O que é ser professor de matemática para alunos (as) DVS? Possibilidades e desafios constantes / What is being a mathematics teacher for DVS? Possibilities and constant challenges

Laura Nolasco Ribeiro, Maria Bethânia Sardeiro dos Santos, Maria Neide Filha

Abstract


De acordo com Tardif (2011), aprendemos a trabalhar trabalhando, mas antes de sermos profissionais, durante a formação inicial e também durante toda a vida é essencial o contato com várias realidades, que se verifique a indissociabilidade entre teoria e prática. Em várias oportunidades pudemos constatar que o ambiente escolar nos ensina mais do que conteúdos didáticos, pois observar para aprender vai além de um registro em um caderno, um rascunho feito às pressas. Sendo assim, esse artigo, tendo como temática o desafio de ensinar conteúdos matemáticos para crianças com deficiência visual, é um produto originário do Estágio supervisionado III, realizado no Centro Brasileiro de Reabilitação e Apoio ao Deficiente Visual (CEBRAV), com crianças do 2º ano do Ensino Fundamental, com idades entre 7 e 8 anos, nas aula de apoio de Matemática. O conteúdo ministrado foi adição e subtração do 2º Ano do Ensino fundamental. Relata parte das vivências do período de observação, da regência, a metodologia, o livro sensorial, adaptado em Braille e em tinta que foi escolhido para desenvolver os objetivos propostos de fixação dos conteúdos de adição e subtração. A metodologia adotada, a proposição do livro sensorial, que é baseado na teoria montessoriana. No livro sensorial foram desenvolvidas atividades que continham jogos, histórias, resolução de problemas, com a intenção de trazer elementos lúdicos condizentes com idade das crianças, cumprindo o papel de propiciar a aprendizagem influenciada pela teoria de Vygotsky. Tem-se como resultado a comprovação de que ensinar ao DV´s necessita uma metodologia que abarque suas limitações, em que elas possam utilizar o sentido tátil, com o material concreto, neste caso – com o livro sensorial - foi possível desenvolver e fixar os conteúdos de adição e subtração satisfatoriamente.


Keywords


Matemática. Livro Sensorial. Deficientes Visuais.

References


ALMEIDA, Paulo Nunes de. Língua Portuguesa e Ludicidade: ensinar brincando não é brincar de ensinar. 2007. 130 f. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/14465/1/Paulo%20Nunes%20de%20Almeida.pdf. Acesso em 15 de jun. de 2019.

CALEFFE, Luiz Gonzaga; MOREIRA, Herivelto. Coleta e análise de dados qualitativos: Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2 ed., Rio de janeiro: Lamparina, 2008.

CÓRIA-SABINI, Maria Aparecida; LUCENA, Regina Ferreira de. Jogos e brincadeiras na educação infantil. 6 ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002. – (Coleção Leitura)

GABRILLI, Mara. Desenho Universal: um conceito para todos. São Paulo, Company, S.A, 2007. Disponível em: https://www.maragabrilli.com.br/wp-content/uploads/2016/01/universal_web-1.pdf. Acesso em: 21 de jun. de 2019.

RÖHRS, Hermann. Maria Montessori. Tradução: Danilo Di Manno de Almeida, Maria Leila Alves. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010. (Coleção Educadores)

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 12 ed., Rio de Janeiro:Vozes, 2011.

TURRA, Godoy et al. Planejamento de ensino e avaliação. 11 ed. Porto Alegre: Sagra, 1996.

ZINKE, Idair Augusto; GOMES, Diana. A prática de observação e a sua importância na formação do professor de Geografia. In: XII CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE. Anais do XII Congresso Nacional de Educação, Paraná, 2015, p. 28653-28663.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-216

Refbacks

  • There are currently no refbacks.