Estudo da eficiência energética na biblioteca municipal de Ituiutaba com utilização de lâmpadas led e sistema fotovoltaico / Study of energy efficiency in the municipal library of Ituiutaba with the use of led lamps and photovoltaic system

Alan Kardec Candido dos Reis, Rafaella Aparecida Franco Santos, Emerson Carlos Guimarães, Olavo Antonio de Oliveira Reis

Abstract


Eficiência energética é a utilização inteligente de energia elétrica, podendo ser a substituição de equipamentos obsoletos por modelos mais eficientes e modernos. Esse conceito aplicado às edificações públicas contribui para a economia do país, visto que as edificações públicas utilizam cerca de 50% da energia produzida no Brasil (PROCEL, 2015), reduzindo os gastos dos cofres públicos com a redução das contas de energia, além de contribuir com a sustentabilidade do planeta. O Brasil vem criando programas que visam a eficiência energética, um deles é o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (PROCEL), que tem como objetivo promover o uso eficiente da energia elétrica e combater o desperdício. O Selo PROCEL indica aos consumidores os equipamentos e eletrodomésticos mais eficientes e que consomem menos energia disponíveis no mercado. Em parceria com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), o PROCEL também confere a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE) às edificações, denominada PBE Edifica. Este trabalho é um estudo de caso realizado na Biblioteca Municipal Senador Camilo Chaves, Ituiutaba – MG, com objetivo de aplicar o conceito de eficiência energética. Realizou-se um comparativo das etiquetas geradas, através do WebPrescritivo, em relação à iluminação atual e à iluminação com a utilização da tecnologia LED, dimensionada no software DIALux. Realizou-se também um dimensionamento da geração de energia fotovoltaica conectado ao sistema de distribuição elétrico, visando a sustentabilidade, reduzindo os gastos pelos cofres públicos e uso consciente de energia elétrica, fundamental para o desenvolvimento da sociedade.

 


Keywords


eficiência energética, iluminação, biblioteca, energia fotovoltaica.

References


ARAÚJO, A. J. N., RANK, N. I., BUENO, T. B. A. Análise dos fatores de perdas nos sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica em Curitiba. Disponível em: . Acesso em: 29 de mai 2019.

BLUESOL. Suporte para placa solar: manual prático para escolher a estrutura mais indicada e garantir a durabilidade do seu sistema. Disponível em: https://blog.bluesol.com.br/suporte-para-placa-solar/>. Acesso em: 20 de ago 2019.

BRITO, M. C.; VALLÊRA, A. Meio século de história fotovoltaico. Departamento de Física e Centro de Física da Matéria Condensada (CFMC): 2006.

CEMIG. Companhia Energética de Minas Gerais. Valores de Tarifa e Serviços. Disponível em: . Acesso em: 15 de mai 2019.

CENÁRIO MT. Eficiência Energética é aliada dos pequenos negócios. 29 abr. 2015. Disponível em . Acesso em 10 set. 2017.

CREATO. Certificações, normas e selos. Disponível em: . Acesso em: 09 out. 2016.

CRESESB. Centro de Referência para as Energias Solar e Eólica Sérgio de S. Brito. Manual de Engenharia para Sistemas Fotovoltaico. Edição Atualizada e Revisada. Rio de Janeiro, março 2014.

DAVIDSON, J.; KOMP, R. J. The New Solar Electric Home: The Photovoltaic How-to Handbook. AATEC, Publications, 1995.

FRONIUS. Disponível em: https://www.fronius.com/pt-br/brasil/energia-solar/produtos/residencial/inversor/fronius-primo/fronius-primo-6-0-1>. Acesso em: 23 mai. 2019.

INMETRO. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Lâmpada LED. Disponível em: < http://www.inmetro.gov.br/inovacao/publicacoes/cartilhas/lampada-led/lampadaled.pdf>. Acesso em: 01 out. 2019.

INMETRO. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Manual para Aplicação do RTQ-C.

INMETRO. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas. 2010

JORNAL DO COMMERCIO. Consumo de Energia Elétrica. Disponível em . Acesso em 01 dez. 2016.

LABEEE. Labortório de Eficiência Energética em Edificações. Classificação bioclimática das sedes dos municípios brasileiros. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2019.

LAMBERTS, R., DUTRA, L., PEREIRA, F.O.R. Eficiência Energética na Arquitetura. 3ª edição. São Paulo: ProLivros, 2013.

LAMBERTS, R. L. (coord). Etiquetagem de Eficiência Energética De Edificações. Caderno 1 – Manual explicativo do Ministério de Minas e Energia, 2010.

LEVA, F. F. et al. Modelo de um projeto de um sistema fotovoltaico. Disponível em: < http://www.proceedings.scielo.br/pdf/agrener/n5v2/084.pdf>. Acesso em: 05 de mai. 2019.

MINHA CASA SOLAR. Disponível em: . Acesso em: 23 mai. 2019.

NASCIMENTO, C. A. do. Princípio do Funcionamento da Célula Fotovoltaica. 2004. 21 f. Monografia (Pós-graduação em Tecnologia) – Programa de Pós-graduação em Tecnologia, Universidade Federal de Lavras, 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2019.

PEDROSO, A. R. Iluminação de exteriores utilizando tecnologia LED: estudo de caso. Disponível em: . Acesso em: 10 Março 2017.

PEREIRA, E. B.; MARTINS, F. R.; ABREU, S. L.; RÜTHER, R. Atlas Brasileiro de Energia Solar. São José dos Campos: INPE, 2006.

PMI. Prefeitura Municipal de Ituiutaba. Secretaria da Fazenda.

PROCEL. 1. Avaliação do mercado de eficiência energética do Brasil. Sumário Executivo – Ano Base 2005. 2007.

S3E. Simulador de Eficiência Energética de Edificações. Labeee, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 set.2016.

SIQUEIRA, L. M. Estudo do Dimensionamento e da Viabilidade Econômica de Microgerador Solar Fotovoltaico Conectado à Rede Elétrica. Universidade federal de juiz de fora, Faculdade de Engenharia Elétrica, 2015.

SODA. Solar Radiation Data. Averaged Solar Radiation 1990-2004. Disponível em: Acesso em: 15 mai. 2019.

SOLARVOLT. String Box: o que é e como funciona. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2019.

USGBC. The U.S. Green Building Council. Disponível em: . Acesso em 17 ago. 2017.

Webprescritivo. Ferramenta de Avaliação de Eficiência Energética de Edificações Comerciais pelo Método Prescritivo do RTQ-C. Labeee, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-730

Refbacks

  • There are currently no refbacks.