Quimerismo: Mecanismos envolvidos no pós transplante de medula óssea – revisão literária / Chimerism: Mechanisms involved in post bone marrow transplantation - literary review

Julianna Cristina Ayres Da Silva, Jéssica Fernanda De Almeida, Priscila Retroz Magalhães, Alexander Leonardo Silva-Junior

Abstract


Objetivo: Descrever as ferramentas empregadas para diagnosticar um quadro quimérico após o transplante de medula óssea. Revisão Bibliográfica: Este estudo é uma revisão literária de referências publicadas entre 2010 a 2020, onde utilizou as plataformas Scielo, Pubmed e Google Acadêmico para pesquisa bibliográfica nas línguas inglesa, espanhola e portuguesa. Os materiais encontrados demonstram que o processo de transplante é uma fase complexa, e os cuidados com o paciente após esse procedimento são fundamentais para identificar a eficácia do processo. O quimerismo entra nesse meio como um possível preditor de rejeição, e os métodos moleculares utilizam o estudo de locus através de sequenciamentos do genoma humano polimórficos para prevenir a forma grave da rejeição de pacientes com medula transplantada. Considerações finais: Este estudo pôde esclarecer quais os mecanismos envolvidos para o surgimento do quimerismo, assim como os métodos mais empregados para a detecção. A biologia molecular ainda é o melhor método para quantificar e qualificar o quimerismo após o transplante.


Keywords


Quimerismo; Transplante de Medula; Recuperação.

References


ALVES, R.P.; CARDOSO, E.O.; SANTOS, M.A.; et.al. Transplante de Células Tronco- Hematopoiéticas e Qualidade de Vida Após Alta Hospitalar. Revista Psicologia, Saúde & Doença, 2012.

BAILÓN, A. M. Dinámica del Quimerismo en Sangre Periférica, Médula Ósea y Linajes Leucocitarios en el Transplante Alogénico de Progenitores Hematopoyéticos. Universidad Complutense de Madrid, Facultad de Medicina, Tesis Doctoral, 2019.

BOUZAS, L.F.S; SILVA, M. M.; TAVARES, R. C. B. S.; et.al. Diretrizes para o diagnóstico, classificação, profilaxia e tratamento da doença enxerto contra hospedeiro crônica. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, 2010.

BARRIGA, F.; RAMÍREZ, P.; WIETSTRUCK, A. et.al. Hematopoietic Stem Cell Transplantation: Clinical Use and Perspectives. Biological Research, volume 45, N 03, 2012.

CHO, S.; LEE, H.Y.; KIM, M-Y.; LYOO, S-H.; et.al. A Case of 46, XX/46, XX Chimerism in a Phenotypically Normal Woman. International Journal of Legal Medicine, 2020.

COSTA, C.O. Multiplicidade GENÉTICA E QUIMERISMO EM SERES HUMANOS: AS INCERTEZAS NO EXAME DE DNA E SEU STATUS DE PROVA PERICIAL ABSOLUTA. Trabalho de Conclusão de Curso, Centro de Ensino Superior do Seridó – Campus Caicó, Rio Grande do Norte, 2016.

EIKMANS, M.; HALTEREN, A. GS. V.; BESIEN, K.V.; ROOD, J.J.V.; et.al. Naturaly Acquired Microchimerism: Implications for Transplantation Outcome and Novel Methodologies for Detection. Landes Bioscience, 2014.

ERKET, M.HF.; MAZANEK, M.L.; MIRANDA, C. S.; SANTOS, A, LN.; et.al. Tri- Allelic Pattern at The TPOX Locus: Human Identification in Brazil. Journal Forensic Science and Criminology, Laboratory of Forensic Genetics – Official Expertise of Alagoas, Brazil, 2018.

FILOMENO, J. L. B. Indução de Tolerância Doador – Especifico em Transplante de Órgãos Sólidos Através do Quimerismo de Células Tronco Hematopoiéticas. Centro Universitário de Brasília – UniCEUB, Faculdade de Ciências da Educação e Saúde – FACES, 2016.

FONSECA L. L. C. G. Caracterização citogenética clássica e molecular (FISH) em pacientes com suspeita clínica de síndrome de Prader-Willi. Trabalho de Conclusão de Curso. Laureate International Universities – IBMR, Rio de Janeiro, 2017.

FUNKE, V.A.M.; MOREIRA, M.C.R.; VIGORITO, A. C. Acute and Chronic Graft – Versus – Host Disease After Hematopoietic Stem Cell Transplatation. Revista Associação de Medicina Brasileira, 2016.

GRANZEN R. R. The Human Chimera: Legal Problems Arising from Individuals with Multiple Types of DNA. Law School Student Scholarship, 2014.

HOFFBRAND, A.V.; MOSS, P.A.H.; Fundamentos em Hematologia. 6° Edição, Porto Alegre, Editora Artmed, 2013.

HORKY, O.; MAYER, J.; KABLASKOVA, L.; RAZGA, F.; et.al. Increasing Hematopoietic Microchimerism is a Reliable Indicator of Incipient AML Relapse. International Journal of Laboratory Hematology, 2011.

JIMÉNEZ, I. A; SUAREZ, W. C; CENTENO, E. H; ARENAS, A. R; et.al. Revisión Bibliográfica Implicaciones Médico Legales Del Quimerismo. Medicina Legal de Costa Rica – Edición Virtual, Vol.32, 2015.

LEE, J-M.; KIM, Y-J.; PARK, S-S.; H, E.; et.al. Simultaneous Monitoring of Mutation and Chimerism Using Next – Generation Sequencing in Myelodysplastic Syndrome. Journal of Clinical Medicine, 2019.

LIMA, K.; BERNARDINO, E.; WOLFF, L.D.G.; et.al. Características da Produção Cientifica de Enfermagem Acerca de Transplante de Células-Tronco Hematopoiéticas. Revista Cogitare Enfermagem, Universidade Federal do Paraná, 2012.

LION, T.; WATZINGER, F.; PREUNER, S.; KREYENBERG, H.; et.al. The Euro Chimerism Concept for a Standardized Approach to Chimerism Analysis after Allogenic Stem Cell Transplantation. Macmillan Publishers Limited, 26, 2012.

LUIZ, L. F. As quimeras humanas e a questão do dna como prova irrefutável na filiação. Trabalho de Conclusão de Curso, Centro Universitário de Brasília - UniCEUB Faculdade de Ciências Jurídicas Sociais – FAJS, Brasília, 2018; 1021 p.

MATTOS, D. S. Transplante de células-tronco hematopoiéticas alogênicas em pacientes com leucemias agudas. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso). Laureate International Universities – IBMR, Rio de Janeiro, 2017; 69f.

MERZONI, J. Analises de STRs e qualificação de quimerismo misto no pós-transplante de células tronco hematopoiéticas: uma ferramenta diagnóstica que permite uma conduta clínica antecipada. Relato de caso, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre, 2010.

MESSNER, F.; ETRA J. W.; DODD-O J. M.; BRANDACHER G. Chimerism, Transplant Tolerance, and Beyond. Review Transplantation, Baltimore – USA, v. 103, n. 8, p. 1556-1567, February 2019.

NOVOTNÝ, J.; LOTZ, P.; MULLER, S.; et.al. Identification of Tetragametic Human Chimerism by Routine DNA Profiling. International Journal of Legal Medicine, 2018.

NUNES, N. S. and KANAKRY, C.G. Mechanisms of Graft – Versus – Host Disease Prevention by Post – Transplantation Cyclophosphamide: An Evolving Understanding. Frontiers in Immunology, 2019.

ORLANDO, G.; HEMATTI, P.; STRATTA, R. J.; BURKE III, GW.; et al. Clinical Operational Tolerance After Renal Transplantation: Current Status and Future Challenges. HHS Public Access, 2010.

PIÑA, E.S; SANTURTÚN, A; ZARRABEITIA, M.T. Forensic implications of the presence of chimerism after hematopoietic stem cell transplantation. Forensic Science International, 2019.

PREUNER, S.; BARNA, A.; FROMMLET, F.; CZURDA, S.; et.al. Quantitative Analysis of Mutant Subclones in Chronic Myeloid Leukemia: Comparison of Different Methodological Approaches. International Journal of Molecular Sciences, 2016.

QUIROGA, M.R.S. Avaliação do quimerismo em pacientes com anemia aplástica severa adquirida, após 18 meses do transplante de células tronco hematopoiética, submetidos a diferentes regimes de condicionamento. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

RAMOS, A. V. G. F. F.; CUNHA L. R. B. Um outro eu: o caso das quimeras humanas. Revista Bioética y Der. Barcelona, v. 38 p. 101-117, 2016.

SANTOS, M. D. Marcadores Inserção/Deleção na Quantificação de Quimerismo Hematopoiético. Universidade de São Paulo – USP, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, 2018.

SERRA A.; LOPES V.; BALSA F.; BRITO P.; et.al. Uma investigação de paternidade que se tornou investigação de maternidade. 1ª Conferencia do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, Universidade de Coimbra – Portugal, 31 de outubro de 2014.

SOUZA, M.P.; AZEVEDO, W.M.; COLTURATO, V.A.R. Doença do Enxerto Contra o Hospedeiro Aguda. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea. II Reunião de Diretrizes da Sociedade Brasileira Transplante de Medula Óssea, Angra dos Reis – Rio de Janeiro, 2012.

SOUZA, P.F.A. Doença do Enxerto Versus Hospedeiro: Fisiopatologia e Implicações Clinicas. Trabalho de Conclusão de Curso, Centro Universitário de Brasília - UniCEUB Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Brasília, 2019.

SZYSKA, M. and NA, II-KA. Bone Marrow GvHD after Allogeneic Hematopoietic Stem Cell Transplantation. Frontiers in Immunology, 2016.

TOMASSINI, P.D. Transplante de Células- Tronco Hematopoiéticas e a Atuação do Enfermeiro. Centro Universitário de Brasília – UniCEUB, Faculdade de Ciências da Educação e Saúde – FACES, 2013.

VICENTE, D. C. Quantificação do Quimerismo Após Transplante Alogênico de Células – Tronco Hematopoiéticas Usando Amplificação por PCR em Tempo Real de Polimorfismos de Inserção/Deleção Dialélicos. Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, 2016.

WILLASCH, A.M.; KREYENBERG, H.; SHAYEGI, N.; RETTINGER, E.; et.al. Monitoring of Hematopoietic Chimerism after Transplatation for Pediatric Myelodysplastic Syndrome: Real- Time or Conventional Short Tandem Repeat PCR in Peripheral Blood or Bone Marrow? Journal Biology of Blood and Marrow Transplantation. Biol Blood Marrow Transplant 20, 2014.

ZEISER, R.; BLAZAR, B.R. Pathophysiology of Chronic Graft- Versus- Host Disease and Therapeutic Targets. The New England Journal of medicine, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-193

Refbacks

  • There are currently no refbacks.