O uso de indicadores fisiológicos e bioquímicos para avaliação do desempenho nos exercícios físicos em jovens ativos: uma revisão narrativa/ The use of physiological and biochemical indicators to assess performance in physical exercise in active young people: a narrative review

Jhon Lennon Conceição dos Santos, Tracy Martina Marques Martins, Daniel Mancini de Oliveira, Aníbal Monteiro de Magalhaes Neto, Nayara Costa Araújo

Abstract


A fisiologia do exercício é a área das ciências da saúde e do esporte que estuda os efeitos crônicos e agudos do exercício físico sobre a estrutura e a função dos diversos sistemas orgânicos. A prática de exercícios ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, melhora o fluxo de sangue para o cérebro, ajuda na capacidade de lidar com problemas e com o estresse e na recuperação da autoestima. Os indicadores fisiológicos e bioquímicos pode refletir sobre o perfil metabólico e fisiológico do indivíduo ativo. Contudo, não se recomenda levar em consideração isoladamente os resultados dos indicadores. O presente estudo, pode ser relevante à comunidade científica, levando-os a abarcar novos olhares e novas perspectivas acerca da saúde humana. O objetivo deste estudo foi verificar a importância dos indicadores fisiológicos e bioquímicos utilizados na avaliação do desempenho físico e saúde na prática de exercício físico em jovens adultos. O estudo aqui apresentado categoriza-se em uma revisão narrativa, que consiste em uma investigação teórica mais abrangente do assunto a ser descrito, baseando-se nos dados observados nos diferentes estudos sobre os benefícios do exercício e os principais indicadores fisiológicos e bioquímicos foi possível obervar o quanto esses parâmetros são importantes para a investigação, prevenção, tratamento e/ou reabilitação de diversas patologias.


Keywords


Indicadores Fisiológicos, Indicadores Bioquímicos, Exercício Físico.

Full Text:

PDF

References


ALENCAR, Thiago Ayala Melo di; MATIAS, Karinna Ferreira de Sousa. Princípios fisiológicos do aquecimento e alongamento muscular na atividade esportiva. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, [S.L.], v. 16, n. 3, p. 230-234, jun. 2010.

ARAUJO, N. C.; FRANÇA A, M.; CAMERON L, C.; MAGALHÃES-NETO A, M. Análise de biomarcadores séricos de lesão muscular durante competição de mountain bike. ConScientiae Saúde, v. 15, n. 2, p. 266-272, 2016.

BRITO, Ciro José et al. Exercício físico como fator de prevenção aos processos inflamatórios decorrentes do envelhecimento. Motriz: Revista de Educação Física, [S.L.], v. 17, n. 3, p. 544- 555, set. 2011.

BRITO, A. S.; TAVARES, C. A. E.; TAVARES, L V. M.; SILVA, B. R. A.; PINHEIRO, F. N. L. Análise de parâmetros eletromiográficos em diferentes modalidades esportivas durante a exaustão e após recuperação passiva da fadiga muscular aguda. Braz. J. of Develop., Curitiba, v.6, n.8, p. 63198-63210, 2020.

CERRONE, Leticia Andrade et al. Interdisciplinary Therapy and Decrease of Cardiovascular Overload in Obese Patients. International Journal Of Cardiovascular Sciences, Rio de Janeiro, p. 128-135, 2017.

CONSELHO FEDERAL DE BIOMEDICINA - CFBM. Resolução nº 309, de 17 de julho de 2019. Lei Federal nº 6.684/79. Brasília, DF. Disponível em: https://crbm6.gov.br/novosite/wp- content/uploads/2019/11/resolucao-309.pdf. Acesso em: 08 nov. 2020.

CORDEIRO, Alexander Magno et al. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, [S.L.], v. 34, n. 6, p. 428-431, dez. 2007.

DUARTE, Camila Kümmel et al. Nível de atividade física e exercício físico em pacientes com diabetes mellitus. Revista da Associação Médica Brasileira, [S.L.], v. 58, n. 2, p. 215-221, mar. 2012.

FERNANDES-SILVA, Miguel Morita et al. Exercício físico e microRNAs: novas fronteiras na insuficiência cardíaca. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, [S.L.], v. 98, n. 5, p. 459-466, maio 2012.

FORJAZ, Cláudia Lúcia de Moraes; TRICOLI, Valmor. A fisiologia em educação física e esporte. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 25, p. 7-13, dez. 2011.

GUIDARINI, Fernanda Christina de Souza et al. Dança de salão: respostas crônicas na pressão arterial de hipertensos medicados. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 15, n. 2, p. 155-163, 2013.

KRINSKI, Kleverton et al. Comparação das respostas fisiológicas e perceptuais obtidas durante caminhada na esteira em ritmo autosselecionado entre os sexos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, [S.L.], v. 16, n. 4, p. 291-294, 2010.

MAIA, André Alves. AVALIAÇÃO DE MARCADORES DE LESÃO RENAL DE

FISICULTURISTAS PRÉCOMPETIÇÃO. 2018. 44 f. Monografia (Especialização) - Curso de Educação Física, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

MARÇAL, Danilo Francisco da Silva et al. EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE DIABETES MELLITUS TIPO 1: uma revisão sistemática de ensaios clínicos e randomizados. Journal Of Physical Education, [S.L.], v. 29, n. 1, p. 1-14, 2018.

MCARDLE, Bill et al. Fisiologia dos Exercícios: nutrição, energia e desempenho humano. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016. 1 v. Revisão técnica Fábio C. Prosdócimi; Tradução Dilza Balteiro Pereira de Campos, Patricia Lydie Voeu.

MENDES, Romeu et al. Prática de exercício físico e níveis de atividade física habitual em doentes com diabetes tipo 2–estudo piloto em Portugal. Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, v. 8, n. 1, p. 9-15, 2013.

MORALES, Anderson Pontes et al. Alterações dos níveis séricos de creatinina, ácido úrico, creatina kinase e da taxa de filtração glomerular em corredores de “rua”. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianopolis, v. 15, n. 1, p. 71-81, 4 jan. 2013.

POKORA, I.; KEMPA, K.; CHRAPUSTA, S. J.; LANGFORT, J. Effects of downhill and uphill exercises of equivalent submaximal intensities on selected blood cytokine levels and blood creatine kinase activity. Biol Sport. v. 31, n. 3, p. 173-8, 2014

POWERS, Scott K.; HOWLEY, Edward T.. Músculo esquelético: estrutura e função. In: POWERS, Scott K.; HOWLEY, Edward T.. Fisiologia do exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 8. ed. Baueri: Manole, 2014. Cap. 8. p. 164-187.

ROTHER, Edna Terezinha. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, v. 20, n. 2, p. 5-6, jun. 2007.

SANTOS, Ana Lúcia Padrão dos; SIMÕES, Antônio Carlos. Educação física e qualidade de vida: reflexões e perspectivas. Saúde e sociedade, v. 21, p. 181-192, 2012.

SAUER, Deborah; PEREZ, Anselmo José; CARLETTI, Luciana. Efeito do treinamento sobre a eficiência ventilatória de indivíduos saudáveis. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 20, n. 6, p. 470-473, dez. 2014.

SILVA, Alexandre Sérgio; ZANESCO, Angelina. Exercício físico, receptores β-adrenérgicos e resposta vascular. Jornal Vascular Brasileiro, [S.L.], v. 9, n. 2, p. 47-56, jun. 2010.

SILVA, Sidney Cavalcante da; MONTEIRO, Walace David; FARINATTI, Paulo de Tarso Veras. Avaliação da capacidade máxima de exercício: uma revisão sobre os protocolos tradicionais e a evolução para modelos individualizados. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 17, n. 5, p. 363-369, 2011.

URSI, E. S.; GALVÃO, C. M. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Rev Latino-am Enfermagem. v. 14, n. 1, p;124-31, 2006.

VIEIRA, José Luiz Lopes et al. A prática de exercícios físicos regulares como terapia complementar ao tratamento de mulheres com depressão. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, [S.L.], v. 56, n. 1, p. 23-28, 2007.

ZAGO, Anderson Saranz. Exercício físico e o processo saúde-doença no envelhecimento. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, [S.L.], v. 13, n. 1, p. 153-158, 2010.

ZANESCO, Angelina; ZAROS, Pedro Renato. Exercício físico e menopausa. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, [S.L.], v. 31, n. 5, p. 254-261, maio 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n7-030

Refbacks

  • There are currently no refbacks.