As nossas negras raízes no currículo escolar: uma prática pedagógica com alunos da EJA de diadema / Our black roots in the school curriculum: a pedagogical practice with students from EJA de diadema

Cibelle Dirce dos Santos

Abstract


Este artigo busca problematizar a implementação da Lei 10.639/03 que modifica da Lei 9394/96 da Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 1996) e obriga as redes públicas e privadas de ensino a instituir a história e cultura africana e afro-brasileira no currículo escolar. Dessa forma, ressalta-se um projeto na EMEB Cora Coralina escola da rede pública da Prefeitura Municipal de Diadema que atende exclusivamente o público da EJA- Educação de Jovens e Adultos, onde a proposta é a proporcionar o acesso a linguagem poética e literária e assim compreender as contribuições sócio culturais dos negros, jovens, mulheres, adultos bem como suas representações no Hip Hop, Rap, Grafite e construção de poesias para produção de um livro com acervo da escola produzido pelos alunos e professores. A metodologia utilizada está baseada no processo qualitativo de pesquisa através de análise documental sobre a legislação vigente e também os relatos de atividades e práticas pedagógicas da EMEB Cora Coralina.


Keywords


Educação de Jovens e Adultos, Diadema, Lei 10.639/03, Hip Hop

References


ALBERTI, V; PEREIRA, A, A. Histórias do movimento negro no Brasil: depoimentos ao CPDOC. Rio de Janeiro. Pallas, 2007.

BENTO, Souza Maria Aparecida. Cidadania em Preto e Branco. Ed. Ática. São Paulo, 1999.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”.

CONFERÊNCIA ANUAL – TED GLOBAL 2009 – DE 21 A 24 de JULHO

OXFORD, REINO UNIDO TEMA: “A Essência das Coisas Não Visíveis” contadora de histórias Chimamanda Ngozi Adichie

COSTA, Marisa C. Vorraber. Trabalho docente e profissionalismo. Porto Alegre: Sulina, 1995.

FERNANDES, F. Fernandes. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: FFLCH, 1964.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. 12 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala. Brasília: Ed. da UNB, 1963.

GOMES, Nilma Lino (Org.); SILVA, P. B. G. e (Org.). Experiências étnico-culturais para a formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Preconceito de cor e racismo no Brasil. São Paulo, jun. 2004.

MUNANGA, K. (Org.) Estratégias e Políticas de Combate à Discriminação Racial. 1. ed. EDUSP/Estação Ciência, 1996.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito de marca. As relações raciais em Itapetininga. São Paulo: Edusp, 1998

NÓVOA, A. (coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

SILVA, HÉDIO JR. Discriminação Racial nas Escolas: entre a lei e as práticas sociais. Brasília: UNESCO, 2002

UNESCO. História Geral da África. Volume VIII. Brasília: MEC, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-182

Refbacks

  • There are currently no refbacks.