O Uso da Mikania Glomerata no tratamento alternativo para doenças respiratórias: revisão de literatura / The Use of Mikania Glomerata in alternative treatment for respiratory diseases: a literature review

Vitoria Nascimento Teófilo, Lidiane Andressa Cavalcante Uhlmann

Abstract


A complexidade que caracteriza o mundo atual e, particularmente, o cenário de saúde exige o desenvolvimento de programas, de ensino com vistas a alcançar novo tipo de pensamento e a formação do profissional da saúde, comprometido com a reconstrução da Saúde Coletiva. Portanto, este é um estudo bibliográfico, no qual se buscou aproximação com o tema fitoterápico e Mikania Glomerata no tratamento alternativo para doenças respiratórias. Desse modo, objetivo da pesquisa foi identificar na literatura, a importância do o uso da Mikania Glomerata como uma alternativa para o tratamento respiratório, mostrando a importância de sua indicação.

 


Keywords


Mikania Glomerata, Tratamento Respiratório, Mikania Glomerata e Plantas Medicinais

References


ABOY, A. L. et al. Atividade antiespasmódica de soluções extrativas de folhas de Mikania glomerata Sprengel (guaco). Acta farmacêutica bonaerense, v. 21, n. 3, p. 185-192, 2002.

ANTO, J. M. et al. Epidemiologia da doença pulmonar obstrutiva crônica. European Respiratory Journal, v. 17, n. 5, p. 982-994, 2001.

BERTOLDI, F. C. et al. Validação de um método analítico rápido por CLAE-UV para determinação de cumarina em guaco (Mikania glomerata Sprengel) confirmado com espectrometria de massas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 18, n. 1, p. 316-325, 2016.

BIANCHINI, M. C. et al. Análise Bioquímica dos possíveis efeitos antioxidantes do extrato aquoso de Mikania glomerata in vitro. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 4, n. 2, 2012.

BOCHNER, R. et al. Problemas associados ao uso de plantas medicinais comercializadas no Mercadão de Madureira, município do Rio de Janeiro, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 3, p. 537-547, 2012.

BOLINA, R. C.; GARCIA, E. E. de; DUARTE, M. G. R. Estudo comparativo da composição química das espécies vegetais Mikania glomerata Sprengel e Mikania laevigata Schultz Bip. ex Baker. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 19, n. 1B, p. 294-298, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada RDC n° 26: Dispõe sobre o registro de medicamentos Fitoterápicos e o registro e a notificação de produtos naturais fitoterápicos. D.O.U. (Diário Oficial da União), 13/05/2014.

________. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada RDC N° 48: Dispõe sobre o registro de Fitoterápicos. D.O.U (Diário Oficial da União), 16/03/2004.

________. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária: Determina a publicação da Lista de Registro Simplificado de fitoterápicos, 11/12/2008. [Link].

________. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa IN N° 4: Determina a publicação do guia de orientação para registro de medicamento Fitoterápico e registro e notificação de Produto Tradicional Fitoterápico. D.O.U (Diário Oficial da União), 18/06/2014.

________. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada RDC N° 14: Dispõe sobre o registro de medicamentos Fitoterápicos. D.O.U (Diário Oficial da União), 31/03/2010. .

________. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Formulário de fitoterápicos da farmacopeia brasileira: Brasília. 126p, 2018

________. Ministério da Saúde. Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Influenza – Mortes Registradas: banco de dados. 2015.

CABRERA¸ A.L.; KLEIN, M. Compostas (Eupatoriae). In: REITZ, R. Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues, 1989. p.649-750.

CARVALHO, A.C.B. et al. Situação do registro de medicamentos fitoterápicos no Brasil. Revista Brasileira de Farmacognosia, v.18, n.2, p.314-9, 2008.

CORRÊA M. F. P; MELO, G.O; COSTA, S.S. Substâncias de origem vegetal potencialmente úteis na terapia da Asma. Rev Bras Farmacogn 18 (Supl.). 2008. p.785-797.

CORTEZ, L.E. R.; JACOMOSSI, E.; CORTEZ, D. Aparício G.. Levantamento das plantas medicinais utilizadas na medicina popular de Umuarama, PR. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v. 3, n. 2, 1999.

COUTINHO, L. A.; GONÇALVES, C. P.; MARCUCCI, M. C.. Composição química, atividade biológica e segurança de uso de plantas do gênero Mikania. 2020.

CZELUSNIAK, K. E. et al. Farmacobotânica, fitoquímica e farmacologia do Guaco: revisão considerando Mikania glomerata Sprengel e Mikania laevigata Schulyz Bip. ex Baker. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 2, p. 400-409, 2012.

CZELUSNIAK, M. S., et al. A regulação em julgamento: ações coletivas sobre telecomunicações na jurisprudência do STJ. 2009.

DE ANDRADE, S. A. L., et al. Fitoterápicos da relação nacional de medicamentos essenciais no Brasil. Revista Cubana de Plantas Medicinales, 2017, 22.1.

DE MOURA, R. S. et al. Bronchodilator activity of Mikania glomerata Sprengel on human bronchi and guinea‐pig trachea. Journal of Pharmacy and Pharmacology, v. 54, n. 2, p. 249-256, 2002.

DE SOUSA, N. M. et al. USO DE PLANTAS MEDICINAIS NO TRATAMENTO DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. USO DE PLANTAS MEDICINAIS NO TRATAMENTO DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS, p. 1-388–416, 2020.

DIAS S. da. RA. Pharmacopéia dos Estados Unidos do Brasil. Companhia Editora Nacional, 1ª ed, 1929.

DO VALLE, K. D., et al., Chlorophyll content and degrees day accumulation in passion fruit species in the Southwest of Goias, Brazil. Comunicata Scientiae, 2018, 9.3: 351-355.

FERREIRA, F.P. Analises químicas e quantitativas de duas espécies de Mikania: Mikania glomerata Sprengel e Mikania laevigata Schultz. 2008.

GASPARETTO, J. C. et al. Mikania glomerata Spreng. e M. laevigata Sch. Bip. ex Baker, Asteraceae: estudos agronômicos, genéticos, morfoanatômicos, químicos, farmacológicos, toxicológicos e uso nos programas de fitoterapia do Brasil. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 20, n. 4, p. 627-640, 2010.

GOMES, Mariana Fontana Marques et al. Fitoterapia no tratamento e como potencial terapêutico da psoríase em placas. 2019. Tese de Doutorado. Universidade de Coimbra.

JOLY A.B. Botânica: Introdução a taxonomia vegetal.. São Paulo: Cia. Editora Nacional. 1967.159p.

KAISER, C. R., et al. Determinação de Cumarina em Extratos de Guaco Comercial: Um Estudo de Caso sobre o Controle de Qualidade de Fitoterápicos. 2007.

LIMA, I. E. O.; NASCIMENTO, L. A. M.; SILVA, M. S. Comercialização de plantas medicinais no município de Arapiraca-AL. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 18, n. 2, p. 462-472, 2016.

MACEDO, S. E. C. et al. Fatores de risco para internação por doença respiratória aguda em crianças até um ano de idade. Revista de Saúde Pública, v. 41, p. 351-358, 2007.

MALVEZZI, R. et al. Uso popular e tradicional da mikania glomerata spreng e Mikania Laevigata Sch. Bip. Ex baker (GUACO) pela comunidade que frequenta o centro de referência em práticas integrativas em saúde (CERPIS) em Planaltina-DF. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 78317-78319, 2020.

MANZONI, A. G. et al. Efeito da rutina e da curumina em marcadores inflamatórios e oxidativos em modelo experimental de hiperlipidemia. 2019.

MARTINS, R. M. et al. Curcuminoid content and antioxidant activity in spray dried microparticles containing turmeric extract. Food Research International, v. 50, p. 657-663, 2013.

MELO, J. B. et al. Correlação do efeito antiglicante e capacidade antioxidante de compostos fenólicos" in vitro". 2017.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Anuário Estatístico de Saúde do Brasil - 2001.

________________________. MONOGRAFIA DA ESPÉCIE Mikania glomerata (GUACO). Organização: Ministério da Saúde e ANVISA Fonte do Recurso: Ação 20K5 (DAF/SCTIE/MS) /2012 Brasília 2014.

MURILHO, J. M.; et. al., Efeitos dos Extratos de Guaco (Mikania glomerata S.) e Mil-Folhas (Achillea millefolimL) Sobre o Crescimento de Pleurotus ostreatus “Florida” em Cultura Submersa. Iniciação Científica Cesumar, 2009, 11.1: 15-22.

MURRAY, R. S. Teoria y Problemas de Analisis de Fourier. 1978.

NICOLETTI, M.A. et al. Principais interações no uso de medicamentos fitoterápicos. Infarma, v.19, n.1/2, p.32-40, 2007.

NORMATIVA (IN) nº 5, de 11 de dezembro de 2008. Lista de medicamentos fitoterápicos de registro simplificado. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 dezembro. 2008.

OLIVEIRA, F. de; SAITO, M. L.; GARCIA, L. de O. Caracterização cromatográfica em camada delgada do extrato fluido de guaco: Mikania glomerata Sprengel. Embrapa Meio Ambiente-Artigo em periódico indexado (ALICE), 1993.

PANIZZA, S. Plantas que curam: cheiro de mato. São Paulo: IBRASA, 1997.

PEDROSO APD, SANTOS S.C, STEIL A.A, Deschamps F, Barison A, Campos F, Biavatti MW. Isolation of syringaldehyde from Mikania laevigata medicinal extract and its influence on the fatty acid profile of mice. Rev Bras Farmacogn 18: 63-69. 2008

PESSINI, G. L. et al. Avaliação da atividade antibacteriana e antifúngica de extratos de plantas utilizados na medicina popular. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 13, p. 21-24, 2003.

RIBEIRO, Claudia Valeria Campos; KAPLAN, Maria Auxiliadora Coelho. Tendências evolutivas de famílias produtoras de cumarinas em Angiospermae. Química Nova, 2002, 25.4: 533-538.

RITTER, M.R.; MIOTTO, S.T.S. Taxonomia de Mikania Willd. (Asteraceae) no Rio Grande do Sul, Brasil. HOEHNEA - Periódico Científico do Instituto de Botânica, v.32, n.3, p.309-59, 2005.

ROCHA, Leandro et al. Mikania glomerata Spreng: Desenvolvimento de um produto fitoterápico. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 18, p. 744-747, 2008.

SANTOS, S. C. dos, et al. Caracterização cromatográfica de extratos medicinais de guaco: Mikania laevigata Schultz Bip. ex Baker e M. glomerata Sprengel e ação de M. laevigata na inflamação alérgica pulmonar. 2005.

SILVA JÚNIOR A.A, et al., Um novo ecótipo de Mikania glomerata Spreng. (Asteraceae) rico em óleo essencial no Sul do Brasil. Rev Fitos 2015, 9(1):19-28. ISSN 2446-4775.

SILVA RAD. Pharmacopeia dos Estados Unidos do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1926. 1147p

SILVA, A. A. da; GONÇALVES, Roberto C.. Espécies reativas do oxigênio e as doenças respiratórias em grandes animais. Ciência Rural, v. 40, n. 4, p. 994-1002, 2010.

SILVA, C. R. da et al. Método espectroscópico para determinação de cumarina em xarope de Mikania glomerata Sprengel. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 18, n. 4, p. 594-599, 2008.

SILVA, N. L.; TEIXEIRA, A. B.. Avaliação da atividade antimicrobiana da espécie vegetal Mikania glomerata Sprengel cultivada no horto de plantas medicinais em uma faculdade de Fortaleza. Revista Diálogos Acadêmicos, v. 8, n. 2, 2020.

SOARES, A. K.A et al. Avaliação da segurança clínica de um fitoterápico contendo Mikania glomerata, Grindelia robusta, Copaifera officinalis, Myroxylon toluifera, Nasturtium officinale, própolis e mel em voluntários saudáveis. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 16, n. 4, p. 447-454, 2006.

SOUSA, T. C. de; JARDIM, J. R.; JONES, P. Validação do Questionário do Hospital Saint George na Doença Respiratória (SGRQ) em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica no Brasil. Jornal de Pneumologia, v. 26, n. 3, p. 119-128, 2000.

SOUZA, S. M. de et al. Atividade antibacteriana de cumarinas naturais e derivados. 2005.

TAVARES, J.. P. et al. Estudo de toxicologia clínica de um fitoterápico a base de associações de plantas, mel e própolis. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 16, n. 3, p. 350-356, 2006.

VAZ L. G. L. et al., Avaliação da eficiência de diferentes agentes coagulantes na remoção de cor e turbidez em efluente de galvanoplastia, Rev. Eclética Química, vol. 35, n° 4, São Paulo, 2010. .

WORLD Heath Organization. 1997: World Health Report. Geneva. WHO, 1998.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-288

Refbacks

  • There are currently no refbacks.