A importância da resiliência na enfermagem em oncologia/ The importance of resilience in oncology nursing

Liandra Soares Xavier, Ellen Lana Oliveira, Lidiany da Silva Oliveira, Mikael Henrique de Jesus Batista, Marilene Alves Rocha, Tainá Soares Nunes

Abstract


O objetivo primário desse estudo é analisar estudos que versem sobre os profissionais de enfermagem na construção da resiliência na enfermagem em oncologia, buscando descrever as competências que são utilizadas pelos profissionais de enfermagem para a construção da resiliência no que se refere à oncologia, compreendendo as estratégias usadas pelos profissionais de enfermagem no método de construção de resiliência. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, em que a busca por artigos foi realizada nas bases de dados: Google Scholar, Biblioteca Virtual em Saúde e SciELO, utilizando o cruzamento dos descritores em Ciências da Saúde: Enfermagem, Oncologia e Assistência utilizando o booleano AND como conectivo destes. Resultados: A resiliência pode ser usada para promover as atuações da Enfermagem, provocando transformações particulares e melhoras nas relações de trabalho e, por conseguinte, uma melhor qualidade de atendimento sendo prestada por esses profissionais.


Keywords


Enfermagem, Oncologia, Assistência.

References


ALMEIDA CSL, Sales CA, Marcon SS. O existir da enfermagem cuidando na terminalidade da vida: um estudo fenomenológico. Rev Esc Enferm USP. 2014;48(1):34-40.

BELANCIERI, M. F. Estresse e repercussões psicossomáticas em trabalhadores da enfermagem de um hospital universitário. Dissertação de mestrado não-publicada, Universidade do Sagrado Coração. Bauru., 2003.

BELANCIERI, M. F. Enfermagem: estresse e repercussões psicossomáticas. Bauru: EDUSC., 2005.

BELANCIERI, M. F. Promoção do processo de resiliência em enfermeiras: uma possibilidade. Tese de doutorado não-publicada, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo., 2007.

BORDIGNON M, Monteiro MI, Mai S, et al. Satisfação e insatisfação no trabalho de profissionais de enfermagem da oncologia do Brasil e Portugal. Texto Contexto Enferm. 2015;24(4):925-33.

BULHÕES, I. (1994). Riscos do trabalho de enfermagem. Rio de Janeiro: Júlio C. Reis Livraria.

FERNANDES, M. A. et al. Percepção dos enfermeiros sobre o significado dos cuidados paliativos em pacientes com câncer terminal. Ciência & Saúde Coletiva, Paraíba, p.89-96, 2013.INCA. Instituto nacional do câncer. Inca, Brasil, p.1-4, 2014.

INCA - Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2018: incidência de câncer no Brasil [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2017 Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/.sti.inca.local/files//media/document//estimativaincidencia-de-cancer-no-brasil-2018.pdf

KOLHS M, MACHRI E, FERRI G, et al. Sentimentos de enfermeiros frente ao paciente oncológico. J Health Sci. 2016;18(4):245-50.

LIMA PC, Comassetto I, Faro ACM, et al. O ser enfermeiro de uma central de quimioterapia frente à morte do paciente oncológico. Esc Anna Nery. 2014;18(3):503-09.

SÓRIA, D. A.C. et al. A resiliência como objeto de investigação na enfermagem e em outras áreas: uma revisão. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2006;10(3):547-51.

STACCIARINI, J. M. R., & TRÓCCOLI, B. T. O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 2001. 9 (2), 17-25.

TAVARES JA. Resiliência na sociedade emergente. In: Tavares J, Yunes MAM, Szymanski H, Pereira, MAS, Simões HR, Castro MACD. Resiliência e educação. 2.ed. São Paulo:Cortez; 2001. p. 43– 75.

YUNES MAM. Resiliência: noção, conceitos afins e considerações críticas. In: Tavares J, organizador. Resiliência e educação. São Paulo: Cortez; 2001.

RAMALHO Neto JM, Marques DKA, Fernandes MGM, Nóbrega MML. Meleis’ Nursing Theories Evaluation: integrative review. Ver Bras Enferm [Internet]. 2016 [cited 2016 Mar 20];69(1):162-8.

CAETANO EA, Panobianco MS, Grandim CVC. Análise da produção científica nacional sobre a utilização de grupos na reabilitação de mastectomizadas. Rev Eletr Enf [Internet]. 2012 [cited 2016 Mar 20];14(4):965-73.

ERCOLE, F. F., MELO, L. S., ALCOFORADO, C. L. G. C. Revisão integrativa versus revisão sistemática. Revista Mineira de Enfermagem, v. 18.1. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/904. Acessada em 22 de fevereiro de 2021.

POMPEO, D. A, ROSSI LA, GALVÃO CM. Revisão integrativa: etapa inicial do processo de validação de diagnóstico de enfermagem. Acta paul enferm. 2009;22(4):434-8.

OLIVEIRA JM, REIS JB, SILVA RA. Busca por cuidado oncológico: percepção de pacientes e familiares. Rev Enferm UFPE [online]. 2018;12(4):938- 46.

QUADROS A. Resiliência em oncologia: um olhar sobre a práxis do enfermeiro [dissertação]. Rio Grande do Sul: Pontifícia Universidade Católica, Faculdade de Educação; 2012.

SUZANNE, R. G.; et al. Post-traumatic growth and resilience in adolescent and young adult cancer patients: an Overview. J Adolesc Young Adult Oncol [Internet]. 2018 [cited 2018 Oct 25]; 7(1): 1-14.

BIANCHINI, D. C. S; DELL'AGLIO, D. D. Processos de resiliência no contexto de hospitalização: um estudo de caso. Paidéia (Ribeirão Preto), Ribeirão Preto, v. 16,n. 35,p. 427-436,dez. 2006.

LUTHAR, S.S., ZELAZO, L.B. Research on resilience: An integrative review. In: Resilience and vulnerability: Adaptationin the contexto of chidhood adversities. Luthar,S.S. Cambridge: University Press, 2003.

SORIA, D.A.S. et al, Resiliência na área da Enfermagem em Oncologia. Acta Paul Enferm. [online] 2009, vol.22, n.5, pp. 702-706.

YUNNES, Maria Ângela. Psicologia Positiva e resiliência: Foco no indivíduo e na família. in.: Resiliência e Psicologia Positiva. Interfaces do risco à proteção. Dell'Agio, Débora et al. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011.

REIVICH, K., & Shattè, A. The resilience factor: 7 essential skills for overcoming life’s inevitable obstacles. New York: Broadway Books-Random House., 2002.

BELANCIERI, M. F., & Cappo Bianco, M. H. B. Estresse e repercussões psicossomáticas em trabalhadores da área da enfermagem. Revista Texto e Contexto de Enfermagem, 2004. 13 (1), 124-131.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-443

Refbacks

  • There are currently no refbacks.