Discurso de homens sobre a experiência de sofrimento psíquico como hipertensos/diabéticos em tratamento em uma unidade básica de saúde em Olinda / Speech by men on the experience of psychic suffering as hypertensive/diabetic in treatment in a basic health unit in Olinda

Moab Duarte Acioli, Mariana Beatriz Silva Torres Galindo, Talita Maria Fonsêca Maranhão da Costa, Marina Jenné de Assis Silva

Abstract


INTRODUÇÃO: A subjetividade da percepção dos usuários hipertensos e diabéticos sobre a doença, adesão terapêutica e sofrimento psíquico (CARVALHO FILHA; NOGUEIRA, VIANA, 2011) vem conquistando significativo espaço nos cenários da Clínica Ampliada (CAMPOS; AMARAL, 2007). OBJETIVO: Analisar a experiência de sofrimento psíquico entre homens com Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e/ou Diabetes Mellitus (DM) em tratamento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em Olinda.  METODOLOGIA: É uma pesquisa qualitativa, analítica e transversal. A coleta foi realizada na UBS Cohab Peixinhos e Jardim Brasil II, tendo como público alvo os homens integrantes do Programa de Hipertensão e Diabetes (HiperDia) e dependeu do preenchimento e positividade do Questionário de Morbidade de Adultos (QMPA), resultando o total de 6 entrevistadas. RESULTADOS: A caracterização dos participantes, através do questionário sociodemográfico, mostra homens com média de idade de 54,5 anos, em maioria portadores em conjunto de HAS/DM, concluintes do ensino fundamental, católicos, aposentados e pertencentes à classe econômica E. Os depoimentos foram agrupados em 5 categorias: experiência do ser diabético e hipertenso, impactos no cotidiano do sujeito, impactos subjetivos para o indivíduo, impactos fisiopatológicos e percepção do tratamento na UBS sobre o sofrimento psíquico. CONCLUSÃO: É intrínseca a correlação do tratamento pela UBS ao paciente como um fenômeno estimulador ou inibidor da sua condição de sofrimento psíquico. Tornando-se necessário buscar medidas que ampliem e aproximem o paciente da UBS, deixando de apenas ser uma procura por medicamentos e encaminhamentos, mas sim uma conexão efetiva de acompanhamento e cuidado.


Keywords


Pesquisa qualitativa, Atenção primária, Transtornos mentais

References


ANDREOLI, S.B.; MARI, J.J.; BLAY, S.L.; ALMEIDA-FILHO, N.; COUTINHO, E.; FRANÇA, J.; FERNANDES, J.G.; BUSNELLO, E.D. Estrutura fatorial do questionário de morbidade psiquiátrica de adultos aplicados em amostras populacionais brasileiras. Saúde Pública, 28 (4): 249, 60 – 1994.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 5ª. Ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARSAGLINI, Reni Aparecida. Pensar, vivenciar e lidar com o diabetes. 2006. 335 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas, Campinas, SP.

BRASIL. Hiperdia: Sistema de Cadastramento e acompanhamento de hipertensos e diabéticos: Brasília: Datasus, 2016. In: http://datasus.saude.gov.br/sistemas-e-aplicativos/epidemiologicos/hiperdia.

CAMPOS, G; AMARAL, M.A. A clínica ampliada e compartilhada, a gestão democrática e redes de atenção como referenciais teórico-operacionais para a reforma do hospital. Ciência & Saúde Coletiva, 12(4):849-859, 2007.

CARVALHO FILHA, Francidalma Soares Sousa; NOGUEIRA, Lídya Tolstenko; VIANA, Lívia Maria Mello. Hiperdia: Adesão e percepção de usuários acompanhados pela Estratégia de Saúde da Família. Rev Rene, Fortaleza, 2011; 12(n. esp.):930-6.

CASA BRASIL: Nascedouro Peixinhos (s/d) IN: https://casabrasilpeixinhos.wordpress.com/o-bairro/ Acessado em 13/3/2015.

CECARELLI, P. O sofrimento psíquico na perspectiva da Psicopatologia Fundamental. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 10, n. 3, p. 471-477, set./dez. 2005.

CLAVIJO, Milagros; CARVALHO, José Joaquim; RIOS, Márcio; OLIVEIRA, Irismar Reis. Transtornos psiquiátricos em pacientes diabéticos Tipo 2 em Distrito Docente Assistencial de Rio Branco, Acre. Arq Neuropsiquiatr 2006;64(3-B):807-813.

DUARTE, R. Pesquisa qualitativa: Reflexões sobre o trabalho de campo. Cadernos de pesquisa, n. 115, p.139-154, março/2002.

FLEURY, S. Saúde e democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos Editorial, 1997.

FRANCHI, Kristiane Mesquita Barros et al. CAPACIDADE FUNCIONAL E ATIVIDADE FÍSICA DE IDOSOS COM DIABETES TIPO 2. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde • Volume 13, Número 3, 2008

GOMES, Tiago José de Oliveira; SILVA, Monique Vércia Rocha; SANTOS, Almira Alves. Controle da pressão arterial em pacientes atendidos pelo programa Hiperdia em uma Unidade de Saúde da Família. Rev Bras Hipertens vol.17(3):132-139, 2010.

HELMAN, C. Cultura, saúde & doença. 4.ed Porto Alegre: Artmed, 2003.

LIMA, Lílian Moura de et al . Perfil dos usuários do Hiperdia de três unidades básicas de saúde do sul do Brasil. Rev. Gaúcha Enferm. (Online), Porto Alegre , v. 32, n. 2, p. 323-329, June 2011.

MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Editora Hucitec, 1999.

NORONHA, J.C.; LEVCOVITZ,E. AIS-SUDS-SUS: O caminhos do direito à saúde. In.: Guimarães, R.; Tavares,R. Saúde e sociedade no Brasil: anos 80. Rio de Janeiro: Relume-Dumará,1994.

PEDROSA, J.I.S.; TELES,J.B.M. Consenso e diferenças em equipes do Programa de Saúde da Família. Ver.Saúde Pública 2001; 35(3):303-11.

PÉRES, Denise S. et al. Portador de hipertensão arterial: atitudes, crenças, percepções, pensamentos e práticas. 2003. Programa de Aprimoramento Multiprofissional em Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus da Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto. Ribeirão Preto, SP, Brasil

UCHÔA-FIGUEIREDO, Lúcia da Rocha; DUARTE, Gisele Patrícia. A VIDA COTIDIANA E A QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES ATENDIDOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos, Jan-Abr 2010, v. 18, n.1, p. 19-33.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-511

Refbacks

  • There are currently no refbacks.