Óbitos fetais: análise do perfil epidemiológico na Macrorregião Sudeste de Minas Gerais / Fetal deaths: analysis of the epidemiological profile in the southeastern Macro-Region of Minas Gerais

Iasmim Sand Ferreira de Souza, Ana Clara Ribeiro Garcia, Ana Luiza Sales Brinati, André Marinho Vaz, Beatriz Almeida Araújo, Daniela Henrique Fernandes Campos, Maria Eduarda Vilela Siqueira, Paula Medina Cribari

Abstract


Estudo epidemiológico que objetivou avaliar os óbitos fetais na macrorregião do sudeste de Minas Gerais, considerando peso fetal e idade gestacional, no período de 2017 a 2019. Elaborou-se o artigo tendo como base a análise de dados disponíveis no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), comparando os períodos de 2007 a 2019 e dos últimos dois anos disponíveis na base de dados, 2018 a 2019.

Os dados foram relacionados a evolução das políticas públicas de assistência ao pré-natal. Observa-se que no primeiro período analisado houve um aumento nos casos de óbito, enquanto existiu uma diminuição dos óbitos fetais no segundo período analisado, além de um aumento significativo no número mulheres que alcançaram o terceiro semestre de gestação.

Conclui-se, então, através desse estudo, que apesar da queda no número de óbitos fetais, os números são alarmantes e indicam a necessidade de uma maior investigação dos fatores relacionados a causa de óbitos fetais, a uma melhora da assistência à saúde materno-fetal, na implementação de políticas de saúde públicas que atenuem esses números.


Keywords


Óbitos Fetais, Peso Nascimento, Idade Gestacional, Assistência Ao Pré-Natal.

References


GIRALDI, Laura M. et al. Fetal death: obstetric, placental and fetal necroscopic factors. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/331912146_Fetal_death_obstetric_placental_and_fetal_necroscopic_factors.

SILVA LSR, et al. Perfil sociodemográfico e obstétrico dos óbitos fetais de gestantes residentes em um município do estado do Maranhão. Revista Eletrônica Acervo Saúde/Electronic Journal Collection Healt. ISSN 2178 – 209. Vol. Sup.n.45 e 3113, Maranhão. 2020

RODRIGUES LA, et al. Avaliação dos comitês de prevenção de óbitos maternos, fetais e infantis de uma região do estado de Minas Gerais, Brasil. Volume: 24:e-1288, Minas Gerais. 2019

MARQUES LJP, et al. Contribuições da investigação dos óbitos fetais para melhoria da definição da causa básica do óbito no Município de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública [online]. v. 37, n. 2 [Acessado 5 Maio 2021] , e00079120. Disponível em: . ISSN 1678-4464. https://doi.org/10.1590/0102-311X00079120.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de informação sobre mortalidade.

Disponível em: . Acesso em Maio de 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Manual de vigilância do óbito infantil e fetal e do Comitê de Prevenção do Óbito Infantil e Fetal, 2.ed. Brasília (DF); 2009 [citado 2012 abr 10].

BLENCOWE H, Cousens S, Jassir FB, Say L, Chou D, Mathers C, et al. National, regional, and worldwide estimates of stillbirth rates in 2015, with trends from 2000: a systematic analysis. Lancet Glob Health. 2016;4(2):e98-108. Disponível em: < https://doi.org/10.1016/S2214-109X(15)00275-2>

SAY, Dr Lale. National, regional, and worldwide estimates of stillbirth rates in 2009 with trends since 1995. Department of Reproductive Health and Research, 2011. Disponívelem:http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/70617/WHO_RHR_11.03_eng.pdf;jsessionid=A8595909D397D4F0533E5423ACA5E50B?sequence=1

MENEZZI, América Maria Eleutério Dell et al. Vigilância do óbito fetal: estudo das principais causas. O Mundo da Saúde, São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/155574/A07.pdf.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-219

Refbacks

  • There are currently no refbacks.