O sagrado e a violência: o fundamentalismo e sua influência no neopentecostalismo: reflexões e riscos no contexto Religioso Brasileiro / The sacred and the violence: the fudamentalism and its influence in the neopentecostalism: reflections and risks in the Brazilian Religious context

Luis de Castro Campos Jr

Abstract


O fundamentalismo cristão tem se firmado com a nova onda conservadora que ganhou espaço no Brasil e em demais partes do mundo. Sua interpretação literal da bíblia sem levar em consideração o contexto histórico de sua produção tem acarretado equívocos e posições radicais frente a um novo momento marcado por maior pluralismo religioso.  Nas  igrejas neopentecostais observa-se maior ênfase quanto a utilização da bíblia como referencial normativo que associada a tese da batalha espiritual tem se consolidado como fator de elevado risco para a convivência harmoniosa entre as diferentes religiões. Pretende-se refletir sobre a interpretação literal e sua proximidade com a teologia da batalha espiritual além dos riscos da violência resultante de tais interpretações.


Keywords


Fundamentalismo, Religião, Sociedade, História, Pentecostalismo.

References


ANTONIAZI, Alberto. et al. Nem Anjos, Nem Demônios. Interpretações Sociológicas do Pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994.

BRESCIANI, Maria Stella Martins. Metrópoles: As Faces do Monstro Urbano. As Cidades do Século XIX. In: Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH: Editora Marco Zero, 1984-85. Vol. 5, n. 8/9

BOURDIEU. Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. Trad. Sérgio Miceli, Silvia de Almeida Prado, Sônia Miceli e Wilson Campos Vieira. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992.

_________________. O Poder Simbólico. Tradução. Fernando Thomaz. 13. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BURGUIÈRE, André (Org). Dicionário das Ciências Históricas. Tradução. Henrique de Araújo Mesquita. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1993.

CAMPOS, Leonildo Silveira. Teatro, Templo e Mercado. Organização e Marketing de um Empreendimento Neopentecostal. Petrópolis: Vozes. São Paulo: Simpósio: Universidade Metodista de São Paulo. 1997.

FRESTON, Paul. Breve História do Pentecostalismo. In: ANTONIAZZI, Alberto. et. al. Nem Anjos, Nem Demônios. Interpretações Sociológicas do Pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994. P.57-159

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. O Nascimento da Prisão. Tradução. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

ITIOKA, Neuza; BAETA, Thiago; RIBEIRO, Ana. Cura Interior e Batalha Espiritual. 2. ed. São Paulo: EDITORAMAR, 2020.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais. Sociologia do Novo Pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1999.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa; VELASQUES FILHO, Prócoro. Introdução ao Protestantismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1992.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. Pentecostalismo e as Concepções Históricas e sua Classificação. In: SOUZA, Beatriz Muniz. et al. Sociologia da Religião No Brasil. 1. ed. São Paulo: PUC:UMESP:SIMPÓSIO, 1998. v. 1. p. 1-11.

ROSADO NUNES, Maria José F. CITELI, Maria Teresa. Violência Simbólica: a Outra Face das Religiões. São Paulo: Católicas pelo Direito de Decidir, 2010.

ROLIM, Francisco C. O que é Pentecostalismo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

SEVCENKO, Nicolau. A Corrida Para o Século XXI. No Loop da Montanha Russa. São Paulo: Cia das Letras, 2001.

SOUZA, Beatriz. A Experiência da Salvação. Pentecostais em São Paulo. São Paulo: Duas Cidades, 1969.

THOMAS, Keith. A Religião e o Declínio da Magia. São Paulo: Cia das Letras, 1991




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-292

Refbacks

  • There are currently no refbacks.