Currículo e diferença na educação especial em uma perspectiva inclusiva / Curriculum and difference in special education from an inclusive perspective

Déborah Nogueira Araújo, Vanderlei Balbino

Abstract


Ao longo da história educacional dos surdos, as mais absurdas e até mesmo cruéis tentativas de “curar” estes sujeitos com único objetivo que era fazer-lhes falar, aconteciam. Práticas apenas terapêuticas e o currículo escolar tinha como objetivo dar ao surdo o que faltava: a audição e a fala. Neste contexto as escolas eram clínicas e seus alunos, pacientes. Entendemos currículo por uma construção histórica e cultural de saberes. Um território onde podemos pensar as diferenças num movimento do ensinar e do aprender, longe de ser apenas uma lista de conteúdos, mas um movimento que articula ações com metodologias de ensino, trabalhadas nas atividades pedagógicas com objetivo de alcançar aprendizagem de conhecimentos, valores e comportamentos, criando assim um sentido para o mundo. Discutir como o currículo escolar tem sido tratado e trabalhado numa perspectiva inclusiva tendo como base a diversidade que tem na escola; discutir se o currículo escolar tem contribuído para inclusão dos alunos com deficiência na escola comum; discutir se a escola tem se adaptado ao aluno ou o aluno que tem se adaptado à escola foram os objetivos deste artigo.


Keywords


Inclusão, Currículo, Surdos, Escola Regular, Diversidade.

References


ALMEIDA, D. B. de. Do especial ao inclusivo? Um estudo da proposta de inclusão escolar da rede estadual de Goiás, no município de Goiânia. 231f. Tese ( Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2003.

AINSCOW, M. Processo de inclusão é um processo de Aprendizado. Portal do governo do estado de São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 02/08/2008. Entrevista concedida a Secretaria de estado de Educação Especial.

ARENDT, Hannah. A Crise na Educação. In: Entre o Passado e o Futuro. 7.ed. São Paulo: Perspectiva. 2011.

BITENCOURT, MAGALHÃES, RAVAGNANI Educação inclusiva: as práticas pedagógicas e a relação professora/aluna surda no processo ensino aprendizagem de uma escola em Abaetetuba-PA Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n.4, p.2170521724 apr. ISSN 2525 8761.

RASIL. Ministério da Educação. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

GLAT, R. ; PLETSCH, M. D . O papel da Universidade frente às políticas públicas para educação inclusiva. Benjamin Constant, Rio de Janeiro - RJ, v. 10, n. 29, 2004.

GOFFMAN, E. Estigma-Notas sobre a Manipulação da Identidade deteriorada. Brasil: Zahar Editores, 1980.

SILVA, F. C. T.; MENEGAZZO, M.A. Escola e Cultura Escolar: gestão controlada das diferenças no/pelo currículo. In: 28ª Reunião Anual da ANPED, 2005, Caxambu - MG. 2005. p. 1-17

UNESCO. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: CORDE, 1994




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-727

Refbacks

  • There are currently no refbacks.