Frequência de dengue na Região de Integração de Carajás, Pará, Brasil, entre os anos de 2009 a 2019/ Dengue frequency in the Carajás Integration Region, Pará, Brazil, between the years 2009 and 2019

Matheus Rodrigues Nunes, Abigail Silva dos Santos, Amanda Gabriele Oliveira Xavier, Bianca da Silva Cardoso, Elaize do Carmo Santos, Vitória Maria Oliveira do Nascimento, Glaucielen Gomes da Silva, Jorianne Thyeska Castro Alves

Abstract


A região de integração de Carajás é caracterizada pelo intenso fluxo de migração e crescimento acentuado de centros urbanos, com déficit de saneamento básico e infraestrutura. Devido a esses fatores, é considerada região de alto risco para a incidência da dengue. Esta pesquisa objetiva analisar a frequência de casos de dengue, no período de 2009 a 2019, nos municípios da região de integração de Carajás, Pará, Brasil. Para isso, foi feito um estudo epidemiológico acerca dos casos de dengue utilizando os dados do SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação). As variáveis consideradas foram os municípios de notificação, sexo, faixa etária e escolaridade. O total de casos de dengue notificados nesse período, na região de Carajás, foi 15.435. A faixa etária com maior número de notificações foi de 20 a 39 anos, as maiores frequências foram nos municípios de Parauapebas e Marabá e o período de maior incidência da doença foi entre os meses de fevereiro e março, época de grande volume de chuva no local. O vasto número de dados ignorados destaca a necessidade de atualização do sistema de informação e preparo dos agentes responsáveis. As características climáticas da região amazônica favorecem o desenvolvimento de arboviroses e a dinâmica entre os fatores ambientais e o vetor indicam o caráter multifatorial da doença.


Keywords


Dengue, Aedes aegypti, Estudo epidemiológico.

References


ALVES, E. O.; QUEIROZ, B. F. P.; OLIVEIRA, N. M.; LUZ, R. A. da. Região de integração dos Carajás - Pará: uma análise regional. ACTA Geográfica, Boa Vista, v.12, n.30, p. 150-171, set./dez. de 2018.

ANDRIOLI, D. C.; BUSATO, M. A. LUTINSKI J. A. Características da epidemia de dengue em Pinhalzinho, Santa Catarina, 2015-2016. Epidemiol Serv Saúde, vol. 29, n. 4, 2020.

ARAÚJO, V. E. M.; BEZERRA, J. M. T.; AMÂNCIO, F. F.; PASSOS, V. M. A.; CARNEIRO, M. Aumento da carga de dengue no Brasil e unidades federadas, 2000 e 2015: análise do Global Burden of Disease Study 2015. Rev Bras Epidemiol., v. 20, (suppl. 1), p. 205-216, mai. 2017.

AYRES, M.; AYRES Jr, M.; AYRES, D. L.; SANTOS, A. A. S. Bioestat 5.0 aplicações estatísticas nas áreas das ciências biológicas e médicas. Belém: IDSM, 2007. 364p.

BRASIL. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Série C. Projetos, Programas e Relatórios. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 82p. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas.

CHAVES, E. C.; COSTA, S. V.; FLORES, R. L. dos R.; BERNARDES, A. C. Condições de vida populacional e incidência de dengue no estado do Pará, Brasil. Para Res Med J, v. 2, n. 1-4, 2018.

DANTAS, S.; SOUSA, C. L. de; ERNANDES, B. G. da R.; OLIVEIRA, W. L. de; SALVADOR JUNIOR, G.; OLIVEIRA, J. da S.; RAMOS, W. C. P.; SOUZA, A. V. de A.; VIANA, T. C. T. Dengue: perfil epidemiológico dos casos notificados no município de Cacoal – RO, na região Amazônica, Brasil, de 2015-2017. REAEnf/EJNC, v. 6, 2020. e5298.

EVANGELISTA, L. S. de M.; OLIVEIRA, F. L. L. de; GONÇALVES, L. M. F. Aspectos Epidemiológicos do Dengue no Município de Teresina, Piauí. BEPA, v. 9, n. 103, p. 32-39, 2012.

FERREIRA, A.C.; CHIARAVALLOTI-NETO, F.; MONDINI, A. Dengue em Araraquara,SP: epidemiologia, clima e infestação por Aedes aegypti. Rev Saúde Pública, v. 52, n. 18, 2018.

GONÇALVES, W. B. C; SILVA F. C. S.; MILHOMEM C. H. C; VASCONCELOS M. M. R. V.; SILVEIRA J. M.; PITA D. F. Q; D’ALESSANDRO W. B; BRITO A. K. L. Análise de aspectos epidemiológicos da dengue no estado do Tocantins. Rev de Patologia Do Tocantins, v. 6, n. 4, p. 13–19, 2019.

GUIMARÃES, L. M.; CUNHA, G. M. da; Diferenças por sexo e idade no preenchimento da escolaridade em fichas de vigilância em capitais brasileiras com maior incidência de dengue, 2008-2017. Cad. Saúde Pública, v. 36, n. 10, 2020. e00187219.

HONORATO, T.; LAPA, P. P. de A.; SALES, C. M. M.; REIS-SANTOS, B.; TRISTÃO-SÁ, R.; BERTOLDE, A. I.; MACIEL, E. L. N. Análise espacial do risco de dengue no Espírito Santo, Brasil, 2010: uso de modelagem completamente Bayesiana. Rev Bras Epidemiol, SUPPL D.S.S., p. 150-159, 2014.

LAGUARDIA, J.; DOMINGUES, C. M. A.; CARVALHO, C.; LAUERMAN, C. R.; MACÁRIO, E.; GLATT, R. Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan): desafios no desenvolvimento de um sistema de informação em saúde. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 13, n. 3, p. 135 - 147, 2004.

LOPES, T. M. R.; VENTURA, M. R. da S.; GUIMARÃES, R. J. de P. S. e; GUIMARÃES, L. H. R. Situação epidemiológica da malária em uma região de Garimpo, na região da Amazônia brasileira, no período de 2011 a 2015.REAS/EJCH, v. 25, 2019. e759.

MORAES, B. C. de; SOUZA, E. B. de; SODRÉ, G. R. C.; FERREIRA, D. B. da S.; RIBEIRO, J. B. M.Sazonalidade nas notificações de dengue das capitais da Amazônia e os impactos do El Niño/La Niña. Cad. Saúde Pública. v. 35, n.9, 2019.

PEREIRA, P. A. S.; MARTINS, A. C. C. T.; SOUZA, E. R. de O.; PONTES, A. N. Perfil epidemiológico da dengue em um município do norte brasileiro: uma análise retrospectiva. Research, Society and Development, v. 9, n. 12, 2020.

SANTOS, M. M. dos; SANTOS, R. I. de O.; UEHARA, S. C. da S. A. Perfil epidemiológico da dengue: subsídios para os serviços de saúde. Revista Recien., São Paulo. v. 10, n. 30, p. 117-128, 2020.

SANTOS, N. S. O.; ROMANOS, M. T. V.; WIGG, M. D. Virologia humana. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

SILVA, E. T. C. da; OLINDA, R. A.; PACHÁ, A. S.; COSTA, A. O.; BRITO, A. L.; PEDRAZA, D. F. Análise espacial da distribuição dos casos de dengue e sua relação com fatores socioambientais no estado da Paraíba, Brasil, 2007-2016. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 44, n. 125, p. 465-477, abr-jun 2020.

SILVA, M. A. da; SILVA, A. R. S. Perfil epidemiológico da dengue no Brasil: revisão integrativa. Recife: Repositório Institucional Tiradentes, 2017.

TEIXEIRA, M. da G.; COSTA, M. da C. N.; BARRETO, M. L.; MOTA, E. Dengue and dengue hemorrhagic fever epidemics in Brazil: what research is needed based on trends, surveillance, and control experiences? Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, p. 1307-1315, set-out, 2005.

ZIMMER, N. Dengue: Doença Proveniente de Problemas Ambientais. Santa Maria: Manancial, 2018. 46 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-326

Refbacks

  • There are currently no refbacks.