Vantagens e desvantagens dos métodos Wetland e tanque de evapotranspiração: Revisão não sistemática / Advantages and disadvantages of the Wetland and evapotranspiration tank methods: Non-systematic review

Diego César Veloso Rezende, Éllen Lemes Silva, Ana Flavia de Jesus Pinto, Sthefania Dalva da Cunha Rezende, Mallú de Mendonça Barros, Sara de Lima Saeghe Alcanfor Ximenes, Thais Gomes de Oliveira, Lucas Boscatti, Rhynaldo Ribeiro da Costa

Abstract


O lançamento de efluentes sem tratamento adequado, é devido a precariedade do serviço de saneamento ambiental. O cenário atual do saneamento no meio rural demonstra que ainda são intensas as desigualdades considerando habitantes das áreas urbanas, sendo o acesso dificultado devido a heterogeneidade de comunidades rurais e distâncias das estações de tratamento. Objetivou-se nesta revisão sistemática expor vantagens e desvantagens dos métodos de tratamentos de esgotos domésticos em áreas rurais, com os seguintes indicadores “tratamento de esgotos domésticos, saneamento ecológico, wetlands construídos, zonas rurais, tanque de evapotranspiração”. Realizou-se busca em bases eletrônicas Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Google Acadêmico, com seleção dos estudos pelos títulos e resumos, com palavras-chave “desfecho de eficiência nas gramíneas; eficácia dos sistemas de tratamentos de esgoto; artigos publicados em português e inglês”.  Visando a preservação da biodiversidade, a qualidade do solo e da água, foi visto no trabalho que os dois sistemas de tratamento são uma alternativa viável para qualquer tipo de propriedade rural. Por fim, foi observado que os dois tipos de tratamento disponíveis visam a preservação da biodiversidade e meio ambiente, a sustentabilidade, sendo uma tecnologia de fácil aplicação em qualquer propriedade rural. É um processo que deve ser trabalhado e incentivado, por empresas de extensão rural e instituições de pesquisa com finalidade de assistência técnica, logo agindo assim estarão interrompendo o ciclo das diversas doenças hídricas e tudo isto culminará com a melhoria da qualidade de vida das famílias rurais.                         


Keywords


efluentes, saneamento rural, preservação, biodiversidade

References


ALVES, M.O.; ANDRADE, I.K.T.; SILVA, G.B.; COSTA, J.N. Tratamento de esgoto sanitário: uma solução simples e ecológica de interesse social. Janus, Lorena, n.21, Jan.-Jun., 2015.

BERNARDES, F. S. Avaliação do tratamento domiciliar de águas negras por um Tanque de Evapotranspiração (TEvap). Revista On-line IPOG. 2014. Disponível em < http://www.ipoggo.com.br/uploads/arquivos/87d66210c6fd06a201d2ac670ff74fdd.pdf> Acesso em 14 de maio 2018.

BORGES, A. K. P. Despoluição De Águas Superficiais E Efluentes De Piscicultura Através De Sistemas Construídos De Áreas Alagadas (Constructed Wetland) – [Tese de Doutorado]. 140 p. Claro/SP. 2005.

BRASIL. Resolução CONAMA Nº 430 de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução nº 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Diário Oficial da União. República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 16 maio 2011.

BRASIL. Resolução CONAMA N.º 357, de 17 de março de 2005. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 18 mar. 2005. Seção 1, p. 58-63. 2005.

BRASIL, M.S.; MATOS, A.T.; SOARES; A.A. Plantio e desempenho fenológico da taboa (Typha sp.) utilizada no tratamento de esgoto doméstico em sistema alagado construído. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 12, n. 3, p. 266-272. 2007.

CAMARGO, S. M. P. Irrigação com efluente doméstico tratado em densidade de plantio no cultivo de Pimenta de cheiro. [conclusão de curso]. Brasília. DF. 2016.

CHAGAS, R.C.; MATOS, A.T.; CECON, P.R.; LO MONACO, P.A.V.; FRANÇA, L.G.F. Cinética de remoção de matéria orgânica em sistemas alagados construídos cultivados com lírio amarelo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 15, n. 11, p. 2011.

CONAMA, Conselho Nacional de Meio Ambiente. Legislação Ambiental, Resolução n0001, de 23 de janeiro de 1986.

EMATER. EMPRESA DE ASISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL. Tanque de evapotranspiração para o tratamento de efluentes do vaso sanitário domiciliar. 2016. 11p. Disponível em: http://www.emater.mg.gov.br/doc/intranet/upload/livrariavirtual/ma010.pdf>. Acesso em: 28 de maio 2018.

FERNANDES, A.C.; PANDOLFI, M.A.C.; SCABELO, C.; GROSSI, S.F. A viabilidade do tratamento de águas negras através do tanque de evapotranspiração no meio rural. In: III SIMTEC – Simpósio de Tecnologia da FATEC Taquaritinga. Disponível em: 9p. outubro de 2015.

FIA, R.; MATOS, A.T.; FERREIRA, P.A.; TEODORO, P.E.P.; SCHUERY, F.C.; LUIZ, F.A.R. Desempenho agronômico da Typha sp. e Alternanthera philoxeroides Mart. utilizadas no tratamento de águas residuárias da lavagem e descascamento/despolpa dos frutos do cafeeiro em sistema alagado construído. Engenharia na Agricultura, v. 16, n. 4, p. 436-448. 2008.

FILHO, D. M. C. Desempenho de um sistema de alagado construído, plantado com capim vetiver (Chrysopogon zizanioides (L.). Roberty), na remoção de metais e de P, S e Se de resíduos de fossa. [dissertação de mestrado]. Goiânia. GO. 2015.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE – FUNASA. Manual de saneamento. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

FUNASA. FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. Panorama do saneamento rural no Brasil. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 de mai. 2018.

IBGE PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Síntese de Indicadores. 2015/IBGE. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 108p.

KADLEC, R.H.; KNIGHT, R.L. Treatment Wetlands. CRC Press, Boca Raton, Fl. 893pp. 1996.

LISBÔA, S. M. F. Soluções alternativas de saneamento básico para comunidades rurais. [conclusão de curso]. Cruz das Almas, BA, 2016.

MADEIRA, H. S. Análise de performance e proposições e proposições de novos conceitos para módulos de uma unidade de tratamento de efluentes domésticos. [conclusão de curso]. Rio das Ostras. RJ. 2017.

MATOS, A. T de.; ABRAHÃO, S. S.; MONACO, P. A. V. lo.; SARMENTO, A. P.; MATOS, M. P. de. Capacidade extratora de plantas em sistemas alagados utilizados no tratamento de águas residuárias de laticínios. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v. 14. P. 1311-1317. 2010.

MATOS, A.T.; FREITAS, W.S.; LO MONACO, P.A.V. Capacidade extratora de diferentes espécies vegetais cultivadas em sistemas alagados utilizados no tratamento de águas residuárias da suinocultura. Revista Ambiente e Água, v. 4, n. 2, p. 31-45. 2009.

MAZZOLA, M.; ROSTON, D.M.; VALENTIMR, M.A.A. Uso de leitos cultivados de fluxo vertical por batelada no pós-tratamento de efluente de reator anaeróbio compartimentado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 9, n. 2, p. 276-283. 2005.

MEDEIROS, D. M. Estudo sobre a aplicação de Wetlands construídos para o tratamento de esgoto em loteamentos, condomínios e comunidades isoladas. [dissertação de mestrado]. Florianópolis. SC. 2017.

MOURÃO, J. R. Avaliação da eficiência de uma wetland construída nos pós tratamento de efluentes domésticos. Limeira, SP. 2016.

NIKOLIĆ, V.; MILIĆEVIĆ, D.; MILENKOVIĆ, S. Wetlands, contructed wetlands and their's role in wastewater treatment with principles and examples of using it in Serbia. Architecture and Civil Engineering, 7 (1), 2009.

OLIVEIRA, C.L. Destino dos dejetos da bovinocultura de leite em unidades de referência da chamada pública do leite na unidade regional de Cataguases-MG. Monografia/Especialização em Extensão Ambiental para o Desenvolvimento Sustentável, UFLA/Lavras – MG,2016.

ROSSMANN, M.; MATOS, A.T.; ABREU, E.C.; SILVA, F.F.E; BORGES, A.C. Performance of constructed wetlands in the treatment of aerated coffee processing wastewater: removal of nutrients and phenolic compounds. Ecological Engineering, v. 49, p. 264-269. 2012.

RIBEIRO, J. W.; ROOKE, J. M. S. Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e a saúde pública. [especialização]. Juiz de Fora. MG. 2010.

SABEI. T. R. Educação ambiental não formal voltada para o saneamento, tendo a implementação de uma estação de tratamento de esgoto por zona de raízes em São José dos pinhais- PR, como estudo de caso. [especialização]. Curitiba. PR. 2014.

SABEI, T. R.; BASSETTI, F. J. de. Alternativas ecoeficientes para tratamento de efluentes em comunidades rurais. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista. Vol. 9. 2013. Disponível em :< http://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/forum_ambiental/article/view/692/716> Acesso em 21 de maio 2018.

SALATI, E.; FILHO, E. S.; SALATI, E. Utilização de sistemas de wetlands construídas para tratamento de águas. Instituto Terramax- Consultoria e Projetos Ambientais LTDA. Piracicaba. SP. 2009.

SILVA, B.A. Determinação de condicionantes para uso do tanque de evapotranspiração como elemento de saneamento rural em Minas Gerais. Monografia. Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ :48 f., 2016.

SILVEIRA, D. D. Potencial de remoção de nitrogênio em um único estágio de filtros plantados com macrófitas para o tratamento de esgoto doméstico bruto: aporte da biologia molecular para a compreensão dos processos. [tese de doutorado]. Florianópolis. SC. 2015.

SIQUEIRA, E. R. Tratamento dos resíduos de fossas e tanques sépticos em um sistema de alagado construído. [dissertação mestrado]. Goiânia, Goiás. 2014.

SOARES. V. R. Tanques biosépticos para o tratamento de esgotos domésticos em zonas rurais. [conclusão de curso]. Porto Alegre. RS. 2016.

SOUSA, J.T.; VAN HAANDEL, A.C.; COSENTINO, P.R.S.; GUIMARÃES, A.V.A. Pós-tratamento de efluente de reator UASB utilizando sistemas “wetlands” construídos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 4, n. 1, p. 87-91. 2000.

SOUZA, A. B. M. Avaliação do desempenho de um wetland construído na etapa de polimento final de uma estação compacta de tratamento de esgoto doméstico. [conclusão de curso]. Lajeado. RS. 2015.

SOUSA, B. E. M. Estudo da Implementação de Sistemas Naturais de Tratamento de Águas Residuais no Tratamento de Efluentes de Caudais Variáveis o Caso de Estudo da “Boomland”. [dissertação de mestrado]. Porto. RJ. 2018.

TEIXEIRA, J.B. Saneamento rural no Brasil - perspectivas. In: REZENDE, S.C. (org.). Cadernos temáticos v. 7. In: HELLER, L.; MORAES, L. R. S.; BRITTO, A.L. N. P.; BORJA, P. C.; 12 REZENDE, S. C. (Coord.). Panorama do saneamento básico no Brasil. Brasília: Ministério das Cidades. 2014.

TESKE. F. F. Construção de um Wetland híbrido para polimento de efluente doméstico. [conclusão do curso]. Porto Alegre. RS. 2016.

UNITED NATIONS (2014) UN DOCUMENTS Gathering a body of global agreements. Our Common Future, Chapter 2: Towards Sustainable Development. Disponível em: . Acesso: 30 mai.2




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-228

Refbacks

  • There are currently no refbacks.