Educação híbrida aplicada na recuperação em ensino de química / Hybrid education applied to recovery in chemistry education

Daniela dos Santos Trovão Barbalho, Millena Rocha Costa

Abstract


Almejando-se que os professores não sejam apenas transmissores de conteúdo, mas sim profissionais reflexivos, que disponham de tempo para dar andamento aos seus estudos paralelamente à vida de sala de aula, e que os alunos obtenham melhores resultados na recuperação escolar, e uma consequente minimização das reprovações é que este trabalho propõe uma educação híbrida, focada na recuperação escolar no ensino de química. Compreende-se que é necessário que o professor se atualize com relação às tecnologias, dentro e fora da sala de aula, como forma de estreitar a relação professor/aluno e melhorar o ensino, e que busquem por ferramentas seguras que os forneça mais precisão e agilidade no desenvolvimento do processo educacional. Para dar suporte à essa recuperação inovadora, utilizaram-se as ferramentas Google. O trabalho foi desenvolvido com os alunos do primeiro, ano do Curso Técnico em Alimentos Integrado ao Ensino Médio do IFB Campus Gama, que ficaram de recuperação em química no primeiro e segundo bimestres do ano letivo de 2016. Realizaram-se várias atividades interativas utilizando-se as ferramentas Google. Foram desenvolvidos vários testes que buscavam recuperar os conteúdos de forma mais efetiva que a tradicional. Os resultados alcançados foram bastante satisfatórios.


Keywords


Recuperação Híbrida, Ferramentas Google, Ensino de Química.

References


ALMEIDA, M.E.B.; VALENTE,J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. . Curitiba, n. 4/2014, p. 79-97.

AZEVEDO, N.; BERNARDINO, F.; DARÓZ, E. O professor e as novas tecnologias na perspectiva da análise do discurso: (des) encontros em sala de aula. Ling. (dis)curso, Tubarão, v. 14, n. 1, p. 15-27, Abril de 2014.

BACICH, L.; MORÁN, J. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio, nº 25, p. 45-47, junho de 2015.

JORDÃO, Teresa Cristina. Formação de educadores. A Formação do professor para a educação em um mundo digital. In: Salto para o futuro. Tecnologias digitais na educação. Ano XIX, boletim 19. Nov-dez. 2009.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: O novo ritmo da informação. 3. Ed. Campinas, SP: Papirus, 2012. 141 p.

MALDANER, O.; PIEDADE, M. Repensando a Química. A formação de equipes de professores/pesquisadores como forma eficaz de mudança da sala de aula de química. Química Nova na Escola, São Paulo, n. 1, maio de 1995.

MATHIAS, S. L.; SAKAI, C.. Utilização da Ferramenta Google Forms no Processo de Avaliação Institucional: estudo de Caso nas Faculdades Magsul. 2013. Disponível em: Acesso em: 15 de agosto de 2016.

MEC. Referências de Qualidade para a Educação a distância. Brasilia, 2007.

NUNES, A.; NUNES, A.. PCN – Conhecimentos de Química, um olhar sobre as orientações curriculares oficiais. Holos, Ano 23, Vol. 2 – 2007.

RIBEIRO, A.; CASTRO, J.; REGATTIERI, M. Tecnologias na sala de aula: uma experiência em escolas públicas de ensino médio. Brasília: UNESCO, MEC, 2007. 27 p.

SANTOS, A. O.; SILVA, R. P.; Dificuldades e motivações de aprendizagem em Química de alunos do ensino médio investigadas em ações do (PIBID/UFS/Química). Scientia Plena, n. 7, v.9, p. 1, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-062

Refbacks

  • There are currently no refbacks.