Caracterização da mortalidade materna em uma maternidade de alto risco / Characterization of maternal mortality in a high-risk maternity ward

Ellen Sterphanie Alves da Silva, Rachel Caroline Alves Leite, Mateus Carneiro Vicente, Lucas Nunes Damásio de Oliveira, Herika Dantas Modesto Pinheiro, Maria Suely Medeiros Côrrea, Marilia Perrelli Valença

Abstract


Avaliar o perfil da Mortalidade Materna nos últimos 10 anos em um hospital público especializado na capital pernambucana. o presente estudo possui natureza descritiva, retrospectivo com abordagem quantitativa, realizado em um hospital de referência no atendimento à gestação de alto risco. A população do estudo foi composta pelos óbitos maternos ocorridos entre janeiro de 2010 e janeiro de 2020. Os dados foram analisados por estatística descritiva e inferencial.  O nível de significância assumido para as análises foi de 5% (p≤0,05). Foram utilizados os Testes Mann-Whitney e Qui-Quadrado para associar as variáveis foram estudados 66 óbitos maternos, idade entre 30 e 39 anos

(43,9%), mulheres de cor/raça parda (53,0%), solteiras (47,0%), que eram do lar (36,4%), com comorbidades (63,9). O maior número ocorreu em até 42 dias do puerpério (69,7%), as principais causas dos óbitos foram problemas respiratórios (51,5%) e cardiovasculares (48,5%) e sepse/choque séptico (43,9%). A Mortalidade Materna é um indicador de qualidade da assistência à saúde da mulher, os achados deste estudo demonstram a necessidade do investimento na atenção ao ciclo gravídico-puerperal, com olhar diferenciado ao puerpério, visto a ocorrência significativa dos óbitos nesse momento.


Keywords


Mortalidade Materna, Perfil Epidemiológico, Gravidez de Alto Risco.

References


Viana RC, Novaes MRCG, Calderon IMP. Mortalidade Materna: uma abordagem atualizada. Comun ciênc saúde [Internet]. 2011 [cited 2021 Feb 15];22(1):141-152. Available from: http://hdl.handle.net/11449/136938

Carvalo PI de, Frias PG de, Lemos MLC, Frutuoso LALM, Figuerôa BQ, Pereira CCB, et al. Perfil sociodemográfico e assistencial da morte materna em Recife, 2006-2017: estudo descritivo. Rev Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2020 Mar 09 [cited 2021 Feb 15];29(1):e2019185. DOI: 10.5123/S1679-49742020000100005

Emily E. Petersen EE, Davis NL, Goodman D, Cox S, Mayes N, Johnston E, et al. Vital signs: pregnancy-related deaths, United States, 2011–2015, and strategies for prevention, 13 states, 2013–2017. MMWR Morb Mortal Wkly Rep [Internet]. 2019 May 10 [cited 2021 Feb 15];68(18):423. DOI: 10.15585/mmwr.mm6818e1

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Morbimortalidade materna: tendências, causas e investigação de óbitos. In: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Resumo Executivo Saúde Brasil 2013: uma análise da situação de saúde e das doenças transmissíveis relacionadas à pobreza [Internet]. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2015 [cited 2021 Feb 15]. p. 13-15. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/resumo_executivo_saude_brasil_2013.pdf

Gomes JO, Vieira MCA, Mistura C, Andrade GG de, Barbosa KMG, Lira MOSC, et al. Perfil sociodemográfico e clínico de mortalidade materna. Rev enferm UFPE on line [Internet]. 2018 Dec [cited 2021 Feb 15];12(12):3165-71. DOI: 10.5205/1981-8963-v12i12a237316p3165-3164-2018

Organização Mundial de Saúde (OMS). Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde [Internet]. 10 rev., v. I e II. São Paulo: CBCD/EDUSP; 1995. Available from: https://www.who.int/standards/classifications/icd/en

Kale PL, Jorge MHPM, Fonseca SC, Cascão AM, Silva KS da, Reis AC, et al. Mortes de mulheres internadas para parto e por aborto e de seus conceptos em maternidades públicas. Ciênc saúde colet [Internet], 2018 May [cited 2021 Feb 15];23(5):1577-1590. DOI: 10.1590/1413-81232018235.18162016

Arregocés SN, Molina RT. Desigualdades y características sociodemográficas de lamortalidad materna en La Guajira, Colombia, 2010–2012. Rev Panam Salud Publica [Internet], 2015 Apr-May [cited 2021 Feb 15]:37(4/5):239-44. Available from: https://www.scielosp.org/pdf/rpsp/2015.v37n4-5/239-244

Borghi CMSO, Oliveira RM de, Sevalho Gil. Determinação ou determinantes sociais da saúde: texto e contexto na América Latina. Trab educ saúde [Internet], 2018 Sept-Dec [cited 2021 Feb 15]:16(3):869-97. DOI: 10.1590/1981-7746-sol00142

Medeiros LT, Sousa AM, Arinana LO, Inácio AS, Prata MLC, Vasconcelos MNG. Mortalidade materna no estado do amazonas: estudo epidemiológico. Rev baiana enferm [Internet], 2018 [cited 2021 Feb 15]:32:e26623. DOI: 10.18471/rbe.v32.26623

Biano RKC, Souza PCB de, Ferreira MBG, Silva SR da, Ruiz MT. Mortalidade materna no Brasil e nos municípios de Belo Horizonte e Uberaba, 1996 a 2012. Rev Eletr Dial Acad [Internet], 2017 [cited 2021 Feb 15];7:e1464. DOI: 10.19175/recom.v7i0.1464

Praça FSG. Metodologia da pesquisa científica: organização estrutural e os desafios para redigir o trabalho de conclusão. Rev Eletr Dial Acad [Internet], 2015 Jan-Jul [cited 2021 Feb 16];8(1):72-87. Available from: http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20170627112856.pdf

Fong-Pantoja L. Morbidade materna na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Geral de Ensino “Orlando Pantoja Tamayo”, Contramaestre 2014-2019. Rev Inf Cient [Internet], 2020 Jan-Feb [cited 2021 Feb 16];99(1):20-29. Available from: http://scielo.sld.cu/pdf/ric/v99n1/1028-9933-ric-99-01-20.pdf

Nunes MDS, Madeiro A, Diniz D. Mortes maternas por aborto entre adolescentes no Piauí, Brasil. Saúde Debate [Internet], 2020 Mar 09 [cited 2021 Feb 16];43(123):1132-44. DOI: 10.1590/0103-1104201912312

Picoli RP, Cazola LHO, Lemos EF. Mortalidade materna segundo raça/cor, em Mato Grosso do Sul, Brasil, de 2010 a 2015. Rev Bras Saúde Mater Infant [Internet], 2017 Oct-Dec. [cited 2021 Feb 16];17(4):729-37. DOI: 10.1590/1806-93042017000400007

Ruas CAM, Quadros JFC, Rocha FC, Andrade Neto GR de, Piris ÁP, Rios BMR, et al. Profile and spatial distribution on maternal mortality. Rev Bras Saúde Mater Infant [Internet], 2020 Apr-Jun [cited 2021 Feb 16];20(2):385-96. DOI: 10.1590/1806-93042020000200004

Silva NN da, FavachoI VBC, Boska GA, Andrade EC, Merces NP das, Oliveira MAF de. Access of the black population to health services: integrative review. Rev Bras Enferm [Internet], 2020 Jun 01 [cited 2021 Feb 16];73(4):e20180834. DOI: 10.1590/0034-7167-2018-0834

18. Andrade MG, Bonifácio LP, Sanchez JAC, Oliveira-Ciabati L, Zaratini FS, Franzon ACA, et al. Morbidade materna grave em hospitais públicos de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública [Internet], 2020 Jul 17 [cited 2021 Feb 16];36(7):e00096419. DOI: 10.1590/0102-311X00096419.

Feitosa-Assis AI, Santana VS. Ocupação e mortalidade materna. Rev. Saúde Pública [Internet], 2020 Jun 26 [cited 2021 Feb 16];54:64. DOI: 10.11606/s1518-8787.2020054001736

Araujo ST, Sanches METL, Nascimento WS. Análise do perfil epidemiológico das internações em uma unidade de terapia intensiva materna. Enferm. foco (Brasília) [Internet] 2018 May [cited 2021 Feb 16];9(2):73-78. Available from: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1094/449

Troncon JK, Netto DLQ, Rehder PM, Cecatti JG, Surita FG. Mortalidade materna em um centro de referência do Sudeste Brasileiro. Rev Bras Ginecol Obstet [Internet], 2013 Sept [cited 2021 Feb 16];35(9):388-93. DOI: 10.1590/S0100-72032013000900002

Duarte EMS, Alencar ÉTS, Fonseca LGA da, Silva SM da, Machado MF, Araújo MDP de, et al. Mortalidade materna e vulnerabilidade social no Estado de Alagoas no Nordeste brasileiro: uma abordagem espaço-temporal. Rev Bras Saúde Mater Infant [Internet], 2020 Apr/Jun [cited 2021 Feb 16];20(2):575-86. DOI: 10.1590/1806-9304202000020001

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Caderno de atenção ao pré-natal de baixo risco. 1. ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [cited 2021 Feb 16]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_pre_natal_baixo_risco.pdf

Silva RP da, Pinto PIP, Alencar AMC de. Efeitos da hospitalização prolongada: o impacto da internação na vida paciente e seus cuidadores. Saúde (Santa Maria) [Internet], 2018 Sept/Dec [cited 2021 Feb 16];44(3):1-12. DOI: 10.5902/2236583424876

Alecrim RX, Taminato M, Belasco A, Longo MCB, Kushara DM, Fram D. Strategies for preventing ventilator-associated pneumonia: an integrative review. Rev Bras Enferm [Internet], 2019 Mar/Apr [cited 2021 Feb 16];72(2):521-30. DOI: 10.1590/0034-7167-2018-0473

Saintrain SV, Oliveira JGR de, Saintrain MVL, Bruno ZV, Borges JLN, Daher EF, et al. Fatores associados à morte materna em unidade de terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva [Internet], 2016 Oct/Dec [cited 2021 Feb 16];28(4):397-404. DOI: 10.5935/0103-507x.20160073

Martins ACS, Silva LS. Perfil epidemiológico de mortalidade materna. Rev Bras Enferm [Internet], 2018 [cited 2021 Feb 16];71(S1):677-83. DOI: 10.1590/0034-7167-2017-0624

Mascarello KC, Horta BL, Silveir, MF. Complicações maternas e cesárea sem indicação: revisão sistemática e meta-análise. Rev. Saúde Pública [Internet], 2017 [cited 2021 Feb 16];51:105. DOI: 10.11606/S1518-8787.2017051000389

Lima MRG de, Coelho ASF, Salge AKM, Guimarães JV, Costa PS, Sousa TCC de, et al. Alterações maternas e desfecho gravídico-puerperal na ocorrência de óbito materno. Rev Cad Saúde Colet [Internet], 2017 Jul/Sept [cited 2021 Feb 16];25(3):324-

DOI: 10.1590/1414-462x201700030057

Serqueira, JR; ROCHA, MGS; MATIAS, PRS; VILLELA, EFM. Análise da mortalidade materna por causas relacionadas ao trabalho de parto, parto e puerpério em Goiás no período de 2008 a 2017. Brazilian Journal Of Development, Curitiba, v. 6, n. 9, p. 68307-68319, set. 2020. Brazilian Journal of Development. http://dx.doi.org/10.34117/bjdv6n9-317.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-004

Refbacks

  • There are currently no refbacks.