Avaliação da influência do fluido de corte na formação de rebarbaS no microfresamento DE INCONEL 718 e aço Inoxidável duplex UNS S32205 / Evaluation of the cutting fluid influence in the burr formation when micro milling INCONEL 718 and UNS S32205 duplex stainless steel

Aline Gonçalves dos Santos, Daniel Fernandes da Cunha, Márcio Bacci da Silva, Mark J. Jackson, Maksym Ziberov

Abstract


Os processos de microusinagem não estão isentos de produzirem peças com rebarbas, o que pode provocar diversos problemas, como dificuldade na montagem de componentes e danos na peça, com a realização do processo de rebarbação. Diante disso, é importante que as micropeças sejam produzidas com o mínimo de rebarbas possível. Sendo assim, estudos avaliando as condições de corte que minimizem a formação de rebarbas na microusinagem devem ser realizados. Assim, o presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo geral de investigar a influência do fluido de corte na formação de rebarbas no processo de microfresamento do Inconel 718 e do aço inoxidável duplex UNS S32205. Para tanto, foram realizados ensaios para fabricação de microcanais, utilizando uma microfresadora CNC de 4 eixos e microfresas de metal duro revestidas com TiN de 381 µm de diâmetro. Pré-testes foram realizados para selecionar as condições de corte mais adequadas. Foram utilizadas duas técnicas diferentes de aplicação de fluido, MQF, na microusinagem do aço inoxidável duplex, e submerso, durante o microfresamento do INCONEL 718. As rebarbas foram examinadas utilizando-se um microscópio eletrônico de varredura e sua altura medida por meio de um perfilômetro. Os resultados mostram que o uso do fluido de corte exerceu influência negativa na formação de rebarba na microusinagem do aço inoxidável duplex, entretanto, atuou de forma positiva nas rebarbas formadas no microfresamento do INCONEL 718, reduzindo a altura significativamente.

 


Keywords


microfresamento, rebarba, Inconel 718, aço inoxidável duplex.

References


Aramcharoen, A., Mativenga, P. T., 2009, “Size effect and tool geometry in micromilling of tool steel”. Precision Engineering, Philadelphia, Vol. 4, pp. 402-407.

ASTME. Technical report, American Society of Tool and Manufacturing Engineers, 1959.

Biermann, D., Steiner, M., 2012, “Analysis of Micro Burr Formation in Austenitic Stainless Steel X5CrNi18-10”. Procedia CIRP, Vol. 3, pp. 97 – 102.

Chern, G. L., Wu, Y. J. E., Cheng, J. C.; Yao, J. C., 2007, “Study on burr formation in micro-machining using micro-tools fabricated by micro-EDM”. Precision Engineering. Vol. 31, pp. 122–129.

de Jesus, R. R., Martins, P. R., Mazari, D. F., 2021, “Metrologia aplicada à produção industrial: Mensurando medições em usinagem de peças”, Brazilian Journal of Development, Vol. 7, n.1, pp. 8246-8263.

Lee, K., Dornfeld, D. A., 2002, “An experimental study on burr formation in micro milling aluminum and copper”, Transactions of NAMRI/SME, Vol. 30, pp. 1–8.

Lee, k., Dornfeld, D. A., 2005, “Micro-burr formation and minimization through process control”, Precision Engineering, Vol. 29, pp. 246–252.

Lekkala, R., Bbajpai, V., Singh, K. R., Joshi, S. S., 2011, “Characterization and modeling of burr formation in micro-end milling”, Precision Engineering, Vol. 35, pp. 625– 637.

Lin, Tsann-Rong, 2000, “Experimental study of burr formation and tool chipping in the face milling of stainless steel”, Journal of Materials Processing Technology, pp. 12-20.

Olvera, O., Barrow, G., 1996, “An experimental study of burr formation in square shoulder face milling”, International Journal of Machine Tools & Manufacture, Vol. 36, N° 9, pp. 1005–1020.

Santos, A. G. Microfresamento de aço inoxidável duplex UNS S32205 com ferramentas de metal duro revestidas com nitreto de titânio. 2016. 92f. Dissertação de mestrado. Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Uberlândia, 2016




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-209

Refbacks

  • There are currently no refbacks.