O jogo quebra-cabeça biológico inclusivo para estudantes surdos no Ensino Médio / The inclusive biological puzzle game for deaf high school students

Eliene da Silva Nunes, Alexandra Souza de Carvalho, Ariadene Ferreira Jambeiro, Daniel dos Anjos Silva

Abstract


No presente artigo, realizou-se uma pesquisa de natureza qualitativa para verificarmos a melhoria do processo de ensino e aprendizagem através da utilização de recursos didáticos no ensino de biologia, sob a perspectiva da inclusão de alunos surdos. A aplicação do recurso didático ocorreu em uma turma do curso Técnico em Alimentos integrado ao Ensino Médio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano - Campus Catu na cidade de Catu-Ba. Foi aplicado um questionário semiestruturado para os estudantes participantes. Na análise dos dados da pesquisa, considerou-se a observação direta no momento de aplicação do recurso didático e a interpretação gráfica das respostas dos questionários. Empregou-se a análise de conteúdo, identificando-se algumas categorias que nos levaram à compreensão dos resultados do estudo. A escolha da temática para a utilização de jogos didáticos inclusivos neste trabalho teve como objetivo investigar as metodologias aplicadas para o ensino de biologia e garantir que estas sejam mais acessíveis para facilitar o aprendizado do aluno. A análise de conteúdo realizada mostrou a importância da utilização de jogos educativos em sala de aula e, dentro desse contexto, a aplicação do jogo quebra-cabeça biológico serviu como ferramenta metodológica significativa na tentativa de melhoria do processo de ensino na disciplina de biologia.


Keywords


Jogo didático, Educação inclusiva, Ensino de biologia.

References


ALMEIDA, A. R. S. A emoção na sala de aula. Campinas: Papirus,2000.

ALMEIDA, M. A; MENDES, E. G; HAYASHI, M. C. P. IV Temas em educação especial. Brasília/DF: CAPES- PROESP,2008.

ALMEIDA, P. N. Educação lúdica: Técnica e Jogos Pedagógicos. 11ª ed. São Paulo: Loyola, 2003.

ANDRADE, S.L.S.; MELO, V.R.G.; RICARDO, D.S.; SANTOS, B.S. A utilização de jogos didáticos no ensino de ciências e biologia como uma metodologia facilitadora para o aprendizado.VI Enforsup I interfor, Brasília,2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 11ª ed. Lisboa: Edições 70, 2011.

BORTONI-RICARDO, S.M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio-OCEM. Ciências da Natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília,2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de

Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2007.

CAMPOS, L. M. L.; BORTOLO, T. M.; FELÍCIO, A. K. C. A produção de jogos didáticos para o Ensino de Ciências e Biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Núcleo de Ensino. São Paulo: Pró Reitoria de Graduação – Instituto de Biociências da Universidade Estadual de São Paulo, 2003.

CANDIDO, C.; et al; Recursos de ensino e aprendizagem: elaboração de um material didático sobre o tema artrópodes destinados a alunos do ensino fundamental e médio. Cadernos de Pedagogia, São Carlos, 2012. v.5, n10, p. 83-91.

GIOCA, M. I. O jogo e aprendizagem na criança de 0 a 6 anos. Trabalho de conclusão de curso. Curso de pedagogia do Centro de Ciências Humanas e Educação da Universidade da Amazônia. Belém - Pará, Universidade da Amazônia. 2001.

LIMA, J. M. O jogo como recurso pedagógico no contexto educacional. São Paulo: Cultura Acadêmica,2008.

MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. In: Ciência Hoje, v.28, 2001 p. 64- 66.

MORATORI, Patrick Barbosa. Por Que Utilizar Jogos Educativos no Processo de Ensino Aprendizagem? UFRJ. Rio de Janeiro, 2003.

NETO, E. R. Laboratório de matemática. In: Didática da Matemática. São Paulo: Ática, 1992. 200p. p. 44-84.

OLIVEIRA, L.M.G. Educação especial e tecnologias computacionais: jogos de computador auxiliando o desenvolvimento de crianças especiais. In:Encontro Paranaense de Psicopedagogia,2003.

PEDROSO, C.B. Jogos Didáticos no ensino de Biologia: Uma proposta metodológica baseada em módulo UFSM. In: Anais do IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE e III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. PR, Curitiba,2009.

PINTO, L. T. O Uso dos Jogos didáticos no Ensino de Ciências no Primeiro Segmento do Ensino Fundamental da rede Municipal Pública de Duque de Caxias. Dissertação - Instituto Federal de Educação, ciências e Tecnologia. Neópolis - RJ, 2009.

POELS, K.; KORT, Y. D.; IJSSELSTEIJN, W. "It is always a lot of fun!": exploring dimensions of digital game experience using focus group methodology In: PROCEEDINGS OF THE 2007 CONFERENCE ON FUTURE PLAY. Toronto, Canada: ACM, 2007.

SANTOS, A.B.; GUIMARÃES, C.R.P. A utilização de jogos como recurso didático no ensino de zoologia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciências, 2010.

SWEETSER, P.; WYETH, P. GameFlow: a model for evaluating player enjoyment in games. Comput. Entertain., 2005.

TAKATALO, J.; HÄKKINEN, J.; KAISTINEN, J.; Nyman, G. Presence, Involvement, and Flow in Digital Games. In: BERNHAUPT, R. Evaluating User Experience in Games: Concepts and Methods. Springer, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-343

Refbacks

  • There are currently no refbacks.