Saúde dos Policiais Militares: um estudo de revisão / Military Police Health: a review study

Raquel Juliana de Oliveira Soares, Maria Luiza De Barba, Fernanda da Costa Negraes, Laís de Pinho Barroso Bussardes, Monique Silveira Oliveira, Rayane Marques da Costa, Thaís Pinto Coelho de Andrade

Abstract


Introdução: Dentre os fatores de risco responsáveis pelo adoecimento dos policiais militares destacam-se a falta de alimentação balanceada e local apropriado para alimentação, sucateamento das viaturas, convivência com pessoas em situação de vulnerabilidade, extensa carga horária de trabalho, violência verbal e física. Objetivo: Identificar o adoecimento causado pelo trabalho em policiais militares, estabelecendo os fatores de risco que envolvem as principais patologias presentes nesse grupo de trabalhadores. Método: Estudo de revisão integrativa, nas bases SciELO, LILACS, PUBMED e MEDLINE, publicados de janeiro/2009 a dezembro/2019. Resultados: Nove estudos atenderam aos critérios de inclusão. O policial militar está exposto a situações que interferem diretamente na sua saúde. A rotina estressante e carga horária extensa contribuem diretamente para o surgimento de fatores de risco de determinadas doenças. Além do desenvolvimento de doenças relacionadas ao ambiente de trabalho, estudos demonstram a vitimização dos policiais em seu período de folga. Em relação ao adoecimento de policiais do sexo feminino, a principal queixa se deu ao estresse ocupacional e sua conciliação com tarefas domiciliares. Conclusão: Contemplar a saúde do policial no Brasil não se limita a oferecer serviços de suporte e estrutura, mas melhores condições de trabalho, assim como o investimento na saúde da população como um todo.


Keywords


Saúde do trabalhador, Policiais, Determinantes Sociais da Saúde.

References


MINAYO MCS, ASSIS SG, OLIVEIRA RVC. Impacto das atividades profissionais na saúde física e mental dos policiais civis e militares do Rio de Janeiro (RJ, Brasil). Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2011 Apr; 16(4): 2199-2209. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000400019 &lng =em

TODESCHINIA R, CODOA W. Uma revisão crítica da metodologia do nexo técnico epidemiológico previdenciário (NTEP). 2010. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2013/v37n2/a4456.pdf

CALAMITA Z, FILHO CRS, CAPPUTTI PF. Fatores de risco para doenças cardiovasculares no policial militar. Revista Brasileira de Medicina de Trabalho. 2010. Disponível em: http://www.rbmt.org.br/details/134/pt-BR/fatores-de-risco-para-doencas-cardiovasculares-no-policial-militar

JESUS GM, MOTA NM, JESUS EFA. Risco cardiovascular em policiais militares de uma cidade de grande porte do Nordeste do Brasil. Rev. Bras. Ciênc. Esporte [Internet]. 2014 Sep; 36( 3 ): 692-699. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32892014000300692&lng=en.

SILVA DA, LIMA VS, GÓES, ALB. Proporção de doenças musculoesqueléticas em membros inferiores nos integrantes da polícia militar do Estado da Bahia. Revista Pesquisa em Fisioterapia, 2(1). 2012. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/fisioterapia/article/view/84.

SOUZA ER, MINAYO MCS, SILVA JG, PIRES TO. Fatores associados ao sofrimento psíquico de policiais militares da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2012 July; 28(7): 1297-1311.

BERNARDO LD, NEVES EB. Fatores de risco para perda auditiva em militares da Marinha: uma revisão. Rev. bras. saúde ocup. [online]. 2021, vol.46, e7. Available from: .

MARTINS WEB, LORETO MDS, BIFANO ACS, MONTOYA DYH. O cenário do trabalho do Policial Militar: espacialização e reflexos no adoecimento funcional. Brazilian Journal of Development. v.7, n.3. 2021. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/ article/view/26596/21086

SALES LJM, SÁ LD. A condição do policial militar em atendimento clínico: uma análise das narrativas sobre adoecimento, sofrimento e medo no contexto profissional. Revista Pós Ciências Sociais. 2016. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/ index.php/rpcsoc/article/view/4279.

OLIVEIRA PLM, BARDAGI MP. Estresse e comprometimento com a carreira em policiais militares. Bol. psicol [online]. 2009, vol.59, n.131, pp. 153-166. Disponível em: .

ASCARI R, DUMKE M, DACOL P, JUNIOR S, SÁ CLL. Prevalência de risco para Síndrome de Burnout em policiais militares. Cogitare Enfermagem (2), 21 v. 21, n. 2. 2016. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/44610.

FONSECA LSO, VIEIRA, LTQ, FONSECA JA, FONSECA MOS, DAHER VB, FERNANDES EJM, GUIMARÃES VC, AMARAL WN. Burnout e a Atividade Policial Militar. Brazilian Journal of Development. v.6, n.12. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/21452/17118

MARCONDES PC, LAAT EF. Segurança pública: qualidade de vida no trabalho como direito fundamental para eficiência do sistema. Brazilian Journal of Development. v.7, n.1. 2021. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/2 2765/18248

BEZERRA CM, MINAYO MCS, CONSTANTINO P. Estresse ocupacional em mulheres policiais. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2013. Mar; 18(3): 657-666. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232013000300011&lng=en

BORGES AA. Polícia e saúde: entrevista com o Diretor Geral de Saúde da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2013. 18(3): 677-679. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232013000300013&lng=en.

PEREIRA GK, MADRUGA AB, KAWAHALA E. Suicídios em uma organização policial-militar do sul do Brasil. Cad Saúde. Colet, 2020;28(4):500-509. Disponivel em: https://www.scielo.br/pdf/cadsc/v28n4/1414-462X-cadsc-1414-462X202028040562.pd

CARVALHO LOR, PORTO RM, SOUSA MNA. Sofrimento psíquico, fatores precipitantes e dificuldades no enfrentamento da síndrome de Burnout em policiais militares. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 3, n. 5, p. 15202-15214 set./out. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-184

Refbacks

  • There are currently no refbacks.