Análise da vulnerabilidade familiar em domicílios submetidos à visita domiciliar em cidade no interior do Ceará / Analysis of family vulnerability in houses subject to home visit in a city in the interior of Ceará

João Lucas Araújo Morais, Ivna Maria de Oliveira Morais, Francisco Willame Morais Neto, Sócrates Belém Gomes, Antonia Edna Belém Gomes, Jocileide Sales Campos

Abstract


Introdução: Na década de 80 foi criado o Sistema Único de Saúde, fundamentado em  três princípios doutrinários: Universalidade, Integralidade e Equidade. Com base nesses princípios foi instituída a Visita Domiciliar (VD) que consiste no atendimento aos pacientes incapazes de comparecer à Unidade Básica de Saúde. Objetivo: Esse estudo visa avaliar o risco de vulnerabilidade familiar em residências submetidas à VD. Método: Foi realizada uma capacitação com os Agentes Comunitários de Saúde na cidade de Mulungu/Ceará para a aplicação de Escala de Coelho e Savassi nos domicílios. Resultados: A escala foi aplicada em 40 residências, abrangendo 100% do território. O estado de risco dos indivíduos foi dividido em 3 grupos: R1, R2 e R3, sendo R1 o de menor risco e R3 o de maior risco. Na análise dos dados foram encontrados 24 indivíduos em R3, 8 em R2 e 12 em R1, com predomínio de comorbidades como: >70 anos, ser acamado, hipertensão e analfabetismo. Conclusão: Esse estudo permite uma visão sobre a situação dos pacientes submetidos à VD para a realização do planejamento em saúde do município, organizando as devidas prioridades na estratégia saúde da família.

Keywords


Vulnerabilidade em Saúde. Medicina Preventiva. Sistema Único de Saúde

References


Tocci ASS; Costa ECNF. A gestão em saúde após a Política Nacional de Humanização no Sistema Único de Saúde–SUS. Revista Uningá.[internet] 2018 [acesso em 14 maio.2019]; 40, (1):197-206 Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20140714_165208.pdf

Nascimento AGD; Cordeiro JC. Núcleo Ampliado De Saúde Da Família E Atenção Básica: Análise Do Processo De Trabalho. Trabalho, Educação e Saúde. 2019[ acesso em 06 jan. 2020];17(2) Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1981-77462019000200502&lng=pt&nrm=iso https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00194.

Costa RPD; Misoczky MC; Abdala PRZ. Do dilema preventivista ao dilema promocionista: retomando a contribuição de Sérgio Arouca. Saúde em Debate, [internet] 2018 [acesso 19 abr. 2019] ; 42, 990-1001.Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42n119/0103-1104-sdeb-42-119-0990.pdf

Rocha CR. O Estudo Do Princípio Da Subsidiariedade E A Importância Do Poder Local Para O Desenvolvimento Do Sistema Único De Saúde–SUS. Seminário Nacional Demandas Sociais e Políticas Públicas na Sociedade Contemporânea,[internet] 2016 [acesso em 04 abr.2019]; Disponível em: https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/snpp/article/view/14617

Lima RDCGS; Gripa DW; Batista N. Pesquisando em setting de saúde: análise ético-política da média complexidade do SUS na Mesorregião Oeste, Santa Catarina, Brasil. [internet] CIAIQ2018, 2,

Barros FPCD; Sousa MFD. Equidade: seus conceitos, significações e implicações para o SUS. Saúde e Sociedade. [internet] 2016; [acesso em 10 maio. 2019] 25(1): 9-18. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902016000100009&lng=en. https://doi.org/10.1590/S0104-12902016146195.

Ferreira J S; Filgueiras ARB; Cazola LHO. Equidade Na Distribuição De Sanitaristas Formados Para Atuar No SUS. Revista de Atenção à Saúde (antiga Rev. Bras. Ciên. Saúde), 2018; 16, (56):63-69, . ISSN 2359-4330

Porto LFG. Gastos tributários e o financiamento do SUS: os efeitos sobre a equidade e o modelo de atenção à saúde [internet] 2017.[acesso em 12 abr.2019] Disponível em: http://repositorio.esp.mg.gov.br/

Raeesi P. et al. Effects of private and public health expenditure on health outcomes among countries with different health care systems: 2000 and 2014. Medical journal of the Islamic Republic of Iran, 2018; 32(1): 35 Available from.:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6108280/

Kalichman A O; Ayres JRDCM. Integralidade e tecnologias de atenção à saúde: uma narrativa sobre contribuições conceituais à construção do princípio da integralidade no SUS. Cad. de Saúde Pública [internet]. 2016; (cited 2019 jun 26]. 32( 8 ): e00183415. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2016000803001&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00183415

Assis ASD; Castro-Silva CRD. Agente comunitário de saúde e o idoso: visita domiciliar e práticas de cuidado. Physis: Revista de Saúde Coletiva [internet] 2018 [acesso em 22 abr. 2019];. 28, e280308, Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/physis/v28n3/0103-7331-physis-28-03-e280308.pdf

De Pontes APM. et al. As Fragilidades Do Princípio De Universalidade Percebidas Pelos Usuários Do Sus: Uma Questão De Equidade. Saber Digital[internet] 2018; [acesso em 12 jun.2019]; 11 (1):. 36-48, . Disponível em: http://revistas.faa.edu.br/index.php/SaberDigital/index

Savassi LCM. Os atuais desafios da Atenção Domiciliar na Atenção Primária à Saúde: uma análise na perspectiva do Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade,[internet].2016 [acesso em 24 abr. 2019];11,(38):1-12 .Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1259

Conceição J FD; Alves AMCV. A visita domiciliar no cuidado a Estratégia de Saúde na Família. [internet] 2018. [acesso em 28 abr.2019] Disponível em:http://www.repositorio.unilab.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/1125

Barbosa D.C. et al. Visita domiciliar sob a percepção dos usuários da estratégia saúde da família. Medicina (Ribeirão Preto. Online),2016 [acesso em 26 abr. 2019]49(4):360-366 ISSN 2176-7262. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/2016/vol49n4/DMT-Visita-domiciliar-sob-a-percepcao-dos-usuarios-da-ESF.pdf

Gomes MFP; Fracolli LA; Machado BC. Atenção domiciliar do enfermeiro na estratégia saúde da família. O mundo da saúde, 2015. [acesso em 26 jun. 2019] 39(4): 470-5,. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/155572/A08.pdf

Rocha KB. et al. A visita domiciliar no contexto da saúde: uma revisão de literatura. Psic, Saúde & Doenças[internet] 2017.[acesso em 03 jun.2019].(1) 18: 170-85.Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000100015&lng=pt. http://dx.doi.org/10.15309/17psd180115.

Bresolini DSR. et al. A visita domiciliar como prática de ação integral à saúde da criança e do adolescente. Rev Med Minas Gerais, [internet] 2017. 27(3):25-32, Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/203c/239b0760adc470b57b2d9a21af189165beab.pdf

Tonelli SQ. et al. Ferramentas de abordagem familiar: um estudo de caso no contexto da estratégia saúde da família. Unimontes Científica,[internet]2018[acesso em 22 maio 2019];20(1): 23-39, Disponível em: http://www.ruc.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/624

Moura FMN. et al. Aplicação Da Escala De Risco Familiar Na Atenção Básica. Extensão em Ação,[internet] 2016.[acesso em 14 jun 2019];1(10):33-42. Disponível em http://www.periodicos.ufc.br/extensaoemacao/article/view/3831

Coelho FLG; Savassi LCM. Aplicação de Escala de Risco Familiar como instrumento de priorização das Visitas Domiciliares. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade,[internet]2004.[acesso em 14 abr.2019]; 1( 2):19-26. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/104

Costa EVS. et al. Salud Mental en Atención Primaria: taller de herramientas de enfoque familiar.[internet] 2018. ISSN 1138-728. https://culturacuidados.ua.es/article/view/2018-n51-saude-mental-na-atencao-primaria-tecendo-ferramentas-de-abordagem-familiar DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2018.51.15

Carvalho JADS. Utilização da escala de risco familiar de Coelho-Savassi na organização das visitas domiciliares da ESF Jardim de Viga. 2017. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/7993

Bezerra ACV; Bitoun J. Metodologia participativa como instrumento para a territorialização das ações da Vigilância em Saúde Ambiental. Ciência & Saúde Coletiva, 22(1):3259-68, 2017. DOI: 10.1590/1413-812320172210.17722017

Raksa VP; Oliveira AG; Silva CL. Governança pública em saúde e os vazios assistenciais–Territorialização para o planejamento e ações do Estado. Informe GEPEC,2016.[internet].20(2):10-27. Disponível em:http://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/14459

Andrade IM. Territorialização da Atenção Primária à Saúde: avaliação e perspectivas no município de Santo Antônio de Jesus, Bahia. [internet]2015. http://tede2.uefs.br:8080/handle/tede/534

Gomes SB, et al. Abordagem e condutas básicas na atenção primária. 1ª ed. Goiânia: Editora Espaço Acadêmico. 2019.

Kowalski C.et al. Visita domiciliar a idosos: uma revisão narrativa. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, [internet]2019. [acesso em 12 abr.2019]16(1):149-50,

Santos GS; Cunha ICKO. Visita domiciliar a idosos: características e fatores associados. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro [internet] 2017. [acesso em 14 jun. 2019];7:e1271. https://doi.org/10.19175/recom.v7i0.1271




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-344

Refbacks

  • There are currently no refbacks.