Contribuições das metodologias ativas e aulas práticas para a formação do enfermeiro / Contributions of active methodologies and practical classes for the training of nurses

Rwizziane Kalley Silva Pessoa de Barros, Lucy Vieira da Silva Lima, Andrea Marques Vanderlei Fregadolli

Abstract


Introdução: As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) orientam uma formação profissional em saúde em conformidade com os princípios do SUS e enfatizam um processo ensino-aprendizagem no qual o discente assume o protagonismo e a responsabilidade na apropriação e na produção dos conhecimentos, estimulando ações éticas, reflexivas e orientadas para mudança. As metodologias ativas estimulam o discente a refletir sobre os fenômenos sociais envolvidos na assistência à saúde, dentre elas destacamos a problematização, a aprendizagem baseada em problemas e a aprendizagem baseada em equipes. Objetivo: Verificar as oportunidades de vivência das competências do enfermeiro durante a graduação, anteriores ao estágio curricular supervisionado em Atenção Básica (AB). Metodologia: Trata-se de um recorte da pesquisa “Contribuições do estágio curricular na Atenção Básica para a formação de enfermeiros: à luz das Diretrizes Curriculares Nacionais e sob o olhar do discente”, com abordagem qualitativa do tipo estudo descritivo e exploratório, que teve como participantes os discentes do curso de graduação em enfermagem da Universidade Federal de Alagoas – campus Arapiraca, que haviam concluído o estágio curricular em AB no ano 2019. A coleta de dados deu-se em dois momentos: no primeiro, realizou-se uma oficina para discutir sobre o conceito de competências e acerca das competências do enfermeiro previstas pelas DCN; em um segundo momento, foram realizadas entrevistas individuais utilizando-se um roteiro semiestruturado acerca das experiências dos discentes que contribuíram para o desenvolvimento das competências durante a formação. As entrevistas foram transcritas, lidas exaustivamente e criadas nuvens de palavras para facilitar a elaboração das categorias. Os dados foram analisados de acordo com a técnica de análise de conteúdo de Bardin, obtendo-se três categorias: 1) A importância das aulas práticas para a formação e 2) A utilização das metodologias ativas durante a graduação. Todos os cuidados éticos foram respeitados, conforme a Resolução nº 510/16. Resultados e Discussão: Percebeu-se que durante a graduação de enfermagem foram utilizadas algumas estratégias de ensino que contribuíram para a formação de enfermeiros conforme as DCN, ressaltando-se a importância de aulas práticas nos serviços de saúde para o aprendizado de procedimentos e técnicas, embora consideradas insuficientes para o desenvolvimento de competências relacionadas aos conteúdos atitudinais. Em relação a utilização de metodologias ativas, as discentes referiram a possibilidade de buscar conhecimentos de forma autônoma, apesar de apontar a falta de conhecimentos dos discentes e o despreparo dos docentes na condução dessa metodologia de ensino. Conclusão: As metodologias ativas e aulas práticas proporcionaram o desenvolvimento de uma visão e postura crítica, reflexiva, criativa e ativa para prestação de um cuidado de saúde integral e humanizado coerente com o esperado pelas DCN.

 

 


Keywords


Ensino, Aprendizagem, Educação em Enfermagem, Aprendizagem Baseada em Problemas, Pesquisa em Educação de Enfermagem.

References


ALMEIDA FILHO, N. et al. Formação Médica na UFSB: III. Aprendizagem Orientada por Problemas e Competências. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 1, p.127-139, 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES n. 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União. Brasília, 9 de nov. 2001, Seção 1, p. 37.

COLLISELLI, L. et al. Estágio curricular supervisionado: diversificando cenários e fortalecendo a interação ensino-serviço. Rev Bras Enferm. Brasília, v. 62, n. 6, p.932-7, nov/dez. 2009.

CONCEIÇÃO, C. V.; MORAES, M. A. A. Aprendizagem Cooperativa e a Formação do Médico Inserido em Metodologias Ativas: um Olhar de Estudantes e Docentes. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 4, p. 115-122, 2018.

COSTA, L. M; GERMANO, R. M. Estágio curricular supervisionado na Graduação em Enfermagem: revisitando a história. Rev Bras Enferm. Brasília, v. 60, n. 6, p.706-10, nov/dez. 2007.

COUTO, S. A. B.; SOUZA, P. H. C. Metodologias ativas como estratégia pedagógica para promoção do ensino-aprendizagem em Odontologia: relato de experiência. Revista da ABENO, v. 19, n. 2, p. 91-100, 2019.

CUSTÓDIO, J. B. et al. Desafios Associados à Formação do Médico em Saúde Coletiva no Curso de Medicina de uma Universidade Pública do Ceará. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 43, n. 2, p. 114- 121, 2019.

DIAS-LIMA, A. et al. Avaliação, Ensinagem e Metodologias Ativas: uma Experiência Vivenciada no Componente Curricular Mecanismos de Agressão e de Defesa, no curso de Medicina da Universidade do Estado da Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 43, n. 2, p. 216-224, 2019.

FIGUEIRA, M. C. S. et al. Reflexões sobre a utilização da CIPE na prática profissional: revisão integrativa. Rev Enferm Atenção Saúde (Online), v. 7, n. 2, p. 134-54, ago/set. 2018.

FREITAS, T. P. P. et al. Contribuições da Extensão Universitária na Formação de Acadêmicos de Enfermagem. Rev Enf UFSM, v. 6, n. 3, p. 307-316, jul/set. 2016.

KRAWCZYK, N; VIEIRA, V. L. A reforma educacional na América Latina nos anos 1990: uma perspectiva histórico-sociológica. Linhas Críticas. Brasília, v. 15, n. 28, p. 187-188, jan/jun. 2009.

LEITE, M. T. S. et al. O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde na Formação Profissional. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 36, n. 1, p.111-118, 2012.

NETTO, L. et al. O processo de ensinar competências para promoção da saúde. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, v. 8, n. 2611, 2018.

NOSOW, V.; PÜSCHEL, V. A. A. O ensino de conteúdos atitudinais na formação inicial do enfermeiro. Rev Esc Enferm USP, v. 43, n. 2, p. 1232-7, 2009.

RIOS, D. R. S; SOUSA, D. A. B.; CAPUTO, M. C. Diálogos interprofissionais e interdisciplinares na prática extensionista: o caminho para a inserção do conceito ampliado de saúde na formação acadêmica. Interface. Botucatu, v. 23, 2019.

SOUZA, E. F. D.; SILVA, A. G.; SILVA, A. I. L. F. Metodologias ativas na graduação de enfermagem: um enfoque na atenção ao idoso. Rev Bras de Enferm (Internet), v. 71, n. 2, p. 976-80, 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS (UFAL). Projeto de Interiorização da Universidade Federal de Alagoas: uma expansão necessária. Dezembro de 2005.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS (UFAL). Projeto Pedagógico do Curso de Graduação de Enfermagem (PPC). Arapiraca: Campus Arapiraca, 2015.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS (UFAL). Projeto Pedagógico do Curso de Graduação de Enfermagem (PPC). Arapiraca: Campus Arapiraca, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-061

Refbacks

  • There are currently no refbacks.