Uma proposta de ruptura com a teoria criminológica pautada no delito e no castigo para a perspectiva do dano social: genocício / A proposal to break with the criminological theory based on crime and punishment for the perspective of social harm: genocide

Maria do Socorro Rodrigues Coelho

Abstract


Este artigo tem como objetivo geral analisar o genocídio de Ruanda e suas implicações, mormente no que concerne à garantia dos direitos humanos, a partir dos pressupostos da Teoria criminológica voltada para a Zemiology, a qual tem como objeto de estudo os danos sociais.  Apresenta-se as principais críticas empreendidas à Criminologia tradicional e Crítica, no intuito de responder ao seguinte problema de pesquisa: o que significa transgredir as rígidas margens da Teoria Criminológica para centrar-se numa perspectiva de dano social? Para responder este questionamento, faz-se uma abordagem teórica pautada, principalmente, nas disputas empreendidas pelas diferentes correntes da criminologia no sentido de nomear seu objeto e problematizar a sua ação diante dos delitos massivos, a exemplo de guerras, genocídios. Trata-se de uma pesquisa de caráter bibliográfico e qualitativa. Defende-se que a discussão sobre os massacres vai além das normas internacionais, sendo estas imperfeitas em sua definição e, especialmente, em sua aplicação. O direito penal internacional ainda se mostra incipiente para a efetiva proteção dos direitos humanos. Percebe-se que os problemas internacionais não podem ser resolvidos exclusivamente pelo Direito, sendo necessário o diálogo das fontes ou interdisciplinar, o qual agrega as contribuições da psicologia, sociologia, filosofia, história, dentre outras áreas, à reflexão jurídica. Se o conceito legal de genocídio não ajuda a compreender o fenômeno, o estudo deve ser ampliado para que se possa compreender e prevenir. Esse caráter preventivo pressupõe a transgressão das rígidas margens da teoria criminológica para uma perspectiva de dano social.

 


Keywords


criminologia. Zemiology. Danos sociais. Genocídio de Ruanda. Direitos humanos.

References


BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Difel, 1994.

________. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Tradução de Miguel Serras Pereira. Lisboa: Editorial Presença, 1996, 261-262

BARATTA, Alessandro. Criminologia Crítica e crítica do Direito Penal. 2a. Ed. Trad. Juarez Cirino dos Santos. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1999.

________. Defesa dos Direitos Humanos e Política Criminal. Rio de Janeiro: Discursos Sediciosos. Crime, Direito e Sociedade, Instituto Carioca de Criminologia, n. 3, p. 57 - 69, 1997.

BRUNETEAU, B. El siglo de los genocidios (Le Siècle des génocides: Violences, massacres et processus génocidaires de l’Arménie au Rwanda). Madrid: Alianza, 2009.

BUDÓ, Marília de Nardin. Danos silenciados: a banalidade do mal no discurso científico sobre o amianto. Revista Brasileira de Direito, v.12, n.1, p.127-140, jan./jun. 2016. DOI: 10.18256/2238-0604/revistadedireito.v12n1p.127-140.

CARVALHO, Salo de. Criminologia crítica: dimensões, significados e perspectivas atuais. Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, v.104, p.279-295, set./out. 2013.

HILLYARD, Paddy; TOMBS, Steve. MÁS ALLÁ DE LA CRININOLOGÍA? Revista Crítica Penal y Poder, 2013, nº 4 (p. 224). Observatorio del Sistema Penal e y los Derechos Humanos Universidad de Barcelona.

FEIERSTEIN, Daniel. Interpretaciones jurídicas y sociológicas con respecto al genocidio en Argentina. In - Derecho Penal y Criminología(diretor Eugenio Raul Zaffaroni), año ii , nº 2, marzo, 2012.

FERREIRA, Carolina Costa. Os caminhos das criminologias críticas: uma revisão. Revista de Criminologias e Políticas Criminais | e-ISSN: 2526-0065 | Curitiba | v. 2 | n. 2 | p. 171 - 192 | Jul/Dez. 2016.

MACHADO, Bruno Amaral; QUEZADO, Marina. Pelos Olhos da Criminologia: corrupção, danos sociais e direitos humanos. In Revista Brasileira de Ciências Criminais, São Paulo, v.17, n.70, p.133-174, 2018.

MORRISON, Wayne. Criminology, Civilisation and the New World Order, Oxon: Routledge-Cavendish, 2006.

NEWS BRASIL(2014). Entenda o genocídio de Ruanda de 1994: 800 mil mortes em cem dias. Disponível em em https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/04/140407_ruanda_genocidio_ms. Acesso em 31 agosto de 2020.

PEMBERTON, Simon. Social harm future(s): exploring the potencial of social harm approach. Crime Law Soc Change (2007) 48:27-41

SARMIENTO, Camilo Ernesto Bernal et al. Para além da criminologia:um debate epistemológico sobre o dano social, os crimes internacionais e os delitos dos mercados. Revista Brasileira de Direito, Passo Fundo, v. 13, n. 3, p. 40-79, dez. 2017. ISSN 2238-0604. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2020.

SEMELIN, Jacques. Purifier et détruire: usages politiques des massacres et génocides, Paris: Éditions du Seuil, 2005

SOARES, Marina Quezado. Introdução à Criminologia Global: superando a crise da Criminologia Crítica. Revista Publicum, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, 2017, p. 190-208. http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/publicum DOI: 10.12957/publicum.2017.28920 .

ZAFFARONI, Eugenio Raul. La palabra de los muertos: conferencias de criminologia cautelar, Buenos Aires: Ediar, 2011

VALENTE, Júlia Leite. O escopo do crime de genocídio: considerações epistemológicas sobre os massacres. Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica Rio de Janeiro: vol. 7, no .2, maio-agosto, 2015, p. 244-260.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-448

Refbacks

  • There are currently no refbacks.