Humor, atemporalidade, hiperlocalismo: as particularidades da série Singular, de Zero Hora, no contexto do jornalismo de comunicação / Humor, timelessness, hyperlocalism: the particularities of Zero Hora's Singular series, in the context of communication journalism

Guilherme Jancowski de Avila Justino

Abstract


Considerando o contexto contemporâneo como parte de um paradigma do jornalismo de comunicação (CHARRON; DE BONVILLE, 2016), este artigo analisa as peculiaridades das reportagens da série Singular, publicada no caderno DOC do jornal Zero Hora. Marcada por textos diferenciados das demais notícias do veículo, a série demonstra uma quebra das convenções jornalísticas (LANDOWISKI, 1992) praticadas pela própria empresa. Para a análise, foram selecionadas quatro reportagens publicadas em 2017 e 2018; como metodologia, recorre-se à pesquisa bibliográfica (STUMPF, 2006). Conclui-se, com base na economia política da comunicação, que há claros aspectos comerciais, além dos jornalísticos, nessa iniciativa, que busca atrair leitores mostrando-se hiperlocal e pouco convencional, de forma que expõe interesses, por parte da empresa, que marcam o jornalismo como negócio (MEDINA, 1988).


Keywords


jornalismo de comunicação, hiperlocalismo, imprensa, economia política da comunicação, Zero Hora

References


AGUIAR, Leonel Azevedo de; BARSOTTI, Adriana. O silêncio das home pages: perda de audiência e mudanças nas rotinas produtivas em jornalismo. Parágrafo, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 178–187, jan./jun. 2017.

ANJ. Zero Hora terá edição impressa de fim de semana e nova edição digital no domingo. Associação Nacional de Jornais, 2016. Disponível em: . Acesso em: 4 jul. 2019.

BADIA, Lluís; CLUA, Anna. Utopias frágeis: imprensa livre e democracia, segundo Walter Lippmann. In: MAROCCO, Beatriz; BERGER, Christa (Orgs.). A era glacial do jornalismo: teorias sociais da imprensa. Vol. 2. Porto Alegre: Sulina, 2008, p. 117-134.

CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. 1ª ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

CHARRON, Jean; DE BONVILLE, Jean. Natureza e transformação do jornalismo. Florianópolis: Insular; Brasília: FAC Livros, 2016.

FARIA, Nídia Sofia. Jornalismo literário: um olhar histórico para o género e suas características. Comunicação pública, Lisboa, n. Especial 01E, p. 29–44, 2011.

FILHO, Ciro Marcondes. O capital da notícia: jornalismo como produção social da segunda natureza. São Paulo: Ática, 1986.

FONSECA, Virginia Pradelina da Silveira. A economia política e os estudos de comunicação. Verso e Reverso, São Leopoldo, v. 21, n. 48, p. 1–14, 2007.

FONSECA, Virginia Pradelina da Silveira. Indústria de notícias: capitalismo e novas tecnologias no jornalismo contemporâneo. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

GLEICH, Marta. Um conteúdo singular. GaúchaZH, 2017. Disponível em: . Acesso em 29 jun. 2019.

HIPERLOCALISMO é tendência no jornalismo. Coletiva.net, 2008. Disponível em: . Acesso em: 6 jul. 2019.

JACOBSEN, Michael Hviid; TESTER, Keith. Introdução. In: BAUMAN, Zygmunt. Para que serve a Sociologia: Diálogos com Michael Hviid e Keith Tester. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. 1ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2015, p. 11-15.

JUSTINO, Guilherme Jancowski de Avila; FERRARETTO, Luiz Artur. “Você vê. Você lê. Você ouve”: a convergência entre rádio, on-line e jornal em GaúchaZH. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - Intercom, 42., 2019, Belém – PA. Anais... Belém: 2019.

LANDOWISKI, Eric. A opinião pública e seus porta-vozes. In: LANDOWISKI, Eric (Org.). A sociedade refletida. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: EDUC/Pontes, 1992.

LIPPMANN, Walter. Opinião pública. Tradução de Jacques A. Wainberg. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

MEDINA, Cremilda. Notícia, um produto à venda: jornalismo na sociedade urbana e industrial. 2. ed. São Paulo: Summus, 1988.

MEDITSCH, Eduardo; SPONHOLZ, Liriam. Prefácio: bases para uma Teoria do Jornalismo 2.0. In: GROTH, Otto. O poder cultural desconhecido: fundamentos da Ciência dos Jornais. Petrópolis: Vozes, 2011, p. 9-25.

MELO, Itamar. Pérolas dos porcos. Zero Hora, Porto Alegre, 20 mai. 2017. DOC, p. 3-7.

MELO, Itamar. Rastros do além. Zero Hora, Porto Alegre, 6 jan. 2018. DOC, p. 14-19.

MOSCO, Vincent. Repensando e renovando a economia política da informação. Perspectivas em ciência da informação, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, p. 97–114, 1998.

MOSCO, Vincent. The political economy of communication. 2. ed. London: SAGE Publications, 2009.

PORCIÚNCULA, Bruna. Onde fica o Cafundó. Zero Hora, Porto Alegre, 28 jul. 2018. DOC, p. 21.

SCIREA, Bruna. Morangos musicais. Zero Hora, Porto Alegre, 12 ago. 2017a. DOC, p. 14-17.

SCIREA, Bruna. O Projac da colônia. Zero Hora, Porto Alegre, 18 fev. 2017b. DOC, p. 4-7.

STUMPF, Ida Regina C. Pesquisa bibliográfica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006. p. 51–61.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: porque as notícias são como são. 3. ed. Florianópolis: Insular, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-240

Refbacks

  • There are currently no refbacks.