Desempenho dos vidros float, laminado e aramado no estudo da temperatura e umidade relativa do ar em células-teste com escala reduzida / Performance of float, laminated and wired glass in the study of air temperature and relative humidity in scaled-down test cells

Mariana Cristina Oliveira do Rosário, José Higino Dias Filho, Álvaro Barbosa de Carvalho Júnior, Igor Felipe Silva Moura, Rafael Lucas Oliveira do Rosário

Abstract


No estudo do conforto térmico, a escolha adequada dos materiais e componentes construtivos é muito importante, tendo em vista que eles atuam como mecanismo de controle das variáveis climáticas, cuja função é atender às necessidades térmicas e lumínicas dos ambientes nas edificações. Na construção civil, o vidro é um dos materiais que pode favorecer o aquecimento interno nos ambientes das edificações causando o efeito estufa. Isso ocorre porque sua transparência permite a passagem da radiação solar e possibilita a criação de um microclima no ambiente. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho consistiu em analisar o comportamento da temperatura e umidade relativa do ar em células-teste, construídas em escala reduzida de 1:10. Para isso, foram investigados com as células-teste três tipos de vidro, sendo estes do tipo float, laminado e aramado. Os vidros foram instalados como elementos de vedação transparentes (janelas), onde a passagem da luz solar permitiu analisar o comportamento da temperatura e umidade relativa do ar no interior das células-teste. Posterirormente, as valores de temperatura e umidade coletados no período de três dias, foram comparados entre os diferentes tipos de vidros utilizados. Os dados coletados foram analisados por meio de um modelo físico teórico que considera a interação da radiação solar com os vidros. As propriedades térmicas e ópticas desses materiais estão relacionadas à absorbância e transmitância dos raios solares e, consequentemente, às variações nas temperaturas e umidades internas dos ambientes das edificações. A peculiaridadesta pesquisa consiste no estudo de ganho de calor e desempenho térmico dos vidros em células-teste com escala reduzida. Os resultados obtidos sugerem uma viabilidade de realização desse tipo de estudo em células-teste com escala reduzida, sendo constatados diferentes valores de temperatura e umidade em função do tipo de vidro utilizado.


Keywords


vidros, escala reduzida, temperatura, umidade, conforto térmico.

References


AOSONG. DHT11 Product Manual. Disponível em . Acessado em: Janeiro 2021.

ASHRAE, ASHRAE Handbook - Fundamentals, American Soceity of Heating, Refrigerating, and Air Conditioning Engineers, Atlanta, 2001.

BRASIL, Ministério das Minas e Energia – MME. Lei nº 10.295 de 17 de outubro de 2001. Dispõe sobre a Política Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, Seção 1. Disponível em Acessado em: Janeiro 2021.

BRASIL. Ministério das cidades. Programa Minha Casa Minha Vida – FAR – Especificações mínimas. 2011. Disponível em Acessado em: Janeiro 2020.

CARAM de Assis, R. M. Vidros e o Conforto Ambiental: Indicativos para o emprego na construção civil. Dissertação de Mestrado. Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo, 131p., 1996.

CARAM de Assis, R. M. Caracterização Ótica de Materiais Transparentes e sua Relação com o Conforto Ambiental. Tese de Doutorado. Faculdade de Engenharia Civil, Universidade Estadual de Campinas. São Paulo, 165p., 1998.

CASTRO, Adriana Petito de Almeida Silva. Desempenho térmico de vidros utilizados na construção civil: estudo em células-teste. 2006. 239 f. Tese (Doutorado). Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Universidade Estadual de Campinas- SP, 2006.

CEBRACE. Os tipos de vidro: Conheça os tipos de vidros e suas características, 2021. https://www.cebrace.com.br/#!/enciclopedia/interna/os-tipos-de-vidro

COSTA, Angelina Dias Leão. Análise bioclimatica e investigação do conforto térmico em ambientes externos: Uma experiência no bairro de Petrópolis em Natal/RN. Natal-RN.2003. Disponível em < https://repositorio.ufrn.br/handle/12345 6789/12411> Acessado em: Janeiro 2021.

DUFFIE, J. A., BECKMAN, W. A. Solar Engineering of Thermal Processes. Wiley Interscience Publication, USA, 1980.

GIVONI, B. Man, Climate and Architecture. London: Elsevier, 1981.

INCROPERA, F.P., BERGMAN, T.L., DEWITT, D.P., Fundamentos de Transferência de Calor e de Massa, 6ª ed., Editora LTC, Rio de Janeiro-RJ, 643p., 2008.

LAMBERTS, R; DUTRA, L; PEREIRA, F. Eficiência Energética na Arquitetura. São Paulo: PW Editores. 2013.

MAXIM INTEGRATE PRODUCTS. DS3231 - Extremely Accurate I2C-Integrated, 2015.

MOREIRA, J. R. S. PME 2361 – Processos de Transferência de Calor. Notas de aula – Condução, 2016. Disponível em http://www.usp.br/sisea/wp-content/uploads/2014/11/apostila.pdf (aceso em 22/03/2021).

OLIVEIRA, P. J. Notas para Transmissão de Calor. Departamento de Engenharia Electromecânica, UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR – UBI, 2015. Disponível em Acessado em: Janeiro 2021.

RODRIGUES, E. Conforto Térmico das Construções. Disponível em Acessado em: Janeiro 2021.

SANTOS, J.C.P. Avaliação do Desempenho Térmico e Visual de Elementos Transparentes Frente à Radiação Solar. Tese (Doutorado). Curso de Pós- Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2002.

SANTOS, J. P; RORIZ, M. Ambiente Construído. Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 149-161, jan./mar. 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-225

Refbacks

  • There are currently no refbacks.