Concreto leve não estrutural com substituição parcial de seixo por caroço de Açaí / Lightweight non-structural concrete with partial replacement of pebble with Acaí seed

Marco Antonio Barbosa de Oliveira, Ruan Pinheiro Costa, Stefany Costa Brandão, Marcos Vitor Mescouto Miranda, Carlos Alberto da Costa Marques, Alisson Aleixo Caldas, Welton Raiol de Assunção, Patrícia da Silva Chaves, Lêda de Azevedo Racanelli

Abstract


A produção da polpa de açaí tem caráter significativo no Estado do Pará, que acarreta geração de resíduo de caroço açaí, que requer atenção a destinação. Nos locais onde se prepara esse alimento, encontram-se os caroços secos amontoados, representando um resíduo a ser destinado. Com a finalidade de reduzir a quantidade de resíduos direcionados aos canais e bueiros, que obstruem e causam alagamentos, tem ocorrido a uma procura por usos alternativos do caroço. Este estudo tem objetivo de avaliar o caroço de açaí como agregado graúdo leve para aplicação em concreto leve não estrutural, sendo sua aplicação imprescindível para a redução de resíduo que seria descartado inadequadamente. A avaliação do concreto leve não estrutural com a utilização do caroço de açaí em substituição parcial ao seixo na proporção de 30/70 (caroço/seixo) ocorreu a partir de determinação da consistência pelo abatimento de tronco de cone (slump test), conforme NBR NM 67 (ABNT, 1998), massa específica, segundo a NBR 9833 (ABNT, 2008) e a NBR 9778 (ABNT, 2005), e compressão axial, em consonância com a NBR 5739 (ABNT, 2018). Verificou-se que o concreto leve não estrutural com caroço de açaí submetido à fervura obteve os melhores resultados de massa específica e resistência à compressão. E que há diferença estatística significa apenas entre as médias de resistência à compressão, quando comparadas as famílias (CLIN), (CLCCA) e (CLF). Desta maneira, este estudo indicou uma alternativa tecnológica para uso do caroço de açaí em concreto leve não estrutural.


Keywords


Caroço de Açaí, Seixo, Agregado Graúdo, Concreto Leve.

References


AMERICAN CONCRETE INSTITUTE. ACI. ACI 213R-03. Guide For Structural Lightweight Aggregate Concrete, ACIA Manual of Concrete Practice, 2003.

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. ASTM C330/ASTM C330/330M-17a. Standard Specification for Lightweight Aggregates for Structural Concrete, ASTM International, West Conshohocken, 2017.

_______. NBR NM 30. Agregados Determinação da Absorção de Água. 2001.

_______. NBR NM 45. Agregados –Determinação da Massa Unitária e do Volume de Vazios. 2006.

_______.NBR NM 46. Agregados: Determinação do Material Fino que passa através da peneira 75 μm, por lavagem. 2003.

_______.NBR NM 52. Agregado Miúdo – Determinação da Massa Específica e Massa Específica Aparente. 2003.

_______.NBR NM 53. Agregado graúdo – Determinação da Massa Específica, Massa Específica Aparente e Absorção de Água. 2009.

_______.NBR NM 67. Concreto - Determinação da Consistência pelo Abatimento do Tronco de Cone. 1998.

_______.NBR NM 248. Agregados – Determinação da Composição Granulométrica. 2003.

_______.NBR NM 7211. Agregados para Concreto - Especificação. 2005.

_______.NBR 5738. Concreto – Procedimentos para Moldagem e Cura de Corpos de Prova. 2015. p. 10.

_______.NBR 5739. Concreto – Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Cilíndricos. 2018. p. 11.

_______.NBR 9778. Argamassa e Concreto Endurecidos – Determinação da Absorção de Água por Imersão, Índice de Vazios e Massa Especifica. 2009. p. 4.

_______.NBR 9833. Concreto Fresco – Determinação da Massa Específica, Rendimento e do Teor de Ar pelo Método Gravimétrico. 2008. p. 7.

CERVI, R. C. Influência da Madeira como Material de Construção visando à Sustentabilidade. Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC.

IBGE 2017 – Quantidade produzida na extração vegetal do açaí, unidade territorial: Brasil e Grande região. Acesso em: 05/02/2019. Disponível em: < https://sidra.ibge.gov.br/tabela/289.

GONÇALVES, D. K. C. Construção Civil Sustentável: A Utilização do Bambu em Divinópolis Minas Gerais. Revista Especialize on-line IPOG, Goiânia, 7ª Ed., v. 01, n. 007, 2014.

MARINS, L.F.B.; M.C. FREITAS; VIEIRA, J. H. A; RABELO, A. A.; NETO, E. Fagury. Incorporação da Cinza do Caroço de Açaí em Formulações de Cerâmica Estrutural. Marabá: 21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais, Cuiabá, MT, 2014. 7 p.

NERI, E. Z. Cerificações Ambientais para Construções Civis. Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia Civil - Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá. Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2015.

ROSÁRIO, K. A. Concreto com Utilização de Agregado Graúdo Sintético produzido a partir da Lama Vermelha: Estudos de dosagem, propriedades e microestrutura. Universidade Federal do Pará. Belém, 2013.

SILVA, L. C. P.; SOUZA, R. J. Q.; VALENÇA, P. M. A.; SOUZA, A. P. S.; FROTA, C. A. Estudo Mecânico por meio do Módulo de Resiliência de Misturas Asfálticas confeccionadas com Seixo, Brita e Ligante Modificado com SBS aplicados a Pavimentação das Vias Urbanas de Manaus-AM. In: CONGRESSO IBERO LATINO AMERICANO DE ASFALTO, 2011, Rio de Janeiro. XVI CILA, 2011.

SILVA, F.; MATEUS; MARÇAL, A.; RICAROD, S.; PIRES, S. Resíduos Urbanos - Relatório Anual. Amadora: Agência Portuguesa do Ambiente, I.P, 2013.

SCOBAR, R. L. Concreto Leve Estrutural: Substituição do Agregado Graúdo Convencional por Argila Expandida. Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia Civil - Campus Campo Mourão. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Paraná, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-436

Refbacks

  • There are currently no refbacks.