A permanência da desnutrição infantil em escolares do Norte Pioneiro do Paraná após transição nutricional: um Estudo Longitudinal de 5 anos / The permanence of child malnutrition in school children from the Pioneer North Of Paraná after nutritional transition: a 5-year Longitudinal Study

Caroline Coletti de Camargo, Isabela Bozelli, Francine Kazue Tome, Ana Carolina de Jacomo Claudio, Berlis Ribeiro dos Santos Menossi

Abstract


INTRODUÇÃO: A classificação da composição corporal é importante para a avaliação e controle das razões corporais, tornando-se fundamental em crianças, uma vez que o diagnóstico precoce de doenças nutricionais pode auxiliar na sua prevenção e tratamento. OBJETIVOS: Verificar a presença e prevalência da desnutrição infantil segundo quatro métodos de classificação da composição corporal em escolares matriculados de 2015 a 2019 em três cidades do norte pioneiro do Paraná. MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de um estudo longitudinal que ocorreu de 2015 a 2019, realizado com os dados biométricos de escolares com idade superior a 5 anos, contidos no Sistema Estadual de Registro Escolar das escolas municipais de três cidades do norte pioneiro do Paraná, sendo realizado um rastreamento da composição corporal, por meio de quatro métodos de classificação internacionais e nacional. RESULTADOS: Há presença de desnutrição em todos os anos acompanhados, com destaque para o GF no método de classificação proposto por Cole e Lobstein, no ano de 2016. Entre os métodos analisados, Cole e Lobstein e Conde e Monteiro apresentaram maior discrepância. CONCLUSÃO: O método de Cole e Lobstein superestima a desnutrição em relação aos outros métodos, podendo ser utilizado para prevenção e tratamento precoce desta doença. Enquanto o método de Cole e Lobstein subestima a desnutrição, deixando menores percentuais. Portanto, é indicado considerar aspectos diferentes de cada um dos grupos feminino e masculino, e depois escolher um método de classificação corporal.

 


Keywords


Transtornos da Desnutrição Infantil, Deficiências Nutricionais, Doenças Nutricionais e Metabólicas.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Atendimento da Criança com Desnutrição Grave em Nível Hospitalar. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2005. ISBN: 85-334-0952-4.

COLE, Timothy J.; LOBSTEIN, Tim. Extended international (IOTF) body mass index cut‐offs for thinness, overweight and obesity. Pediatric obesity, v. 7, n. 4, p. 284-294, 2012.

CONDE, Wolney L.; MONTEIRO, Carlos A. Body mass index cutoff points for evaluation of nutritional status in Brazilian children and adolescents. J Pediatr (Rio J), v. 82, n. 4, p. 266-72, 2006.

D'ANGELIS, Franciele Gonçalves Dias; DINIZ, Jordânia Castanheira. Transição nutricional em crianças de 5 a 9 anos no estado de minas gerais: uma análise através do programa SISVAN. Revista Brasileira de Ciências da Vida, v. 5, n. 2, 2017.

FRAGA, Jeovane Alberto Alves; VARELA, Danielle Santiago da Silva. A relação entre a desnutrição e o desenvolvimento infantil. Revista da Associação Brasileira de Nutrição-RASBRAN, v. 4, n. 1, p. 59-62, 2012.

LANG, Regina Maria Ferreira; NASCIMENTO, Anelise Noronha do; TADDEI, José Augusto de Aguiar Carrazedo. A transição nutricional e a população infanto-juvenil: medidas de proteção contra o marketing de alimentos e bebidas prejudiciais à saúde. Nutrire, v. 34, n. 3, p. 217-29, 2009.

MASCARENHAS, Luis PG et al. Ponto de corte para o índice de massa corporal em adolescentes: comparação com padrões de referência nacionais e internacional. Journal of Human Growth and Development, v. 21, n. 3, p. 798-807, 2011.

MONTEIRO, Carlos Augusto. A dimensão da pobreza, da desnutrição e da fome no Brasil. Estudos avançados, v. 17, n. 48, p. 7-20, 2003.4

MOREIRA, Naiara Ferraz et al. Tendências do estado nutricional de crianças no período de 2008 a 2015: dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan). Cadernos Saúde Coletiva, v. 28, n. 3, p. 447-454, 2020.

ONIS, Mercedes de et al. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bulletin of the World health Organization, v. 85, p. 660-667, 2007.

PIRES, Ana Carolina Lucena et al. Um olhar para as experiências de Alimentação e Nutrição do Prêmio APS Forte. APS EM REVISTA, v. 2, n. 3, p. 285-297, 2020.

RECINE, Elisabetta; RADAELLI, Patrícia. Obesidade e Desnutrição. Brasília NUT/FS/UnB – ATAN/DAB/SPS/MS.

SOUZA, Elton Bicalho. Transição nutricional no Brasil: análise dos principais fatores. Cadernos UniFOA, v. 5, n. 13, p. 49-53, 2017.

XAVIER, Ermínia Elizandra Torres et al. Transição Nutricional em escolares da Zona da Mata e Agreste de Pernambuco segundo indicadores antropométricos do estado nutricional. Mundo saúde (Impr.), p. [306-314], 2017.

Z;, K. R. O. C. G. S. G.-S. L. F. K.; Mei Z; Curtin LR; Roche AF; Johnson CL. 2 CDC growth charts for the United States: Methods and development. National Center for Health Statistics. Vital Health Statistics, [s. l.], v. 11, n. 246, p. 1–27, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-323

Refbacks

  • There are currently no refbacks.