver de um trabalho intersetorial. O território é uma peça indispensável, é vida, e onde desembocam e se entrelaçam todos os elementos que devem ser pactuados em uma política de promoção da saúde relacionada às práticas corporais e atividade física, e assim permita aos escolares e usuários uma formação integral.

 

 


Keywords


Território, Promoção da Saúde, Práticas Corporais e Atividade Física.

References


ALMEIDA, D, R. O mito da desterritorialização: do fim dos territórios à multiterritorialidade. Rev. Formadores: vivências e estudos, v. 7. n. 1. p. 74-77, Cachoeira – BA, jun. 2014. Disponívelem:. Acesso em: 11 de jan. 2019. 10: 00.

ALVES, L, S, F; DANTAS, J, R, Q; SOUZA, G, S. Dinâmicas Urbano-Regionais em Territórios de Fronteira Interna. Rev. Mercator, Fortaleza, v. 17, e17001, 2018.

Disponível em:< https://doi.org/10.4215/rm2018.e17001 >. Acesso em: 11 de jan. 2019. 13:00.

BONNEMAISON, J.; CAMBRÈZYM, L. Le lien territorial: entre fronteires et identitès. Géographies et cultures, Paris, L’Harmattan-CNvRS, 20, 1996.

BRASIL. Orientações para elaboração do Projeto Municipal – PSE. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 de jan. 2019. 14: 00.

¬¬¬¬¬¬_______. Câmara dos Deputados. Centro de Documentação e informação. Lei Nº 8.080. Dispõe sobre a condições pra promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. 19 de Setembro de 1990. Disponível em: . Acesso em: 12 de jan. 2019. 16: 00.

_______. Ministério da Saúde. Secretaria-executiva. Secretaria de Vigilância em Saúde. Glossário temático: promoção da saúde. 1 ed. 2 reimpr. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: .Acesso em: 12 de jan. 2019. 16: 20

________. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: revisão da Portaria MS/GM nº 687, de 30 de março de 2006. Brasília: Ministério da Saúde, 2014a. Disponível em: . Acesso em: 12 de jan. 2019. 22: 50.

________. Ministério da Saúde. Academia da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2014b. Disponível em: . Acesso em: 12 de jan. 2019. 23: 30.

CARVALHO, F, F, B. Práticas Corporais e Atividade Física na Atenção Básica do Sistema Único de Saúde: ir além da prevenção das doenças crônicas não transmissíveis é necessário. Rev. Movimento, v. 22, n. 2, p. 647-658, Porto Alegre, abr./jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 de fev. 2019. 09: 00.

CARVALHO, F. F. B.; NIGUEIRA, J, A, D. Práticas Corporais e Atividades Física na perspectiva da Promoção da Saúde na Atenção Básica. Rev. Ciência & Saúde Coletiva. 21 (6), p. 1829-1838, 2016. Disponível em: . Acesso em: 07 de fev. 2019. 09: 10.

CARVALHO, Y, M.; PRADO, A, R.; ALONSO, A, T. Formação em Educação Física no Brasil: outros modos de pensar e intervir no serviço público de saúde. Rev. Educación Física y Ciencia. v. 15, n. 1. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 de fev. 2019. 9: 30.

CRISPIM, E, J, S.; et al. A espacialidade do NASF no ordenamento territorial de Pau dos Ferros. Rev Brazilian Journal of developmente. v. 7, n.2 p. 16319- 16329. Curitiba, Fev. 2021. Disponível em: < A espacialidade do nasf no ordenamento territorial de Pau Dos Ferros – RN / The spatiality of nasf in the territorial planning of Pau Dos Ferros – RN | Crispim | Brazilian Journal of Development (brazilianjournals.com). >. Acesso em: 21 de Julho. 2021. 10:00.

FARIA, R, M.; BORTOLOZZI, A. Território e saúde na Geografia de Milton Santos: teoria e método para o planejamento territorial do sistema único de saúde no brasil. R. Ra’ e Ga. v. 38, p. 291-320, Curitiba, Dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 de fev. 2019. 11: 20.

FREIRE, M, S, M.; SALLES, R, P, S.; SÁ, R, M, P, F.; Mapeando iniciativas territoriais saudáveis, suas características e evidências de efetividade. Rev. Ciência & Saúde Coletiva, 21(6), p. 1757-1766, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 de fev. 2019. 9: 20.

HAESBAERT, R. Concepções de território para entender a desterritorialização. In: SANTOS, M.; BECKER, B, K. (Org). Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LOPES, I, B, O.; et al. Implementação da Política Nacional de Promoção da Saúde no estado da Bahia: Ênfase na atividade física. Rev. Baiana de Saúde Pública.v. 40. supl. 2. p. 132-155. abr/jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 de fev. 2019. 19: 45.

MALTA, D, C.; et al. A implementação das prioridades da Política Nacional de Promoção da saúde, um balanço, 2006 a 2014. Rev. Ciência & Saúde Coletiva, 19 (11), p. 4301-4311, 2014. Disponível em: . Acesso em: 16 de fev. 2019. 11: 30.

MOURA, L, B, A.; et al. Decifrando redes de proteção em um território: relato de experiência no programa pro-saúde. Rev. Tempus, actas de saúde colet, 9(1), p. 137-144, Brasília, març. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 de fev. 2019. 00: 20.

MOYSÉS, S, T.; SÁ, R, F. Planos locais de promoção da saúde: intersetorialidade(s) construída(s) no território. Rev. Ciência & Saúde Coletiva, 19(11), p. 4323-4329, 2014. Disponível em: . Acesso em: 16 de fev. 2017. 15: 00.

SÁ, G, B, A, R.; et al. O programa Academia da Saúde como estratégia de promoção da saúde e modos de vida saudáveis: cenário nacional de implementação. Rev. Ciência & Saúde Coletiva, 21(6), p. 1849-1859, 2016. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232016000601849&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 12 de fev. 2019. 14: 20.

SANTINHA, G. Cuidados de saúde e território: um debate em torno de uma abordagem integrada. Rev. Saúde Soc. v. 22, n. 3, p. 815-829, São Paulo, 2013.Disponível em: . Acesso em: 10 de fev. 2019. 8: 40.

SANTOS, M. O dinheiro e o território. In: SANTOS, M.; BECKER, B, K. (Org). Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

SILVA, C, S.; BODSTEIN, R, C, A. Referencial teórico sobre práticas intersetoriais em Promoção da Saúde na Escola.Rev. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 6, p. 1777-1788, 2016 Disponível em: . Acesso em: 09 de fev. 2019. 21: 00.

SPOSATI, A. Território e gestão de políticas sociais. Rev. Serv. Soc, v. 16, n. 1. p. 05-18, Londrina, Jul/Dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 09 de fev. 2019. 15:00.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-068

Refbacks

  • There are currently no refbacks.