Comercialização agrícola no submédio Vale do São Francisco: a importância do mercado do produtor de Juazeiro - BA / Agricultural marketing in the syb-middle São Francisco Valley: the importance of the Juazeiro - BA producers market

Luciene do Nascimento Mendes, Igor Lopes de Jesus dos Anjos, Gustavo Alves Raphael

Abstract


A importância dos mercados atacadistas, no processo de comercialização de produtos agrícolas e segurança alimentar é relevante, especialmente num país continental como Brasil. Nesse sentido, o caso do Mercado do Produtor de Juazeiro, apresenta-se como elo crucial entre a produção e consumo, sendo reconhecido como o segundo principal entreposto comercial do Nordeste. Entretanto, como outros mercados atacadistas apresentam limitações. Assim, o presente estudo teve por objetivo identificar a importância e as limitações do Mercado do Produtor de Juazeiro, para a comercialização hortifrutícola no Submédio do Vale do São Francisco. Para tanto, foi realizada uma Análise de SWOT. A partir dos dados levantados foram identificados os pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças que o afetam. Como principais limitações estão: a ocorrência de resíduos sólidos, problemas de armazenamento e movimentação de cargas e espaço limitado, no ambiente interno e como ameaças do ambiente externo estão as crises hídrica e econômica, e a carência de investimentos. Contudo, também foram identificados pontos fortes e oportunidades que se devidamente aproveitadas pode reduzir as limitações. Todavia, é necessário o fortalecimento institucional tanto econômico, social, quanto ambiental, o que pode ser alcançado por meio de parcerias com instituições locais.


Keywords


Mercados Atacadista; Análise de SWOT; Comercialização Hortifrutícola

References


ABRACEN. O ambiente institucional: histórico. Online. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2015.

ABRACEN. Plano nacional de abastecimento: Sob a ótica das Centrais de Abastecimento do Brasil. Brasília: ABRACEN. 2013. 113p.

ABRACEN. Manual operacional das CEASAS no Brasil. Brasília: ABRACEN. 2011. 139p.

BELIK, W. Perspectivas para segurança alimentar e nutricional no Brasil. Saúde e Sociedade, v. 12, n. 1. p. 12-20, jun-jun, 2003.

BELIK, W. Mecanismos de coordenação na distribuição de alimentos no Brasil. In: BELIK, W.; MALUF, R. S. (Orgs.). Abastecimento e segurança alimentar: os limites da liberalização. Campinas: IE/UNICAMP, 2000. p. 131-159.

CEASA. Sistema de Informações Setoriais de Informação. Online. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2015.

CEASA MINAS. Central de Abastecimento de Minas Gerais. Online. Disponível em: < http://www.ceasaminas.com.br/>. Acesso em: 24 jun. 2015.

CEASA PERNAMUCO. CEASA em números. Online. Disponível em: < http://www.ceasape.org.br/ceasaemnumeros.php>. Acesso em: 24 jun. 2015.

CEAGESP. Banco CEAGESP de alimentos. Online. Disponível em: < http://www.ceagesp.gov.br/a-ceagesp/responsabilidade-social/bca/>. Acesso em: 26 jun. 2015a.

CEAGESP. Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo. Online. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2015b.

CHESF. Gestão de Recursos Hídricos. Online. Disponível em: < http://www.chesf.gov.br/conteudo_estatico/2015/sistema_chesf/sistema_chesf_bacias/FAX%20SOC%20030%202015-CIRCULAR.pdf>. Acesso em: 26 jun. 2015.

CONAB. Disponível em:. Acesso em: 30 mai. 2015.

CUNHA, A. R. A. de A.; BELIK, W. Entre o declínio e a reinvenção: atualidade das funções do sistema público atacadista de alimentos no Brasil. Rev. Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 50, n. 3, p. 435-454, set. 2012.

CUNHA, A. R. A. A; CAMPOS, J. B. Sistema CEASA: uma rede complexa e assimétrica de logística. In: Seminário sobre a Economia Mineira, 8., 2008, Diamantina – MG. Anais... Diamantina – MG: 2008.

GOVERNO ESTADUAL DE PERNAMBUCO. CEASA – PE implanta a maior central de embalagens do Brasil. Online. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2015.

HISRICH, R. D.; PETERS, M. P.; SHEPHERD, D. A. Empreendedorismo. 7 ed. Porto Alegre: Bookman, 2009. 664p.

IBGE. IBGE Cidades. Online. Disponível em: . Acesso em: 18 mai. 2015.

KEPPLE, A. W.; SEGALL-CORRÊA, A. M. Conceituando e medindo segurança alimentar e nutricional. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 1, p. 187-199, 2011.

LIMA FILHO, E. P.; BARBIERI, M. O.; DELEO, J. P. B. Clima 2015-217. Revista HFBrasil, Piracicaba – SP, v. 16, n. 164, p. 10-17, fev. 2017.

LOPES, S. M. Aplicação da Análise SWOT nas empresas cabo-verdianas. 2013. 52f. Monografia (Licenciatura em Contabilidade e Administração) – Instituto Superior de Ciências Econômicas e Empresariais – ISCEE, Praia, Cabo Verde, 2013.

LORENZI, C. O. et al. Embalagens de HF no Brasil. Revista Hortifruti Brasil, Piracicaba, v.13, n. 137, p.8-26p. 2014.

LOUSADA, J. E. J. et al. Consumo e digestibilidade de subprodutos do processamento de frutas em ovinos. Rev. Bras. Zootec. v. 34, n. 2, p. 659-669, 2005.

MAPA. Plano de modernização das centrais de abastecimento. Brasília: MAPA, 2013. 33p.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2008. 312p.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração: da evolução urbana à revolução digital. 6 ed. Atlas: São Paulo, 2007.

MERCADO DO PRODUTOR. Relatório anual. Juazeiro - BA: Mercado do Produtor de Juazeiro, 2013; 2015.

NASCIMENTO, W. G. As centrais públicas de abastecimento no contexto da globalização dos alimentos: entre as mudanças na forma de atuação do Estado e o fortalecimento dos grandes distribuidores: o caso do CEASA-PE. 2008. 223f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2008.

PALMIERI, F. G.; GARCIA, J.; JULIÃO, L. Logística: por onde passam os produtos hortifrutícolas? Hortifruti Brasil do CEPEA – ESALQ/USP, Piracicaba, v.13, n. 138, set. 2014.

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUAZEIRO. Disponível em: . Acesso em 26 abr. 2015.

SILVA, N. S. et al. A Utilização da matriz SWOT como ferramenta estratégica: um estudo de caso em uma Escola de Idioma de São Paulo. In: Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 8., 2011, Resende –RJ. Anais...Resende-RJ: SEGet/AEDB, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n6-353

Refbacks

  • There are currently no refbacks.