Corporeidade e subjetividade das pessoas transgêneras que fazem a cirurgia de redesignação sexual / Corporeity and subjectivity of transgender people who perform sexual redesign surgery

Valéria Soares de Lima, Eude de Sousa Campos, Gislene Lisboa de Oliveira, Elaine Ferreira de Oliveira

Abstract


 O corpo como matriz da sexualidade reflete a subjetividade do sujeito em suas intencionalidades e especificidades no campo psíquico e corporal. A transexualidade é um atributo deste tipo de manifestação e está relacionada com as diferenças que acontecem de dissociação entre sexo físico e psíquico ou disforia de gênero. Desta forma, a partir de uma pesquisa quantitativa, com levantamento bibliográfico e pesquisa de campo a investigação tem por objetivo perquirir como os transgêneros (masculino e feminino), de acordo com sua subjetividade, enfrentam as modificações em seus (as) corpos após a cirurgia de redesignação sexual.


Keywords


Corpo, Subjetividade, Transexualidade, Redesignação sexual.

References


ALMEIDA, C. B. A.; VASCONCELLOS, V. A. Transexuais: transpondo barreiras no mercado de trabalho em São Paulo? Revista Direito Getúlio Vargas, São Paulo, n. 2, p. 302-333, 2018.

ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo: fatos e mitos. 4. ed. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

BOCK, A. M.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. L. T. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. São Paulo: Vozes, 2007.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nos 1/1992 a 68/2011, pelo Decreto Legislativo nº 186/2008 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/1994. 35. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2012.

BUTLER, J. Regulações de gênero. Cad. Pagu, n. 42, 2014.

CHIZZOTTI, A. A pesquisa qualitativa em ciência humanas e sociais: evolução e desafios. Revista Portuguesa de Educação, v. 16, n. 2, p. 221-236, 2003.

DAOLIO, J. Da cultura do corpo. 17. ed. Campinas, SP: Papirus, 2013.

FLEURY, A. R. D.; TORRES, A. R. R. Análise psicossocial do preconceito contra homossexual. Revista Estudos de Psicologia, p. 475-486, 2007.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deterioradas. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

GONSALVES, E. P. Iniciação à pesquisa científica. Campinas, SP: Alínea, 2001.

LE BRETON, D. A sociologia do corpo. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

LIMA, Valeria Soares de Lima. Práticas sociais relacionadas a sexualidade e gênero entre jovens universitários. 2017. 183 f. Orientadora: Teresa Cristina Barbo Siqueira, Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás-PUC/GO, Goiânia/GO, 2017.

LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade. In: LOURO, G. L.; FELIPE, J.; GOELLNER, S. V. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 07-191.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

NYE, A. Teoria feminista e as filosofias do homem. Rio de Janeiro: Record-Rosa dos Tempos, 1995.

RAMPAZZO, L. Metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2005.

RIOS, R. R. A homossexualidade e a discriminação por orientação sexual no direito brasileiro. Revista Direito e Democracia, v. 2, n. 2, p. 384-408, 2001.

SIQUEIRA, T. C. B. Mudanças na corporeidade/subjetividade durante a formação universitária: estudantes de pedagogia e psicologia. 2010. 159 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Departamento de Educação, Goiânia/GO, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-520

Refbacks

  • There are currently no refbacks.