Microbiological analysis of the waters of the Parnaíba river in the urban area of Floriano/ PI: a focus for environmental education / Análise microbiológica das águas do rio Parnaíba na zona urbana de Floriano/ PI: um foco para a educação ambiental

Gardjany da Costa Moreira, Gleidiany da Costa Moreira

Abstract


The water plays an important role in the life of living beings, because it is through water that societies develop and grow. However, its quality has been affected on a daily basis.  Thus, this research aims to evaluate the microbiological quality of the waters of the Parnaíba River in the urban area of Floriano city, through microbiological techniques for fecal and total coliforms and E. coli, besides making an environmental education work with students at Fauzer Bucar High School about the importance of water and the need to preserve it. The methodology used the Colillert system and also the reading of the Most Probable Number (MPN) through the technique of multiple tubes in cultures. The results showed that the waters of Parnaíba River do not meet the pre-established standards, because they showed in some points rates equal and above 1100 MPN. So, it was concluded that, due to the river contamination, it is necessary to take measures to improve the conditions of the place, joining public policies and the participation of the population in order to preserve this ecosystem.


Keywords


Microbiological Analysis, Environmental education, Quality of life.

Full Text:

PDF

References


ALMEIDA RMAA. Qualidade Microbiológica do Córrego “Ribeirão dos Porcos” no Município do Espírito Santo do Pinhal – SP. Eng. Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v.1, n.1, p. 051-056, jan./dez., 2004.

BRASIL, FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE E O ECOTURISMO DO ESTADO DO PIAUÍ – FUNPAPI. 2013. Disponível em: http://www.mma.gov.br, acesso em: 02/11/15.

_______. Ministério do Meio Ambiente (MMA). Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. http://www.mma.gov.br Acesso em: 05/01/2016.

_______. Ministério da Saúde. Portaria MS n.º 518/2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br. Acesso em: 05/01/2016.

_______. Ministério da Educação. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/ Secretaria de educação básica. (Orientações curriculares para o ensino médio) v.2, p. 137, a. 2008.

_______. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) - Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 05/01/2016.

BRASIL. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico. Brasília: IBGE, 2018. Disponível em: //www.ibge.gov.br, acesso em: 05/01/18.

BUZANELLO EB. “Determinação de Coliformes Totais e Termotolerantes na Água do Lago Municipal de Cascavel, Paraná”. Revista Brasileira de Biociências. Porto Alegre, v. 6, n. 1, p. 59-60, 2008.

CALISTTO M; FERREIRA WR; MORENO P; GOULART M.; PETRUCI M. Aplicação de um protocolo de avaliação rápida da diversidade de habitats em atividades de ensino e pesquisa (MG-RJ). Acta Limnológica Brasileira. v.14. p. 91-98, 2002.

CARVALHO, VFM. Análise da Qualidade das Águas do Rio Parnaíba no Meio Urbano da Cidade De Teresina-PI, Anais do XV Simpósio Luso-Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. 2012. Disponível: http://sis.ufpi.br. Acesso em: 02/04/2016.

CASTRO, EFC. ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS E MICROBIOLÓGICAS DO RIO PARNAÍBA NO PERÍODO CHUVOSO - EM FLORIANO/PI. 2012. 35 f. Monografia (Conclusão do Curso de Bacharel em Farmácia) – Faculdade de Ensino Superior de Floriano – FAESF. Floriano-PI. 2012.

CERVO AL.; BERVIAN PA. Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CUNHA AC;CUNHA HFA;JÚNIOR ACPB; DANIEL LA.; SCHULZ HE. Qualidade microbiológica da água em rios de áreas urbanas e periurbanas no baixo amazonas: o caso do Amapá. Engenharia Sanitária e Ambiental. v. 9, p. 322-328, 2004.

DOZZO ADP. Análise Microbiológica da Qualidade de Água para Consumo Animal. 2011. 74 f. Dissertação (Mestrado em Produção Animal Sustentável)- Instituto de Zootecnia. Nova Odessa-SP. 2011.

HAMADA E; MEDEIROS GA; FILIZOLA, H. F. et al. Workshop sobre Água, Agricultura e Meio Ambiente no Estado de São Paulo: relatos e considerações. Engenharia Ambiental: pesquisa e tecnologia, Espírito Santo do Pinhal, v. 1, n. 1, p. 77-84, 2004.

IDEXX LABORATORIES. Disponível em:www.idexx.com. Acesso em 05/01/ 2016.

JÚNIOR FBF; SILVA MA, SAMPAIO JPS, REIS AS, DUARTE LHS. Avaliação dos parâmetros da balneabilidade no Rio Mearim no município de Bacabal-MA. V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental; 2014 novembro 24-27; Belo Horizonte; MG. BRASIL: IBEAS; 2014. Available from: http://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2014/I-054. pdf.

KÖNIG R; SUZIN CRH; RESTELLO RM; HEPP LU. Qualidade das águas de riachos da região norte do Rio Grande do Sul (Brasil) através de variáveis físicas, químicas e biológicas. Pan-AmericanJournalofAquaticSciences. v. 3, n. 1, p. 84-93, 2008.

LIMA FL. Reportagem: Águas do Parnaíba contaminadas por bactérias resistentes a desinfetantes. Sapiência. ISSN: 1809-0915. Teresina-PI, Setembro de 2011 • Nº 28 • Ano VIII. Disponível em: http://www.fapepi.pi.gov.br. Acesso em: 02/04/16.

LINHARES CL. Influência do reflorestameto na dinâmica da resposta hidrológica na bacia do Rio JI-Paraná/ RO. 2005. 219 f. Tese (Doutorado em Sensoriamento Remoto) – INPE, 2005.

MADRUGA FV; REIS FAGV; GIORDANO LC; MEDEIROS GA. Avaliação da influência do Córrego dos Macacos na Qualidade da Água do Rio Mogi Guaçu, no município de Mogi Guaçu–SP. Engenharia Ambiental. v. 5, p. 152-168, 2008.

MARTINS RF; FROEHNER S. Avaliação da composição química de sedimentos do Rio Barigüi na região metropolitana de Curitiba. Química Nova. v. 38, p. 2010-2020, 2008.

MELO JFM. Diagnóstico da qualidade de água de abastecimento na comunidade de Santa Cruz, em Campos dos Goytacazes (RJ), educação ambiental e alternativas sanitárias. 2010. 122 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental)-Instituto Federal Fluminense. Campos dos Goytacazes, RJ. 2010.

MILLER GT. Ciência Ambiental. 11 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2008. p. 02-12 e 111-112.

MOURA AC; ASSUMPÇÃO RAB; BISCHOFF J. Monitoramento físico-químico e microbiológico da água do Rio Cascavel durante o período de 2003 a 2006. Arquivos do Instituto Biológico. v. 76, n. 1, p. 17-22, 2009.

OLIVEIRA MDQualidade da água em corpos d´água urbanos das cidades de Corumbá e Ladário e no rio Paraguai, MS. Circular Técnica, Corumbá, n.36, p.3- 5, 2002.

PEREIRA PA; LIMA OAL. Estrutura elétrica da contaminação hídrica provocada por fluidos provenientes dos depósitos de lixo urbano e de um curtume no município de Alagoinhas, Bahia. Revista Brasileira de Geofísica, v. 25, n. 1, 2007.

PUPILE T; CARVALHO EM; MONTEIRO PLA. Parâmetros Microbiológicos da Água de Escolas do Município de Rio Brilhante (MS), Segundo a Portaria n° 518. Interbio. v. 4, n.1, p. 41-47. 2010.

RODRIGUES JRDD; JORGE AOC; UENO M. Avaliação da qualidade das águas de duas áreas utilizadas para recreação do rio Piracuama-SP. Revista Biociências, Taubaté, v. 15, n.2, p. 88-94, 2009.

RIBEIRO CM; BEZ-BATTI EC; YAMANE AT; BRUZAMOLIN RH; PASTORIO SC; CHIAMOLERA L; FREITAS-LIDANE, KC. Análise Microbiológica do Rio Belém, Curitiba-PR. Cadernos da Escola de Saúde. Curitiba. v. 02. p. 1-11, 2009.

SANTOS OIB. Identificação e Análise dos Impactos Locais e Regionais da Introdução da Produção de Biodisel no Estado. 2008. 128 f. Dissertação (Mestrado em Agronegócios)-Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Campos de Porto Alegre, RS. 2008.

SOUZA AVV; OLIVEIRA SML. Análise da qualidade da água do rio vermelho em mato grosso: no período de cheia no ano de 2014. Biodiversidade. v.13, n. 2, p. 115-126, 2014.

SOUZA JR; MORAES MEB; SONODA SL; SANTOS HCRG. Artigo a Importância da Qualidade da Água e os seus Múltiplos Usos: Caso Rio Almada, Sul da Bahia, Brasil. Revista Eletrônica do Prodema, v.8, n.1, p. 26-45, 2014.

SILVA RC; ARAÚJO TM. Qualidade da água do manancial subterrâneo em áreas urbanas de Feira de Santana (BA). Ciência & Saúde Coletiva. v. 8, n. 4, p. 1019-1028, 2003.

SIQUEIRA GW; APRIL EF; MIGUÉIS AM. Diagnóstico da qualidade da água do rio Parauapebas (Pará – Brasil). Acta Amazônica. V. 42, n. 3, p. 413 – 422, 2012.

VASCONCELOS FCS; IGANCI JRV; RIBEIRO GA. Qualidade microbiológica da água do rio São Lourenço, São Lourenço do Sul, Rio Grande do Sul. Arquivos do Instituto Biológico, v. 73, n. 2, p.177-181, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-182

Refbacks

  • There are currently no refbacks.