Estudo fitoquímico e ação antimicrobiana de Calycophyllum Spruceanum (Mulateiro) / Phytochemical study and antimicrobial action of Calycophyllum Spruceanum (Mulateiro)

Renata Rhodes Dookie, Amanda Karoline Protazio Garcia, Evellyn Francisco e Silva, Weison Lima da Silva, Cecilia Veronica Nunez, Maria Teresa Fachin -Espinar

Abstract


INTRODUÇÃO: A espécie Calycophyllum spruceanum, pertencente à família Rubiaceae, conhecida popularmente como mulateiro, tem sido amplamente utilizada na região amazônica devido aos vários benefícios no uso cosmetológico, antiinflamatório e antimicrobiano. Nesse sentido, considerando a ampla utilização de C. spruceanum, muitas vezes de forma empírica, evidencia-se a necessidade de realizar estudos mais aprofundados com a espécie.

OBJETIVO: Realizar a caracterização fitoquímica e avaliação da atividade antimicrobiana dos extratos brutos de C. spruceanum.

MÉTODOS: As cascas de C. spruceanum, foram extraídas com hexâno e metanol, posteriormente o extrato metanólico foi fracionado por partição líquido-líquido com diclorometano (DCM) e acetato de etila (AcOEt). Todos os extratos e fases foram analisados por cromatografia em camada delgada comparativa (CCDC), utilizando-se reveladores físicos e químicos. A avaliação da atividade antibacteriana foi realizada pela metodologia de microdiluição em poço (CLSI, 2013).

RESULTADOS: A avaliação cromatográfica permitiu observar indícios da presença de iridoides, terpenos, alcaloides, substâncias fenólicas entre os extratos hexânico e metanólico. No ensaio antimicrobiano o extrato metanólico apresentou uma concentração mínima inibitória (CIM) de 500 μg frente às 6 cepas testadas. Por outro lado, o extrato hexânico apresentou a menor taxa inibitória somente frente às bactérias Aeromonas hydrophila e Pseudômonas aeruginosa, as fases DCM, AcOEt e hidrometanólico obtidas do extrato metanólico mostraram atividade antibacteriana frente às cepas Acinetobacter baumannii, Aeromonas hydrophilae, Salmonella enteritidis.

CONCLUSÕES: Evidenciou-se o potencial farmacológico da espécie C. spruceanum. Amparados pela confirmação da sua caracterização fitoquímica, os extratos vegetais foram analisados e comparando sua ação antibacteriana, sendo essas porcentagens influenciadas pelos solventes utilizados na extração, possibilitam estudos posteriores especificando sua sensibilidade e especificidade, visto que seus valores foram satisfatórios.


Keywords


Caracterização Química, Extração Vegetal, Comparação Inibitória.

References


ALMEIDA, M.C. Aspectos ecofisiológicos da germinação de sementes de mulateiro (Calycophyllum spruceanum Benth.) Rubiaceae. 2003. v, 114 f. Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2003. Available at: . Acesso em maio de 2020

Araújo, V. F.; Petry, A. C,; Echeverria, R. M,; Fernandes, E. C,; Pastore, F. Plantas da Amazônia para Produção Cosmética: uma abordagem química - 60 espécies do extrativismo florestal não-madeireiro da Amazônia. Brasília. 2007:244. Disponível em https://docplayer.com.br/5379318-Itto-plantas-da-amazonia-para-producao-cosmetica.html. Acesso em maio de 2020

Ducke, A.; Black, E. A. Notas sobre Filogeografia da Amazônia Brasileira. Boletim técnico do Instituto Agronômico do Norte, v.29, [s.n.], 1954. Disponível em publicação › notas-sobre-a-fitogeografia-da-amazonia-brasileira https://www.embrapa.br ›. Acesso em maio de 2020

Caetano, R. S.; Souza, A. C. R.; Feitozao, L. F. O uso de plantas medicinais utilizadas por frequentadores dos ambulatórios Santa Marcelina, RO. Revista Saúde e Pesquisa, v. 7, n. 1, 2014. Disponível em: https://periodicos.unicesumar.edu.br › download. Acesso em maio de 2020

Coradin, L.; Siminsk, A.; Reis, A. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro – Região Sul /. – Brasília: MMA, 2011. Disponível em: https://www.gov.br › fauna-e-flora › Regiao_Sul. Acesso em maio de 2020

Da Silva, A. P. A. B., Amorim, R. M. F., de Freitas Lopes, R., Mota, M. R. L., da Silva, F. M. A., Koolen, H. H. F., ... & da Cunha, R. M. (2018). Calycophyllum spruceanum BENTH amelioratesacute inflammation in mice. Journal of ethnopharmacology, v. 219, p. 103-109, 2018. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29567276/. Acesso em maio de 2020

DE VARGAS, Fabiano S. et al. Antioxidant activity and peroxidase inhibition of Amazonian plants extracts traditionally used as anti-inflammatory. BMC complementary and alternative medicine, v. 16, n. 1, p. 1-8, 2016. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26921197/. Acesso em maio de 2020

Fenalti, J. M.; Santos, T. M.; Santos, P. C.; Baccega, B. B.; Scaini, C .J. Diversidade das plantas brasileiras com potencial anti-helmíntico. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde. (2016). Recuperado de https://periodicos.furg.br/vittalle/article/view/6188. Acesso em maio de 2020

Guitton, T.L. Madeiras da Amazônia: características e utilização. 1. ed., Rio Branco: CEAGAC, 1991. Disponívem em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/174831/1/CPAF-AP-2016-Densidade-e-resistencia-a-flexao-da-madeira.pdf .Acesso em maio de 2020

Lino, T. S. S. et al. Efeito antioxidante e fotoprotetor de extratos aquosos e etanólicos da casca do Calycophyllum spruceanum. In: Reunião Anual da SBPC - Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 2009, Manaus. Anais Eletrônicos. Manaus: UFAM, 2009. Acesso em maio de 2020

Martins, D.; Nunez, C. V. Secondary metabolites from Rubiaceae species. Molecules. 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/ DOI: 10.3390/molecules200713422. Acesso em maio de 2020

MAM, M.; Pinto, A. C.; Veiga, Jr. V. F.; Grynberg, N.F.; Echevarria, A. Plantas medicinais: a necessidade de estudos multidisciplinares. Quím Nova. 2002; 25(3):429-438. DOI: 10.1590/S0100-40422002000300016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-40422002000300016 Acesso em maio de 2020

Morais, S. M. et al. Ação antioxidante de chás e condimentos de grande consumo no Brasil. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 19, n. 1, 2009. Disponível em: https://www. http://www.scielo.br/j/qn/a/tgsYhzfzBs3pDLQ5MtTnw9c/?lang=pt. Acesso em maio de 2020

Moura, F. D., et, al., A importância da biossegurança na produção e utilização de produtos naturais e fitoterápicos/ the importance of biosafety in the production and use of natural and herbal products. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 2, feb. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/issue/view/79.

Oliveira, A. C. D.; Ropke, C. D. Os dez anos da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF) e os principais entraves da cadeia produtiva de extratos vegetais e medicamentos fitoterápicos no Brasil. 2016. FIOCRUZ, Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde, ABIFINA, Rio de Janeiro, RJ, Brasil 2PHYTOBIOS, Barueri, SP, Brasil. DOI 10.5935/2446-4775.20160015. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/19253. Acesso em maio de 2020

PAZ, Jorge Enrique Wong et al. Phenolic content and antibacterial activity of extracts of Hameliapatens obtained by different extraction methods. Brazilian journal of microbiology, v. 49, n. 3, p. 656-661, 2018. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1517838216301903. Acesso em maio de 2020

PEIXOTO, Herbenya et al. Calycophyllum spruceanum (Benth.), the amazonian “tree of youth” prolongs longevity and enhances stress resistance in Caenorhabditis elegans. Molecules, v. 23, n. 3, p. 534, 2018. . Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29495517/. Acesso em maio de 2020

Revilla, J. Apontamentos para a cosmética amazônica. Ed. SEBRAE-AM/INPA, Manaus, 2002. Disponível em: https://koha.inpa.gov.br. Acesso em maio de 2020

Santos, A. B.; Ribeiro-oliveira, J. P.; Carvalho, C. M. Sobre a botânica, a etnofarmacologia e a química de Calycophyllum spruceanum (Benth.) Hook. f.ex K. Schum. Universidade Federal do Acre, Centro de Ciências Biológicas e da Natureza, 69.920-900.2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S151605722016000500383&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em maio de 2020

Silva, J. R. A., Rezende, C. M., Pinto, A. C., & Amaral, A. C. F. (2010). Cytotoxicity and antibacterial studies of iridoids and phenolic compounds isolated from the latex of Himatanthussucuuba. African Journal of Biotechnology, 9(43), 7357-7360 Disponível em: https://www.ajol.info/index.php/ajb/article/view/130387. Acesso em maio de 2020

Wen, L.; Haddad, M.; Fernández, I.; Espinoza, G.; Ruiz, C.; Neyra. E; Bustamante, B.; Rojas, R. Actividad Antifúngica De Cuatro Plantas Usadas En La Medicina Tradicional Peruana. Aislamiento De 3'- Formil – 2',4',6' – Trihidroxidihidrochalcona, Principio Activo De PsidiumAcutangulum. RevSocQuímPerú. 2011. Disponível em http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1810-634X2011000300005. Acesso em maio de 2020

Wagner, H.; Proksch, A.; Riess-Maurer, I.; Vollmar, A.; Odenthal, S.; Stuppner, H.; Jurcic, K.; Le Turdu, M.; Heur, Y. H. Immunostimulantactionofpolysaccharides (heteroglycans) fromhigherplants. Preliminary communication. Arzneimittelforschung, v.34, n.6, 1984. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/6541484/. Acesso em maio de 2020

Zuleta, L. M. C.; Cavalheiro, A. J.; Silva, D. H. S.; Furlan, M.; Young, M. C. M.; Albuquerque, S.; Castro-Gamboa, I.; da Silva Bolzani, V. Seco-iridoids from Calycophyllum spruceanum (Rubiaceae). Phytochemistry2003, 64, 549-553. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/12943773/. Acesso em maio de 2020RADECIMENTOS




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-335

Refbacks

  • There are currently no refbacks.