Percepção da paisagem em Foz do Iguaçu, Paraná / Landscape perception in Foz do Iguaçu, Paraná

Elisiana Alves Kleinschmitt, Letícia Peret Antunes Hardt

Abstract


A paisagem tem sido considerada uma variável indispensável para a gestão urbana, para o planejamento territorial e para o projeto urbanístico. Além de indicadora de condições de desenvolvimento de determinada sociedade, é interpretada pelas suas manifestações de valores naturais, culturais, históricos, sociais e econômicos, dentre outros. Todavia, é notável a sua progressiva deterioração em várias cidades brasileiras. Sob essa ótica, o objetivo geral da pesquisa é avaliar a qualidade paisagística, com adoção de estudo de caso em Foz do Iguaçu, Paraná, fundamentando subsídios à minimização dos seus impactos do passado e à ampliação da sua capacidade futura. Com natureza aplicada, abordagem qualiquantitativa e sistema múltiplo de métodos, a investigação foi elaborada com base em quatro referenciais principais: técnico, compreendendo o recorte metodológico de ensaio peculiar; teórico, englobando o recorte temático para delimitação de conceito próprio; empírico, comportando o recorte geográfico para aplicação prática dos procedimentos anteriores; e crítico, envolvendo o recorte propositivo, derivado da integração das informações analisadas. Os resultados de caracterização paisagística da área de estudo revelam dois marcantes momentos históricos – antes e após a construção da usina de Itaipu – partindo de um processo lento para um crescimento acentuado, associado à má gestão municipal e ao consequente desordenamento urbano. Os dados da classificação perceptual evidenciam que a maioria da população indica maior incidência da classe média baixa para os cenários avaliados. A comprovação da hipótese de que alguns parâmetros e componentes urbanísticos propiciam a qualidade da paisagem das cidades, tornando possível, pela sua redefinição, a redução de interferências pretéritas e a expansão de potencialidades futuras, conduz à indicação da necessidade de elaboração de projetos de valorização paisagística no âmbito dos planos diretores municipais.


Keywords


Paisagem Planejada, Gestão Urbana, Planejamento de Cidades.

References


BRASIL. Decreto Legislativo Federal Nº 23, de 26 de abril de 1973. Aprova os textos do tratado para aproveitamento hidroelétrico dos recursos hídricos do Rio Paraná, pertencentes em condomínio aos dois países, desde e inclusive o Salto Grande de Sete Quedas ou Salto de Guairá até a foz do Rio Iguaçu e de seus anexos, firmados entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República do Paraguai, em Brasília, , bem como os das notas então trocadas entre os Ministros das Relações Exteriores dos dois países. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 27 abr. 1973.

CE – Conselho da Europa. Convenção Europeia da Paisagem. 2000. Disponível em: https://rm.coe.int/16802f3fb7. Acesso em: 25 jun. 2021.

COSTA, Susana Henriques da. Ética e ministério público: uma reflexão em três momentos. In: LIVIANU, Roberto. (Coord.) Justiça, cidadania e democracia. Rio de Janeiro, RJ: Centro Edelstein de Pesquisa Social – CEPS, 2009, p.229-238.

CRIADO, Arancha Muñoz. Guía metodológica: estudio del paisaje. Valencia, ES: Generalitat Valenciana; Conselleria de Infraestructuras, Territorio y Medio Ambiente, 2012.

CULLEN, Gordon. Paisagem urbana. Tradução de Isabel Correia e de Carlos de Macedo. Reimp. Lisboa, PT: Edições 70, 2008. (Título original: The concise townscape. Abingdon, Oxon, UK: Architectural; Routledge, 1961).

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7.ed. São Paulo, SP: Atlas, 2019[1987].

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 6.ed. São Paulo, SP: Atlas, 2017[1987].

HARDT, Letícia Peret Antunes. Subsídios à gestão da qualidade da paisagem urbana: aplicação a Curitiba, Paraná. 2000. 323f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal do Paraná – UFPR, Curitiba, PR, 2000.

HARDT, Letícia Peret Antunes. Ecologia da paisagem: fundamentos à gestão do espaço urbano. Olam Ciência e Tecnologia, Rio Claro, SP: Universidade Estadual Paulista – UNESP, v.4, n.1, p.597-612, 2004.

HARDT, Letícia Peret Antunes; HARDT, Carlos. Contexto histórico de intervenção na paisagem e espaços urbanos. Paisagem e Ambiente, São Paulo, SP: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU-USP, n.23, p.101-107, 2007.

HARDT Planejamento. Estudo de impactos sobre a paisagem decorrentes da implantação dos terminais portuários Terminal de Grãos de Santa Catarina – TGSC – e Fertimport em São Francisco do Sul. Santa Catarina. Curitiba, PR, 2010.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeções populacionais: Foz do Iguaçu. 2020. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2021.

KOHLSDORF, Maria Elaine. A apreensão da forma da cidade. Brasília, DF: Editora da Universidade de Brasília – UnB, 1996.

LALI – Latin American Landscape Initiative (Iniciativa Latinoamericana del Paisaje). El paisaje, esencial en la planeación urbana. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2021.

LAMAS, José Manuel Ressano Garcia. Morfologia urbana e desenho da cidade. 7.ed. Porto, PT: Fundação Calouste Gulbenkian, 2014[1993].

LIMA, Perci. Foz do Iguaçu e sua história. Foz do Iguaçu, PR: Serzegraf, 2001.

LING, Anthony. Guia de gestão urbana. São Paulo, SP: Bei, 2017[1998].

LOPES, Rodrigo. A cidade intencional: o planejamento estratégico de cidades. 2.ed. Rio de Janeiro, RJ: Mauad, 2004[1998].

LYNCH, Kevin A. A imagem da cidade. Tradução de Jefferson Luiz Camargo. 3.ed. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2011. (Título original: The image of the city. Cambridge, MA, US: The Massachusetts Institute of Technologie – MIT – Press, 1960)

MACEDO, Silvio Soares. Paisagem, turismo e litoral. In: YAZIGI, Eduardo (Org.). Turismo e paisagem, São Paulo, SP: Contexto, 2002, p.181-213.

MASCARÓ, Juan Luis. Infra-estrutura da paisagem. Porto Alegre, RS: Masquatro, 2008.

NOGUÉ, Joan. Paisaje, identidad y globalización. Fabrikart: Arte, Tecnología, Industria, Sociedad, Lejona, ES: Universidad del País Vasco, n.7, p.136-145, 2007.

PMFI – Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu. Plano Diretor Municipal de Foz do Iguaçu. Foz do Iguaçu, PR: edição institucional, 2006.

PMPA – Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental – PDDUA – Lei comentada. Porto Alegre, RS: edição institucional, 2000.

REZENDE, Denis Alcides; CASTOR, Belmiro Valverde Jobim. Planejamento estratégico municipal: empreendedorismo participativo nas cidades, prefeituras e organizações públicas. Rio de Janeiro, RJ: Brasport, 2005.

RIBEIRO, Helena; VARGAS, Heliana Comin. Qualidade ambiental urbana: ensaio de uma definição. In: RIBEIRO, Helena; VARGAS, Heliana Comin. (Org.) Novos instrumentos de gestão ambiental urbana. São Paulo, SP: Editora da Universidade de São Paulo – EdUSP, 2001, p.13-19.

ROSEIRA, Antônio Marcos. Foz do Iguaçu: cidade rede sul-americana. 2006. 170f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade de São Paulo – USP, São Paulo, SP, 2006.

SANTOS, Emmanuel Antônio dos. Planejamento e paisagem. Paisagens em Debate, São Paulo, SP: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU-USP, n.2, p.1-7, set. 2004.

SANTOS, Felipe Augusto Rocha. Função estética da paisagem urbana: o direito fundamental à beleza paisagística. Revista Jus Navigandi, Teresina, PI [online], ano 19, n.3.975, s.p., maio 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2021.

SANTOS, Milton. Território e sociedade. São Paulo, SP: Fundação Perseu Abramo, 2000.

SEIXAS, João. A cidade na encruzilhada: repensar a cidade e sua política. Porto, PT: Afrontamento, 2013.

SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia de pesquisa e elaboração de dissertação. 4.ed. Florianópolis, SC: Laboratório de Ensino a Distância da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2005[2001].

SOUZA, Aparecida Darc de. Formação econômica e social de Foz do Iguaçu: um estudo sobre as memórias construtivas da cidade (1970-2008). 2009. 218f. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo – USP, São Paulo, SP, 2009.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Tradução de Lívia de Oliveira. Londrina, PR: Editora da Universidade Estadual de Londrina – EdUEL, 2012. (Título original: Topophilia: a study of environmental perception, attitudes, and values. Englewood Cliffs, NJ, US: Prentice-Hall, 1974)

TYS Magazine. Conceptos indispensables para el estudio del paisaje. 2016. Disponível em://www.tysmagazine.com/guia-de-estudios-de-impacto-e-integracion-paisajistica-gallega/>. Acesso em: 25 jun. 2021.

VIEIRA, Lucimar de Fátima dos Santos. A valoração da beleza cênica da paisagem do bioma pampa do Rio Grande do Sul: proposição conceitual e metodológica. 2014. 251f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, RS, 2014.

ZANONI, Aline Bianca; HARDT, Letícia Peret Antunes; PELIZZARO, Patrícia Costa; HARDT, Marlos; HARDT, Carlos. Paisagem Planejada: subsídios a planos diretores municipais. Revista Sodebras – Soluções para o Desenvolvimento do Brasil [online]: v.11, n.123, p.46-50, mar. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-470

Refbacks

  • There are currently no refbacks.