Diferentes visões sobre o abortamento provocado: uma revisão integrativa / Different views on induced abortion: an integrative review

Ádria Rodrigues da Silva, Ana Paula Mota Franco, Andressa Costa de Sousa, Maria Alice Alves Fernandes de Souza, Katleem de Sousa Saraiva, Gessica Kelem Carvalho Pantoja, Daniela Soares Leite

Abstract


Desde os primórdios da sociedade, a questão do aborto é fonte de reflexões e demanda diligências para a tentativa de seu enquadramento social. Por atravessar um emaranhado de aspectos sociais, culturais, econômicos, jurídicos, religiosos e ideológicos, é tema que incita passionalidade e dissensão, parecendo distante de saída. Assim, esta pesquisa visa integrar essas principais questões relacionadas à temática apresentada, proporcionando uma visão geral do aborto na saúde pública brasileira. Trata-se de uma revisão integrativa de literaturas, as quais foram selecionadas por meio da Scielo, Lilacs e BVS. Foram incluídos 38 artigos publicados entre 1900 e 2020, que correspondiam aos questionamentos utilizados. O estudo evidenciou que mesmo com os esforços parcialmente bem sucedidos em reduzir o número de abortos provocados no Brasil e no mundo, as estimativas não têm mudado consideravelmente. Sendo assim, as mulheres mais vulneráveis são adolescentes e jovens adultas, negras e pardas e mulheres com menor poder aquisitivo, sendo os problemas financeiros, relações interpessoais instáveis, violências e estrutura familiar comprometida alguns dos principais motivos para abortar. Também ressalta-se a utilização incorreta e conhecimento deficiente das mulheres acerca dos métodos contraceptivos. Conclui-se que a informação e o planejamento devem ser chaves no combate ao abortamento provocado e suas consequências.

 

 


Keywords


abortamento, aborto provocado, aborto no Brasil, consequências do aborto.

References


ABREU, C. Aborto: uma questão jurídica, religiosa ou de saúde pública? Rev. Sociologia. 2008; (18).

AQUINO, E. M. L.; MENEZES, G.; BARRETO-DE-ARAÚJO, T. V.; ALVES, M. T.; ALVES, S. V.; ALMEIDA, M. C. C.; SCHIAVO, E.; LIMA, L. P.; MENEZES, C. A. S.; MARINHO, L. F. B.; COIMBRA, L. C.; CAMPBELL, O. Qualidade da atenção ao aborto no Sistema Único de Saúde do Nordeste brasileiro: o que dizem as mulheres? Ciência e Saúde Coletiva, v. 17, n. 7, p. 1765-1776, 2012.

BORSARI, C. M. G.; NOMURA, R. M. Y.; BENUTE, G. R. G.; LUCIA, M. C. S.; FRANCISCO, R. P. V.; ZUGAIB, M. Aborto provocado em mulheres da periferia da cidade de São Paulo: vivência e aspectos socioeconômicos. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 35, n. 1, p. 27-32, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao abortamento: norma técnica. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

CARNEIRO, M. F.; IRIART, J. A. B.; MENEZES, G. M. S. “Largada sozinha, mas tudo bem”: paradoxos da experiência de mulheres na hospitalização por abortamento provocado em Salvador, Bahia, Brasil. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v.17, n.45, p. 405-418, 2013.

CECATTI, J. G.; GUERRA, G. V. Q. L.; SOUSA, M. H.; MENEZES, G. M. S. Aborto no Brasil: um enfoque demográfico. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 32, n. 3, p. 105-111, 2010.

CHAVES, J. H. B.; PESSINI, L.; BEZERRA, A. F. S.; REGO, G.; NUNES, R. A interrupção da gravidez na adolescência: aspectos epidemiológicos numa maternidade pública no nordeste do Brasil. Saúde e Sociedade, v. 21, n. 1, p. 246-256, 2012.

Chaves JHB, Pessini L, Bezerra AFS, Rego G, Nunes R. CHAVES, J. H. B.; PESSINI, L.; BEZERRA, A. F. S.; REGO, G.; NUNES, R. Abortamento provocado na adolescência sob a perspectiva bioética. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 10, n. 2, p. 311-319, 2010.

CORREIA, D. S.; CAVALCANTE, J. C.; EGITO, E. S. T.; MAIA, E. M. C. Prática do abortamento entre adolescentes: um estudo em dez escolas de Maceió (AL, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 5, p. 2469-2476, 2011.

DINIZ, N. M. F.; GESTEIRA, S. M. A.; LOPES, R. L. M.; MOTA, R. S.; PÉREZ, B. A. G.; GOMES, N. P. Aborto provocado e violência doméstica entre mulheres atendidas em uma maternidade pública de Salvador-BA. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 64, n. 6, p. 1010-1015, 2011.

DINIZ, D.; MADEIRO, A. Cytotec e aborto: a polícia, os vendedores e as mulheres. Ciência e Saúde Coletiva, v. 17, n. 7, p. 1795-1804, 2012.

ERCOLE, F. F.; MELO, L. S.; ALCOFORADO, C. L. G. C. Revisão Integrativa versus Revisão Sistemática. Revista Mineira de Enfermagem, n. 18, n. 1, p. 10-12, 2014.

FAÚNDES, A.; BARZELATTO, J. O drama do aborto: em busca de um consenso. Campinas: Komedi, 2004.

FIGO MODIFICATIONS OF WHO PERINATAL DEFINITIONS. WHO: recommended definitions, terminology and format for statistical tables related to the perinatal period and use of a new certificate for cause of perinatal deaths. Acta Obstetricia et Gynecologica Scandinavica., v. 57, n. 3, p. 247-253, 1977.

FUSCO, C. L. B.; ANDREONI, S.; SILVA, R. S. Epidemiologia do aborto inseguro em uma população em situação de pobreza Favela Inajar de Souza, São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 11, n. 1, p. 78-88, 2008.

GESTEIRA, S. M. A.; BARBOSA, V. L.; ENDO, P. C. O luto no processo de aborto provocado. Acta Paulista de Enfermagem, v. 19, n. 4, p. 462-467, 2006.

GRUPO CURUMIM (ed.). Aborto: você já conversou sobre isso? 1. ed. Recife, 1995.

HARDY, E.; ALVES, G. Complicações pós-aborto provocado: fatores associados. Cadernos de Saúde Pública, v. 8, n. 4, p. 454-458, 1992.

LIMA, B. G. C. Mortalidade por causas relacionadas ao aborto no Brasil: declínio e desigualdades espaciais. Pan American Journal of Public Health, v. 7, n. 3, 2000.

MADEIRO, A. P.; RUFINO, A. C. Maus-tratos e discriminação na assistência ao aborto provocado: a percepção das mulheres em Teresina, Piauí, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 8, p. 2771-2780, 2017.

MARTINS, I. R.; COSTA, S. H.; FREITAS, S. R. S.; PINTO, C. S. Aborto induzido em mulheres de baixa renda: dimensão de um problema. Cadernos de Saúde Pública, n. 7, p. 251-266, 1991.

NADER, P. R. A.; BLANDINO, V. R. P.; MACIEL, E. L. N. Características de abortamentos atendidos em uma maternidade pública do Município da Serra – ES. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 10, n. 4, p. 615-624, 2007.

NUNES, M. D.; MADEIRO, A.; DINIZ, D. Histórias de aborto provocado entre adolescentes em Teresina, Piauí, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 8, p. 2311-2318, 2013.

OSIS, M. J. D.; HARDY, H.; FAÚNDES, A.; RODRIGUES, T. Dificuldades para obter informações da população de mulheres sobre aborto ilegal. Revista de Saúde Pública, v. 30, n. 5, p. 444-451, 1996.

PÉREZ, B. G. Aborto provocado: representações sociais de mulheres [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Federal da Bahia. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. 2006.

SANTOS, D. L. A.; BRITO, R. S. Processo decisório do aborto provocado: vivência de mulheres. Revista de Saúde Coletiva, v. 24, n. 4, p. 1293-1313, 2014.

SANTOS, T. F.; ANDREONI, S.; SILVA, R. S. Prevalência e características de mulheres com aborto provocado – Favela México 70, São Vicente – São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 15, n. 1, p. 123-133, 2012.

SEDGH, G.; HENSHAW, S.; SINGH, S.; AHMAN, E.; SHAH, I. H. Induced abortion: estimated rates and trends worldwide. Lancet, v. 370, n. 9595, 1338-1345, 2007.

SILVA, D. F. O.; BEDONE, A. J.; FAÚNDES, A.; FERNANDES, M. A. S.; MOURA, V. G. A. L. Aborto provocado: redução da frequência e gravidade das complicações. Consequência do uso de misoprostol? Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 10, n. 4, p. 441-447, 2010.

SILVA, R. S. Aborto provocado: sua incidência e características: um estudo com mulheres em idade fértil (15 a 49 anos), residentes no subdistrito de Vila Madalena [tese de doutorado]. Universidade de São Paulo. São Paulo. 1992.

SILVA, R. S. Padrões de aborto provocado na Grande São Paulo, Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 32, n. 1, p. 7-17, 1998.

SOUZA, M. G.; FUSCO, C. L. B.; ANDREONI, S. A.; SILVA, R. S. Prevalência e características sociodemográficas de mulheres com aborto provocado em uma amostra da população da cidade de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 17, n. 2, p. 297-312, 2014.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n.1, 2010.

SOUZA, Z. C. S. N.; DINIZ, N. M. F. Aborto provocado: o discurso das mulheres sobre suas relações familiares. Texto e Contexto Enfermagem, v. 20, n. 4, p. 742-750, 2011.

SOUZA, Z. C. S. N.; DINIZ, N. M. F.; COUTO, T. M.; GESTEIRA, S. M. A. Trajetória de mulheres em situação de aborto provocado no discurso sobre clandestinidade. Acta Paulista de Enfermagem, v. 23, n. 6, p. 732-736, 2010.

VAN LOOK, P. F. A.; COTTINGHAM, J. C. Unsafe abortion: an avoidable tragedy. Best Practice and Research: Clinical Obstetrics and Gynaecology, v. 16, n. 12, p. 205-220, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-342

Refbacks

  • There are currently no refbacks.