Correlação entre a prática de atividade física e qualidade de vida entre estudantes de medicina / Correlation between the practice of physical activity and quality of life in medical students

Antônio Carlos Pontes Júnior, Mariana Oliveira Santana, Maria Luisa Oliveira Santana

Abstract


Qualidade de vida tem sido definida como uma percepção do sujeito em relação a sua posição individual na vida e no contexto de sua cultura e sistema de valores em que está inserido, bem como em relação a seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. Tal conceito é influenciado por aspectos da saúde física, estado psicológico, relações sociais e com as características do meio ambiente do indivíduo. A atividade física tem benefícios amplamente conhecidos quanto a melhora de parâmetros cardiovasculares e prevenção de doenças crônicas, entretanto ainda há poucos estudos relacionando a prática de exercícios físicos regularmente com outros domínios como a percepção prática de melhora na qualidade de vida. O curso de medicina é mundialmente conhecido pela alta demanda física e mental exigida, em que os estudantes estão expostos a ambientes desgastantes e grande carga horária, fatores que levam a uma maior prevalência de distúrbios psiquiátricos como depressão e ansiedade. O presente estudo tem como objetivo correlacionar qualidade de vida e prevalência de atividade física entre estudantes de medicina. Método: Trata-se de uma revisão bibliográfica por meio de consulta de artigos publicados sobre o tema entre os anos de 2010 e 2020 nas bases de dados Lilacs, SciELO e PubMed com os descritores “qualidade de vida”, “estudantes de medicina”, “atividade física”, “exercício físico”, nos idiomas português e inglês. Discussão e Resultados: A prevalência de distúrbios psiquiátricos que prejudicam diretamente a percepção da qualidade de vida como Síndrome de Burnout e estafa entre estudantes de medicina é elevada devido a fatores como exaustão emocional, grandes quantidades de horas de estudo, contato constante com a morte. Tem-se como estratégias para lidar com esses problemas a realização de atividade física com benefícios comprovados no humor, auto-estima, bem-estar geral e vitalidade, além de desvio positivo de pensamentos e situações estressantes. Conclusão: A realização de atividades físicas regularmente está relacionada a aumento de qualidade de vida nos domínios físico e psicológico em ambos os sexos devendo ser buscadas estratégias pelas escolas de medicina para o incentivo de sua prática.


Keywords


Qualidade de vida; Atividade física; Estudantes de medicina.

References


- Santos, Ana Lúcia Padrão dos, and Antonio Carlos Simões. "Educação física e qualidade de vida: reflexões e perspectivas." Saúde e sociedade 21 (2012): 181-192.

- Rodrigues, Elizângela Sofia Ribeiro, Nadia Carla Cheik, and Anamaria Fleig Mayer. "Nível de atividade física e tabagismo em universitários." Revista de Saúde Pública 42 (2008): 672-678.

- Mendes-Netto, Raquel Simões, Camilla Santos da Silva, Dayanne Costa, and Oscar Felipe Falcão Raposo. "Nível de atividade física e qualidade de vida de estudantes universitários da área de saúde." Revista de Atenção à Saúde (ISSN 2359-4330) 10, no. 34 (2012).

- Torres, Albina Rodrigues, Tânia Ruiz, Sérgio Swain Müller, and Maria Cristina Pereira Lima. "Qualidade de vida e saúde física e mental de médicos: uma autoavaliação por egressos da Faculdade de Medicina de Botucatu-UNESP." Revista Brasileira de Epidemiologia 14 (2011): 264-275.

- Peleias, Munique, Patricia Tempski, Helena BMS Paro, Bruno Perotta, Fernanda B. Mayer, Sylvia C. Enns, Silmar Gannam et al. "Leisure time physical activity and quality of life in medical students: results from a multicentre study." BMJ open sport & exercise medicine 3, no. 1 (2017): e000213.

- Martins MCC, Rocha CHL, Ricarte IF, Maia RB, Silva VB, Veras AB et al. Pressão arterial, excesso de peso e nível de atividade física em estudantes de universidade pública. Arq Bras Cardiol. 2010 ago; 95(2):192-9

- Rotenstein LS, Ramos MA, Torre M, et al. Prevalence of depression, depressive symptoms, and suicidal ideation among medical students: a systematic review and Meta-Analysis. JAMA 2016;316:2214–36

- Castro Júnior, Euton Freitas de et al. Avaliação do nível de atividade física e fatores associados em estudantes de medicina de Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Ciências do Esporte [online]. 2012, v. 34, n. 4 pp. 955-967

- Pekmezovic T, Popovic A, Tepavcevic DK, Gazibara T, Paunic M. Factors associated with health-related quality of life among Belgrade University students. Qual Life Res. 2011 Apr; 20(3):391-97. (PEKMEZOVIC, et al,)

- Serinolli, Mario Ivo, and Elias El-Mafarjeh. "Impacto da prática de atividade física na qualidade de vida dos acadêmicos de Medicina da Universidade Nove de Julho (Uninove)." ConScientiae Saúde 14, no. 4 (2015): 627-633.

- Solis, Ana C., and Francisco Lotufo-Neto. "Predictors of quality of life in Brazilian medical students: a systematic review and meta-analysis." Brazilian Journal of Psychiatry 41 (2019): 556-567.

- Dyrbye, Liselotte N., Daniel Satele, and Tait D. Shanafelt. "Healthy exercise habits are associated with lower risk of burnout and higher quality of life among US medical students." Academic Medicine 92, no. 7 (2017): 1006-1011.

- Tempski, Patricia, Patricia L. Bellodi, Helena BMS Paro, Sylvia C. Enns, Milton A. Martins, and Lilia B. Schraiber. "What do medical students think about their quality of life? A qualitative study." BMC medical education 12, no. 1 (2012): 1-8.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-054

Refbacks

  • There are currently no refbacks.