Incubadoras de empresas de base tecnológica como indutora do desenvolvimento regional: estudo de caso Iati-Fema / Technology-based business incubators as inducers of regional development: Iati-Fem case study

Nedisson Luis Gessi, Denise Felber Chaves, Antonio Roberto Lausmann Ternes, Luigi Antonio Farias Lazzaretti, Diego Leonardo Wietholter, Anderson Pinceta, Juliane Colpo, Jonas Bordim

Abstract


As incubadoras buscam apoiar e incentivar a cultura empreendedora. Nesse sentido tornam-se indutoras do desenvolvimento regional. A Incubadora Acadêmica de Tecnologia e Inovação - IATI, das Faculdades Integradas Machado de Assis - FEMA, localizada em Santa Rosa - RS, destina-se a apoiar as empresas inovadoras de base tecnológica, advindas principalmente de alunos e egressos da Instituição, aproximando o meio acadêmico do mercado empresarial. Esse estudo buscou analisar o papel da incubadora no desenvolvimento das empresas a ela vinculadas, bem como realizar uma abordagem teórica sobre incubadoras e o incentivo ao desenvolvimento regional, Startups e Ecossistemas de Inovação. A pesquisa, com efeito, caracteriza-se como teórico-empírica, com fins explicativos e processo de análise qualitativo. A geração de dados acontece por meio de documentação direta, em fontes primárias e secundárias. O método de interpretação das informações é hipotético-dedutivo, com procedimento técnico histórico e comparativo. Realizou-se uma pesquisa com as empresas incubadas e após a coleta de dados foi realizada a análise e interpretação, ao que constatou-se a contribuição da IATI na orientação e desenvolvimento dessas instituições bem como no desenvolvimento regional.


Keywords


Incubadora, Startup, Ecossistema, Inovação, Desenvolvimento.

References


Abstartups. (2020). Associação brasileira de startups. Disponível em: https://abstartups.com.br/.

Anprotec. (2021). Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas. Disponível em: www.anprotec.org.br.

Barbier, R. (2004). A Pesquisa-ação. Brasília, DF: Líber Livro Editora.

Barbosa, F. (2020). Ecossistemas de Inovação: Integrando recursos para o desenvolvimento regional. Disponível em: https://inventta.net/ecossistemas-de-inovacao-integrando-recursos-para-o-desenvolvimento-regional/.

Coutinho, T. (2019). Incubadora de empresas: a importância do suporte às micro e pequenas empresas para o seu desenvolvimento e consolidação. Disponível em: https://www.voitto.com.br/blog/artigo/incubadora-de-empresas.

Dertouzos, M. (1999). Four Pillars of Innovation. MITs Magazine of Innovation Technology Review.

Dornelas, J. C. A. (2004). Empreendedorismo: Transformando Ideias em Negócios. Rio de Janeiro: Campus.

Fiorentini, D. (2004). Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: BORBA, Marcelo Carvalho e ARAÚJO, Jussara de Loiola (org.) Pesquisa qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autentica.

Garcia, Q. R.; TERRA, B. (2019) Importância das Incubadoras na Criação e Desenvolvimento de Empresas Inovadoras de Base Tecnológica: um Estudo de Caso do Instituto Gênesis da PUC-Rio e da Empresa. Disponível em: http://www.genesis.puc-rio.br/main.asp?Team=%7BEA09549B-40DC-49B7-80A3-3BCF39C6E00D%7D

Gastaldi L., Appio F.P., Martini A., Corso M. (2015). Academics as orchestrators of continuous innovation ecosystems: towards a fourth generation of CI initiatives. Int. J. of Technology Management, introductory paper for the special issue from 2013 CINet conference, Nijmegen, NL.

Georgiane, B. (2019). Ecossistemas de inovação: como criar ambientes voltados ao aprendizado. Disponível em: https://rockcontent.com/br/blog/ecossistema-de-inovacao.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas da Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Machado, W. (2019). Startup: como ideias inovadoras podem se transformar em um grande negócio. Disponível em: https://www.voitto.com.br/blog/artigo/startup.

Marques, M. (2017). Qual o Papel das Incubadoras de Empresas?. Disponível em: http://marcusmarques.com.br/empreendedorismo/qual-papel-incubadoras-empresas/.

Mason, C.; & Brown. R. (2014). Entrepreneurial Ecosystems and Growth Oriented Entrepreneurship. https://www.oecd.org/cfe/leed/Entrepreneurial-ecosystems.pdf.

Minayo, M. C. de S. (2002). Pesquisa Social. Ed. Vozes: Petrópolis.

Oliveira, U. F. (2020). HSM Management, Agroecologia high tech é possível? Parte II. Disponível em: https://www.revistahsm.com.br/post/agroecologia-high-tech-e-possivel-parte-ii.

Pinto, J. B. G. (1989). Pesquisa-Ação: Detalhamento de sua sequência metodológica. Recife.

Rodriguez, J. A. H. (2015). Start-up Development in Latin America: The Role of Venture Accelerators.

Roger, M. (2021). Revista HSM Management. Para Ensinar a Inovar é preciso Inovar. Disponível em: https://www.revistahsm.com.br/post/roger-martin-para-ensinar-a-inovar-e-preciso-inovar.

Souza neto, J. A.; Santos, S. A.; Gomes, G. C.; Malmann, D. O. (1998). Negociação da Tecnologia. Porto Alegre: SEBRAE.

Thiollent, M. (2009). Metodologia da pesquisa-ação. 17 ed. São Paulo: Cortez.

Vinícius, A. (2021). HSM Management, Startups no Brasil: dados do ecossistema. Disponível em: https://www.revistahsm.com.br/post/startups-no-brasil-dados-do-ecossistema.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-630

Refbacks

  • There are currently no refbacks.