Qualidade de vida no trabalho: uma análise da percepção de colaboradores da geração y / Quality of work life: an analysis of the perception of generation y employees

Caroline Naiara Wendland, Patricia Inês Schwantz, Julian Israel Lima, Ingridi Vargas Bortolaso, Daniela Mueller de Lara

Abstract


Com a globalização, as organizações vivem em constante mudança e adaptação. Paralelo a essa evolução, na, maioria das empresas, existe a preocupação com as pessoas envolvidas nessa dinâmica e o subsistema de qualidade de vida no trabalho (QVT) tem ganhado espaço. Tanto nas discussões acadêmicas quanto nas empresariais. Diante desse contexto, este estudo objetivou realizar uma análise relativa à percepção dos colaboradores da Geração Y quanto à Qualidade de Vida no Trabalho de uma empresa com atuação no ramo metalúrgico. O método de pesquisa adotada possui enfoque qualitativa de caráter descritivo-exploratório, através do procedimento técnico estudo de caso. Os dados foram coletados a partir de um questionário (com 18 questões) aplicado junto a uma população 274 colaboradores do setor administrativo da empresa, pertencentes a geração Y. O questionário foi respondido por 102 colaboradores o que atinge a quantidade mínima de respondentes para tornar a amostra representativa. Os resultados revelam níveis de insatisfação em algumas dimensões, como: compensação justa e adequada; uso e desenvolvimento de capacidades (participação); oportunidade de crescimento e segurança; e integração social na organização. A partir do resultado, pôde-se apresentar sugestões que visam trazer melhorias nos aspectos referentes à Qualidade de Vida no Trabalho.


Keywords


Gestão de Pessoas, Geração Y, Qualidade de Vida o Trabalho.

References


ALBUQUERQUE, L.G., FRANÇA, A.C. L. Estratégias de Recursos Humanos e Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho: o stress e a expansão do conceito de qualidade total. Revista de Administração. São Paulo, 1998.

ARROYO, C. S.; GALLI, L. C. D. L. A.; PRATES, G. A.; GARCIA, S. F. A.; CAMINHAS, A. M. T.; SENNO, E. P.; SALA, O. T. M. Os subsistemas de gestão de pessoas em empresas familiares do agronegócio: recrutamento e seleção e remuneração. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 5, p. 47026-47041, 2021.

BERG, E. A. Administração de conflitos: abordagens práticas para o dia a dia. 1 ed. Curitiba: Juruá, 2012.

CABRAL, Eloisa Helena de Souza. Terceiro setor: Gestão e controle social. Saraiva Educação SA, 2017.

CARELLI, Gabriela. A Geração coisa nenhuma. Veja, São Paulo, v. 45, n.18, p. 104-109, 2012.

CORRÊA, R. A. A. Qualidade de vida, qualidade de trabalho, qualidade do atendimento público e competitividade. Revista de Administração Pública, v. 1, n. 27, p. 113-123, janeiro/março, 1993.

COMAZZETTO, L. R; VASCONCELLOS, S. J. L; PERRONE, C. M; GONCALVES J. A Geração Y no Mercado de Trabalho: Um estudo comparativo entre gerações. Psicologia: ciência e profissão, v. 36, n.1, 2016.

ERICKSON, T. E agora Geração X? Como se manter no auge profissional e exercer a liderança plena numa época de intensa transformação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

GIL, G. J. R.; SAYOGO, D. S. Government inter-organizational information sharing initiatives: Understanding the main determinants of success. Government Information Quarterly, v. 33, n. 3, p. 572-582, 2016.

LACOMBE, F. J. M. Recursos Humanos: princípios e tendências. 2ed., São Paulo: Saraiva, 2011.

LIRIO, A. B.; GALLON, S.; COSTA, C.; PAULI, J. Percepções da qualidade de vida no trabalho nas diferentes gerações. Gestão & Regionalidade, v. 36, n. 107, 2020.

MANNHEIM, K. El problema de las generaciones. Revista Española de Investigaciones Sociológicas (REIS), n. 62, p. 145-168, 1993.

MAURER, Andre Luiz. As gerações Y e Z e suas âncoras de carreiras: contribuições para a gestão estratégica de operações. 2013. 122 f. Dissertação (programa de pós-graduação em administração - Mestrado) – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2013.

MONTANA, P. J.; CHARNOV, B. H. Administração. 3ª. São Paulo: Saraiva, 2010.

OLIVEIRA, Sidnei. Geração Y: Era das Conexões tempo de relacionamentos. São Paulo: Clube de Autores, 2009.

________, Sidnei. Geração Y: o nascimento de uma nova versão de líderes. São Paulo: Integrare Editora, 2010.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

ROMERO, S. M. T.; SILVA, S. F. C.; KOPS, L. M. Gestão de pessoas: conceitos e estratégias. Curitiba: Intersaberes, 2013.

SAMPAIO, Jader dos Reis (Organizador). Qualidade de Vida, Saúde Mental e Psicologia Social: Estudo contemporâneos II. São Paulo, 1999.

SERRANO, Franklin. Juros, câmbio e o sistema de metas de inflação no Brasil. Brazilian Journal of Political Economy, v. 30, p. 63-72, 2010.

SCHERMERHORN, Jonh R. Administração. Rio de Janeiro: LTC, 608p., 2007.

SEBRAE. Relação de conflitos. O que as empresas precisam saber para lidar com as diferenças comportamentais dentro no ambiente corporativo. 2019. Disponível em: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/comogestionarpessoasdediferentesgeracoesemumaempresa,04fd8fa0672f0510VgnVCM1000004c00210aRCRD?origem=tema&codTema=8. Acesso em: 11 ago. 2021.

SILVA VAZ, S. H.; VASCONCELOS, H. G.; PRADO, L. F. R.; DA SILVA, G. T. G.; REZENDE, L. C.; GUEDES, G. F. R. B.; DA SILVEIRA, D. G. Eneagrama de personalidades no processo de gestão de pessoas. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 1, p. 1545-1565, 2021.

STRAUSS, W.; HOWE, N. Generations. New York: William Morrow, 1991.

TIECHER, B.; DIEHL, L. Qualidade de Vida no trabalho na percepção dos bancários. Pensamento & Realidade, v. 32, n. 1, p. 41-60, 2017.

VELOSO, E. R.; DUTRAB, J. S.; NAKATA, L. E. Percepção sobre carreiras inteligentes: diferenças entre as gerações Y, X e Baby Boomers. Revista de Gestão, v. 23, n. 2, p. 88-98, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-025

Refbacks

  • There are currently no refbacks.