Reflexões acerca dos egressos do sistema prisional: a influência do sistema carcerário e as dificuldades encontradas para a reinserção social / Reflections about prisoners from the prison system: the influence of the prison system and the difficulties encountered for social insertion

Ana Priscila Barroso Araújo, Luciana Maria Maia Viana, Natalia Lopes Braga

Abstract


O estudo tem como objetivo realizar uma revisão narrativa da literatura a fim de refletir acerca da realidade e das dificuldades encontradas pelos egressos do sistema prisional. Utilizou-se artigos publicados na base de dados BVS-PSI, Scielo, Lilacs, PePSIC, no período de 2002 a2015. Os resultados indicaram que grande parte da população carcerária sofre desigualdades antes, durante e depois ao encarceramento, o que favorece esses indivíduos voltarem a delinquir. Alguns aspectos foram evidenciados, tais como, as dificuldades encontradas pelos egressos no retorno a sociedade liberta e a influência da cultura carcerária nesses indivíduos. Conclui-se que há muito tempo o sistema prisional vem dando sinais de sua ineficácia e novas formas de se organizar o social se mostram urgentemente necessárias.


Keywords


Egressos do sistema prisional. Violência. Cárcere. Prisão.

References


ADORNO, Sérgio. Racismo, criminalidade violenta e justiça penal: réus brancos e negros em perspectiva comparativa. Revista Estudos Históricos, v. 9, n. 18, p. 283-300, 1996.

ASSIS, Rafael Damaceno de. A realidade atual do sistema penitenciário brasileiro. Revista CEJ, p. 74-78, 2008.

ARAUJO, Edna Del Pomo de. Vitimologia em Debate II. Rio de Janeiro: Lumen Juris Ltda, 1997.

BARATTA, Alessandro. Criminologia crítica e crítica do direito penal: introdução à sociologia do direito penal. Revan, 2002.

BARBALHO, Lidiane de Almeida; BARROS, Vanessa Andrade de. O lugar do trabalho na vida do egresso do sistema prisional: um estudo de caso. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 3, n. 2, p. 198-212, 2010.

BARRETO, Mariana Leonesy da Silveira. Depois das grades: um reflexo da cultura prisional em indivíduos libertos. Psicologia: ciência e profissão, v. 26, p. 582-593, 2006.

BITENCOURT, Cesar Roberto. Falência da Pena de Prisão: causas e alternativas. 4ª. 2011.

BORDIN, Natalino; BORDIN, Ivone da Conceição Bochnie. O perfil do egresso prisional. Revista Ciências Sociais em Perspectiva, v. 6, n. 11, p. 27-38, 2007.

CASEY, J.; JARMAN, B. The social integration of ex-prisoners in Council of Member States. Brussels, Belgium: The Quaker Council for European Affairs, 2011.

CNJ. Conselho Nacional de Justiça, 2014. Disponível em: . Acesso em: 17 de dez. de 2015.

COSTILLA, Lucio Oliver. O novo na sociologia latino-americana. Sociologias, p. 244-273, 2005.

FOUCAULT, Michel; RAMALHETE, Raquel. Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Vozes, 1996.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade. Tradução: Mathias Lambert, v. 4, 1988.

HANEY, Craig et al. The psychological impact of incarceration: Implications for post-prison adjustment. Prisoners once removed: The impact of incarceration and reentry on children, families, and communities, v. 33, p. 66, 2003. Disponível em: .

HUGHES, Pedro Javier Aguerre. Segregação socioespacial e violência na cidade de São Paulo: referências para a formulação de políticas públicas. São Paulo em Perspectiva, v. 18, p. 93-102, 2004.

JULIÃO, Elionaldo Fernandes. O impacto da educação e do trabalho como programas de reinserção social na política de execução penal do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação, v. 15, p. 529-543, 2010.

LEAL, C. B. Prisão - Crepúsculo de uma Era. Belo Horizonte: Del Rey, 1998.

MARX, K., & ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2007.

MUAKAD, I. B. Prisão albergue. São Paulo: Atlas, 1984.

MUELLER, Betânia. Reintegração social do egresso do sistema prisional e o papel da Psicologia: estudo de caso. Cadernos de Segurança Pública, ano, v. 6, 2014..

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais. Resolução CNE/CEB nº02, de 19 de maio de 2010. Brasília: Ministério da Educação, 2010.

OTTOBONI, Mário. Ninguém é irrecuperável: APAC, a revolução do sistema penitenciário. Editora Cidade Nova, 1997.

SÁ, C. P. de. Representações Sociais: o conceito e o estado atual da teoria. In P. J. M. Spink (Org.), O conhecimento no cotidiano (1ª ed., pp. 19-45). São Paulo: Brasiliense, 1995.

SANTOS, Thalita Mara; ROSENBURG, Eleusa Gallo. Representações sociais sobre a violência em egressos do sistema prisional. Revista Brasileira de Segurança Pública, v. 8, n. 1, 2014.

SECRETÁRIA DA JUSTIÇA E CIDADANIA. Censo Penitenciário do Estado do Ceará. CEARÁ, 2013/2014. Disponível em: . Acesso em 21 de set. de 2016.

THOMPSON, A. F. A questão penitenciária. Rio de Janeiro: Forense, 1991.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-053

Refbacks

  • There are currently no refbacks.