Ictiofauna comercial de Gurupá, Pará / Commercial ichthyofauna in Gurupá, Pará

Miziane de Carvalho Pereira, Ezequiel Pantoja, Cícero Roberto Ribeiro Queiroz, Edith Cibelle Moreira, Janilde Nascimento, Divino Bruno da Cunha, Cleonilde Queiroz

Abstract


A pesca é uma das mais antigas atividades praticadas pelo homem. O pescado é uma das principais fontes de proteínas inserida diariamente no cardápio dos povos da Amazônia. Neste trabalho foram capturadas e identificadas espécies de peixes em Gurupá – PA, município pertencente ao arquipélago do Marajó, localizado na foz do rio Amazonas, o maior arquipélago fluvio-marinho do mundo, com mais de 50.000 Km². Foram coletadas informações sobre os peixes mais importantes comercialmente para a região, durante os anos 2014 e 2015 a partir de vistitas semanais aos mercados de peixes da cidade. Foi registrado 30 espécies, distribuídas em 26 gêneros e 15 famílias. As famílias mais representativas foram Cichlidae e Pimelodidae (6 espécies cada), seguida por Serrasalmidae (4 espécies), por fim Erythrinidae e Pristigasteridae (2 espécies cada) as demais famílias apresentaram uma única espécie de peixe. Tais peixes são conhecidos popularmente como, filhote, pacú, curimatã, mapará, piramutaba, sarda e pirarucu. Como esperado, foi notado uma grande diversidade de espécies comercializadas em Gurupá, pois a Amazônia é conhecida como um hotspots para novas espécies de peixes de água doce. A atividade de pesca é de suma importante para a população gurupaense, assim como para os povos de toda a região Amazônica.


Keywords


Peixes, Pesca, Biodiversidade, Amazônia.

References


Barbosa, L. A.; Diego, C. V.; Queiroz, C. Characterization of artesanal fishing and commercialization of fish in open air markets. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar. Mossoró, v.6, n.19, 2020.

BRASIL. Governo Federal. Grupo Executivo Interministerial. Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável para o Arquipélago do Marajó: resumo executivo da versão preliminar para discussão nas consultas públicas. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007.

Buckup, P. A., Menezes, N. A.; Ghazzi, M. S. (2007). Catálogo das espécies de peixes de água doce do Brasil. Museu Nacional (Brasil)/Rio de Janeiro.

Chicrala, P., Lima, L., Moro, G., Neuberger, A., Marques, E.; Freitas, I. (2015). Peixes comerciais do Tocantins. Brasília, DF: Embrapa.

FAO. (2018). The State of World Fisheries and Aquaculture 2018 - Meeting the sustainable development goals. Rome. Licence: CC BY-NC-SA 3.0 IGO.

Gonçalves, A., Cornetta, A., Alves, F., Campagnoli, F., Aquino, H., Marques, J.; Benatti, J. (2016). A função socioambiental do patrimônio da União na Amazônia / organizador: Fábio Alves . – Brasília : Ipea.

IBGE (2018). Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/gurupa/panorama. Acesso em: 12 dez. 2018.

IEB/Instituto internacional de educação do Brasil. (2011). Regularização fundiária e manejo florestal comunitário na Amazônia: sistematização de uma experiência inovadora em Gurupá-PA/ Instituto Internacional de Educação do Brasil, Federação de Órgãos para assistência Social e Educacional. Brasília: IEB.

Lustosa-Neto, A., Nunes, M., Maia, L., Bezerra, J., Barbosa, J., Lira, P.; Furtado-Neto, M. (2018). A indústria de produtos derivados da pesca e aquicultura. ActaFish,v. 6.n.2: 28-48p.

Nelson, J.S., Grande, T.; Wilson, M.V.H. (2016). Fishes of the World, Fifth Edition. Edition: 5th Publisher: John Wiley & Sons. DOI: 10.1002/9781119174844.

Pereira, M. C.; Torres, J. E. S.; Queiroz, C. Ictiofauna comercial do rio Tocantins: um guia introdutório da sub-bacia 23, Imperatriz – Ma. Educação Ambiental – cenários atuais da saúde ambiental e humana/ Geovanni Seabra (org.). Ituiubata: Barlavento, 2020. p.623-631.

Reis, R., Kullander, S.; Ferraris Jr, C. (2003). Check List of the Freshwater Fishes of South and Central America. Edipucrs. Porto Alegre. Brazil.

Rocha, F. (2007). Produtividade do trabalho e mudança estrutural nas indústrias brasileiras extrativa e de transformação, 1970-2001. Revista de Economia Política, v. 27, n. 2, p. 221- 241, abril-junho.

Rodrigues, J. A.; Giudice, D. S. (2011). A Pesca Marítima Artesanal Como Principal Atividade Socioeconômica: O Caso De Conceição De Vera Cruz, BA. Cadernos do Logepa.v.6, n.2, p.115 -139, jul./dez.

Sachs, I. (2003). Inclusão social pelo trabalho: desenvolvimento humano, trabalho decente e o futuro dos empreendedores de pequeno porte no Brasil. Editora: Garammond. Rio de Janeiro.

Santos, G. M., Jegu, M.; Merona, B. (1984). Catálogo de peixes comerciais do baixo rio Tocantins. Manaus: Eletronorte/CNPq/INPA.

Sousa, A. F. L.; Inhamuns, A. J. (2011). Análise de rendimento cárneo das principais espécies de peixes comercializadas no Estado do Amazonas, Brasil. Acta amazônica, v.41, n.2, p.289 – 296.

Queiroz, L. J., Torrente-Vilara, G., Ohara, W. M., Pires, T. H. S., Zuanon, J., Doria, C. R. C. (2013). Peixes do Rio Madeira. Vol 1, 2, 3. Santo Antonio Energia. São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-125

Refbacks

  • There are currently no refbacks.