Museus itinerantes para o protagonismo da ciência e da cultura em Minas Gerais/ Itinerant museums for the protagonism of science and culture in Minas Gerais

Nadja Maria Mourão, Flávia Neves de Oliveira Castro, Ana Célia Carneiro Oliveira, Rosilene Conceição Maciel

Abstract


A temática desse trabalho são as práticas museológicas inclusivas e participativas, sob os aspectos da cultura, memória e linguagens em processos educativos. Com o intuito de reconhecer e contribuir para a reflexão sobre tais práticas tem-se por objetivo analisar o trabalho prático e teórico desenvolvido por projetos de museus itinerantes ou em movimento em Minas Gerais. Por meio de pesquisa bibliográfica, descritiva e qualitativa, sobre os diversos projetos de museus itinerantes ou em movimento. Em resultados, observou-se que o Museu Itinerante Ponto UFMG é um espaço científico-cultural, interativo, adaptado em uma unidade móvel que atende, primordialmente, escolas e cidades de Minas Gerais. O Museu “Sentimentos da Terra”, também da UFMG, segue o modelo internacional de museu itinerante. Além das atrações internas, promove exposições e oficinas externas interligando as mais diversas áreas do conhecimento, da ciência e da reflexão. Foram atendidas as escolas estaduais da Região Metropolitana de Belo Horizonte, cidades dos pólos regionais do Estado de Minas Gerais e outros estados brasileiros, nos últimos dois anos. A pesquisa observou a existência de mudanças nas relações sociais em ambientes da cidade e na cultura local em cidades visitadas por museus itinerantes. O aumento de museus móveis como efeito da mobilização de universidades, instituições de pesquisa, secretarias estaduais e municipais, agências de fomento e do governo. Existem outras iniciativas da sociedade e instituições não governamentais com o mesmo objetivo denominadas Museu em Movimento e que podem contribuir a popularização dos museus. As feiras de ciência das instituições de ensino fundamental abrem espaço para o conhecimento da história da ciência e da cultura local por meio de exposições e corredores culturais.  O corredor Cultural do Sertão Mineiro de Guimarães Rosa (com maquetes das características do bioma Cerrado e objetos da cultura local) ocorre durante o evento anual “Encontro dos Povos Grande Sertão Veredas”, em Chapada Gaúcha, em Minas Gerais. Concluí-se que os modelos de museus itinerantes (ou em movimento) são protagonistas de atividades pedagógicas, científicas e culturais adaptáveis à realidade das comunidades visitadas por essa modalidade de ensino.


Keywords


Museu em movimento, museu intinerante, UFMG, nova museologia.

References


BELTRÃO, Jane; ECKERT, Cornélia; LIMA FILHO, Manuel Ferreira (orgs.). Antropologia e patrimônio: diálogos e desafios contemporâneos. Blumenau: Nova letra, 2007, p. 175-198.

CAZELLI, S.; QUEIROZ, G.; ALVES, F.; FLACÃO, D.; VALENTE, M.E.; GOUVÊA, G.; COLINVAUX, D. Tendências pedagógicas das exposições de um Museu de Ciências. II Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Atas II ENPEC. Porto Alegre, 1999. DIB, C. Z. Formal,Non-formal and Informal Educations: Concepts/Applicability. In: Cooperative Networks in Physics Conference Proceedings 173 – American Institute of Physics – New York,300-315,1988.

CERVO, Amado L. BERVIAN, Pedro A. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CHAGAS, Mário de Souza. Memória e poder: dois movimentos. In SANTOS, Myriam (Org.). Museu e Políticas de Memória. Porto: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, 2002, p. 35-67 (Cadernos de Sociomuseologia, 19). Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.

DEMBICZ, Andrez. El espacio entre lo local y lo global. In: LEMOS, Maria Teresa Toríbio. Brirres; MORAES, Nilson Alvares de. (Org.). Memória e identidade. Rio de Janeiro: 7Letras, 2000.

DUARTE, Alice. Nova Museologia: os pontapés de saída de uma abordagem ainda Inovadora. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio – PPG-PMUS Unirio. MAST - vol. 6, número 1, 2013.

EDUKAVITA. Museu - Definição, conceito, significado, o que é Museu. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.

GASPAR, A. Museus e Centros de Ciências – Conceituação e Proposta de um Referencial Teórico.Tese de Doutorado. USP. Faculdade de Educação,1993.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GODOY, Roberto. Memória. Publicado em 27 dez. 2012. Disponível em: <.https://drauziovarella.com.br/corpo-humano/memoria/>. Acesso em: 10 jun.2021.

HALBWACHS, Maurice, 1877-1945. A memória coletiva. Prefácio de Jean Duvignaud; Tradução de Laurant León Schaffter. São Paulo: Vértice & Editora Revista dos Tribunais, 1990.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. http://www.museus.gov.br/tag/icom/>.

INTERNATIONAL COUNCIL OF MUSEUMS (ICOM - BRASIL, 2001), O International Council of Museums (ICOM - Conselho Internacional de Museus). ICOM Brasil. Portal do Instituto Brasileiro de Museus. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.

MONDIACULT, MÉXICO. Declaração do México - 1985. Instituto do Patrimônio Historio e Artístico Nacional. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.

MOURÃO, Nadja Maria; OLIVEIRA, Ana Célia Carneiro. Memória afetiva e o artesanato religioso em Minas Gerais Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.2, p. 14261-14278 feb. 2021.

MUSEU ITINERANTE PONTO UFMG. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.

NEVES, Selma Regina Garcia; CONGALVES, Terezinha Valim Oliver. Feiras de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 242, Florianópolis, 6 (3): p. 241-247, dez. 1989. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.

PDDI/PMBH - Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Belo Horizonte, 2011.

PIERRO, Bruno De. Museus itinerantes popularizam acesso a ciência e tecnologia no Brasil. Postado em: 19 ago. 2015. Disponível em: < http://operamundi.uol.com.br/conteudo/samuel/41357/museus+itinerantes+popularizam+acesso+a+ciencia+e+tecnologia+no+brasil.shtml>. Acesso em: 10 jun.2021.

SACK, Robert D. Human territoriality: its tneory and history. Cambridge: Cambridge University Press. 1986.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Sociologia das ausências: sociologia das emergências. Rio de Janeiro: Recorde, 2002.

UNESCO. Recomendation concenant la sauvegarde des ensembles historiques ou traditionnels et leur role dans la vie contemporaine. Actes de la Conférence générale Dix-neuvième session. Paris: UNESCO, 1999.

UNFPA - Fundo de População das Nações Unidas. Relatório sobre a Situação da População Mundial 2011. . Acesso em: 20 mai. 2014.

WEIBER, Emerson Flavio Moura. Encontro dos Povos do Grande Sertão Veredas reúne mais de 60 comunidades tradicionais em MG. Postado em: 08 Jul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-589

Refbacks

  • There are currently no refbacks.