Coprodutos do queijo tipo muçarela: viabilidade de aproveitamento artesanal / Co-products from muzzarella cheese: viability of artisanal utilization

Paulo Henrique Silva de Oliveira

Abstract


Considerando-se o aproveitamento e o destino industrial do escaldo gerado na produção do queijo tipo muçarela e procurando minimizar o impacto ambiental produzido por este efluente de indústria quando simplesmente é despejado em rios, lagos ou oceanos, o presente trabalho teve como objetivo mostrar seu potencial enquanto coproduto alimentício em função de seus constituintes nutricionais que, vias de regra, são disperdiçados nas indústrias de laticínios. Para tanto, foram procedidas análises da composição do escaldo do muçarela em termos de acidez, pH, e glicídeos (conforme BRASIL, 2005); proteínas totais (método de Kjeldahl); percentual de gordura pelo método de Bligh-Dyer, pH (peagâmetro) e acidez titulável (método de Dornic). As análises foram desenvolvidas no Laboratório de Análises Físico- químicas de Alimentos do Instituto Federal Fluminense Campus Bom Jesus do Itabapoana. Os resultados encontrados no presente trabalho para teores de gordura e protéinas no escaldo do muçarela foram maiores do que aqueles dados citados por outros pesquisadores em relação à água da filagem. Em contrapartida, valores de pH e acidez titulável foram menores. Tais resultados permitem sugerir o uso do escaldo do muçarela na indústria alimentícia em função da composição encontrada neste coproduto ser de considerável valor nutricional. Outrossim, estaria contribuindo para a redução de poluentes na natureza, a partir do uso desse coproduto na produção de bebidas lácteas, indústrias de panificação e de confeitarias.


Keywords


Queijo tipo muçarela, Coproduto, Escaldo

References


ALMEIDA, K. E., BONASSI, I. A., & ROÇA, R. O. (2001). Características Físicas e Químicas de Bebidas Lácteas Fermentadas e Preparadas Com Soro de Queijo Minas Frescal. Food Science and Technology, 21(2), 187-192. https://dx.doi.org/10.1590/S0101-20612001000200012

ANDRADE, C. M.; BOECHAT, J. U. D.; TONINI, C. B. Avaliação dos parâmetros físico- químicos nas etapas de fermentação e filagem do queijo tipo muçarela. In: XIII CONGRESSO BRASILEIRO DE HIGIENISTAS DE ALIMENTOS, Armação dos Búzios- RJ, 2015.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 16, de 23 de agosto de 2005. Regulamento técnico de identidade e qualidade de bebida láctea. Diário Oficial da União, Brasília, 24 de agosto de 2005.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual de métodos oficiais para análise de alimentos de origem animal / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. – Brasília : MAPA, 2017.

CECCHI, H. M. Fundamentos teóricos e práticos em análise de alimentos. 2. ed. rev. Editora da Unicamp. 2003.

CUNHA, T. M. et al. Avaliação físico-química, microbiológica e reológica de bebida láctea e leite fermentado adicionados de probióticos. Semina: Ciências Agrárias [en linea]. 2008, 29(1), 103-116 [fecha de Consulta 20 de Febrero de 2020]. ISSN: 1676-546X. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=445744087010

DUARTE, T. S.; BARBOSA, L. P. J. de L.; BARBOSA, F. H. F. Avaliação microbiológica para detecção de staphylococcus aureus em quatro marcas de queijo tipo mussarela comercializadas no município de luz, Minas Gerais.Ciência Equatorial,v.1,n.1, p.66-73, 1º Semestre 2011.

FERREIRA, D. N. Influência do uso de retentados de baixo fator de concentração no rendimento e na qualidade da mussarela de reduzido teor de gordura produzida por acidificação direta / Daniela Nunes Ferreira . – Campinas, SP: [s.n.], 2004.

GOMES, J. C.; SILVA, M. H. L.; SILVA, C. O. da. Análise de Alimentos. 2. ed. Viçosa- MG. Funarbe. 2003.

LEITE, M.T. et al. Canonical analysis technique as an approach to determine optimal conditions for lactic acid production by Lactobacillus helveticus ATCC 15009. International Journal of Chemical Engineering, v.2012, ID 303874, 9p, 2012. Disponível em:http://www.hindawi.com/journals/ijce/2012/303874/>. Acesso em: 14 ago. 2012. doi:10.1155/2012/303874.

MONTEIRO, A. A.; PIRES, A. C. dos S.; ARAðJO, E. A. Tecnologia de Produção de Derivados de Leite. Viçosa-MG. Editora UFV. 2011. 74 p.

MOREIRA, G. de M. M. Queijos gorgonzola, prato, parmesão e mussarela: influência do tempo de maturação no perfil de aminas bioativas, aminoácidos livres, textura e características físico-químicas e microbiológicas. 2018. 172 f.Tese (Doutorado) -Programa de Pós-graduação em Ciência de Alimentos, Faculdade de Farmácia da UFMG, Belo Horizonte- MG. 2018.

NETO, L.G.G.; VELOSO, F.P.; PAIVA, R.M.B.; NEVES, M.V.O.; FONSECA, L.M.; SANTOS, W.L.M.

Qualidade físico-química e microbiológica de queijos produzidos no Brasil – revisão. In CONGRESSO NACIONAL DE LATICÍNIOS, 21., 2004. Anais... [S.l.: s.n.], 2004. v. 59, p. 233-236.

PENNA, A.B.; HOFFMANN, F.L.; BOZZETI,V. Caracterização de queijos produzidos no Brasil visando a tipificação. SBCTA. v. 14, p. 3072-3075, 2002.

SILVA, D. J. P. et al. Gerenciamento de resíduos em uma indústria de produtos lácteos. Revista Leite e Derivados. Ano XV. n. 91. Maio/Jun. 2006. p. 26-37.

SILVA, D. J. P. Resíduos na indústria de laticínios. Série Sistema de Gestão Ambiental. Viçosa- MG. Jan. 2011.

SILVA, F. T. Queijo Mussarela. Brasília-DF. Embrapa. 2005.

SILVA, F. T. Queijo mussarela / Fernando Teixeira Silva. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2016. 52 p. : il. color. ; 16 cm x 22 cm. – (Coleção Agroindústria Familiar). ISBN 978-85- 7035-598-0

SILVA, C. O. da; TASSI, E. M. M.; PASCOAL, G. B. Ciência dos alimentos: princípios de bromatologia. Rubio. 2017.

SIQUEIRA, A M. O., MACHADO, E. C. L. & STAMFORD, T. L. M. (2013). Bebidas lácteas com soro de queijo e frutas. Ciência Rural, 43(9), 1693-1700. https://doi.org/10.1590/S0103-84782013000900025

Tabela brasileira de composição de alimentos / NEPA – UNICAMP.- 4. ed. rev. e ampl.. -- Campinas: NEPA- UNICAMP, 2011. 161 p. Inclui referências. Nepa – Núcleo de Estudos e pesquisas em Alimentação. 1. Composição – Alimentos – Tabelas. 2. Alimentos – Brasil. I. Universidade Estadual de Campinas.Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação. III. Título. CDD-641.10981

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Food Research Center (FoRC). Versão 7.1. São Paulo, 2020. [Acesso em: xxxx ]. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca.

ZAVAREZE, E. R.; MORAES, K. S.; SALAS-MELADO, M. L. M. Qualidade tecnológica e sensorial de bolos elaborados com soro de leite. Ciência e Tecnologia dos Alimentos, Campinas, v.30, n.1, p.100-105, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-217

Refbacks

  • There are currently no refbacks.