Contribuições do projeto caminhos, desenvolvido pela extensão da, FAE São José Dos Pinhais-PR segundo a perspectiva de seus participantes / Contributions of the caminhos project, developed by the extension of FAE São José Dos Pinhais-PR, according to the perspective of its participants

Bianca Sanches Lopes, Ricardo Lemes da Rosa

Abstract


A relação entre ensino, pesquisa e extensão é compreendida como necessária na formação profissional de estudantes da educação superior. Nesse sentido a extensão deve ser compreendida para além de uma atividade universitária, pois busca aprimorar o desenvolvimento acadêmico levando em consideração a aproximação e inter-relação com as demandas que emergem na sociedade. Com base neste entendimento o objetivo deste estudo foi identificar as contribuições de um projeto de extensão universitária desenvolvido pela FAE São José dos Pinhais, denominado Projeto Caminhos, na perspectiva de seus participantes. O percurso metodológico adotado se pautou em uma pesquisa descritiva de abordagem qualitativa (FLICK, 2000). O instrumento utilizado foi um roteiro de entrevistas semiestruturadas individuais (LAKATOS; MARCONI, 2003). Os sujeitos participantes foram quatro alunos com idade entre 12 a 16 anos, com pelo menos um ano de vivência sistemática no projeto, três mães dos respectivos adolescentes, um educador social e três acadêmicos voluntários, representando 40% do universo total dos envolvidos no referido projeto. A análise de dados ocorreu por meio da análise de conteúdo proposta por Bardin (2011). Os resultados apontam que 27,3% dos participantes indicaram não possuir expectativas ao ingressar no projeto, 45,4% demonstraram expectativa em relação ao desenvolvimento profissional e acadêmico, e para os voluntários a expectativa principal era de auxiliar e colaborar de alguma forma na vida dos alunos. Os principais benefícios relatados foram a ampliação dos espaços de participação e discussão em prol do exercício da cidadania, considerando as vozes das crianças e dos adolescentes. Apontou-se também o desenvolvimento de habilidades comunicativas intra e interpessoal. Conclui-se que o projeto promoveu a criação de vínculos entre acadêmicos e os alunos possibilitando um ambiente mais humanístico e reflexivo sobre diferentes aspectos da realidade das crianças e adolescentes no que tange as desigualdades de acesso às oportunidades ligadas a educação e cidadania vivenciadas pelos mesmos.


Keywords


Extensão Universitária, Projetos, Crianças e Adolescentes.

References


BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação; Ministério da Justiça; UNESCO; 2007. Disponível em: . Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

______. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

BRASIL. Plano Nacional de Extensão Universitária 2000-2001. Natal: FOPROEX; SESU/MEC, 2000.

CABRAL, A. M. F. Relatório de atividades do SOF/ETAJJ Cível: Laboratório de Serviço Social. Belém: UNAMA, 2002.

CARBONARI, P. C. Sujeitos de direitos humanos: questões abertas e em construção. In: SILVEIRA, R. M. G. et al. Educação em Direitos Humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Universitária, 2007. p. 169-186.

CENTRO DE AMPARO NOSSA SENHORA DO MONTE CLARO. Histórico da instituição. 2015. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2018.

DIGIÁCOMO, M. J. O Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. Ministério Público do Estado do Paraná, Curitiba, jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2018.

FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. FAE é premiada por trabalho social. São José dos Pinhais, 18 nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2018.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2000.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS (FORPROEX). Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2017.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MENDONÇA, S. G. L.; SILVA, P. S. Extensão universitária: uma nova relação com a administração pública. In: CALDERÓN, A.I.; SAMPAIO, H. (Org.). Extensão Universitária: ação comunitária em universidades brasileiras. São Paulo: Olho d’Água, 2002. v. 3. p. 29-44.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-611

Refbacks

  • There are currently no refbacks.