Fatores contextuais e sua interface com as práticas seguras no ambiente hospitalar / Contextual factors and their interface with safe practices in the hospital environment

Ana Cláudia de Brito Passos, Patrícia Passos Sampaio, Djanilson Barbosa dos Santos, Marta Maria de França Fonteles

Abstract


Objetivo: Contribuir para a compreensão da influência do contexto na modelagem da cultura de segurança do paciente e no desenvolvimento de práticas seguras. Métodos: Estudo qualitativo, descritivo, realizado com dez profissionais de saúde atuantes em hospital público do nordeste do Brasil em 2019. A coleta dos dados foi realizada através de entrevistas semiestruturadas e o tratamento, pela análise de conteúdo temática. A pesquisa foi aprovada por Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: Da análise temática emergiram três categorias: Ações da liderança com foco para a segurança do paciente; Ações da equipe assistencial para um cuidado seguro e Práticas de aprendizado que reforçam comportamentos seguros. Conclusão: A instituição investigada quanto aos fatores do contexto local apresenta fragilidades que requer intervenções, destacando-se a necessidade de fortalecer a liderança e as práticas de recursos humanos, as quais funcionam como impulsionadores da CSP, quando aprimoradas.


Keywords


Segurança do Paciente, Fatores Culturais, Cultura Organizacional, Hospitais.

References


Coles E et al. The influence of contextual factors on healthcare quality improvement initiatives: a realist review. Systematic Reviews, v. 9, p. 1-22, 2020. DOI: https://doi.org/10.1186/s13643-020-01344-3

Shekelle PG. et al. Making health care safer II: an updated critical analysis of the evidence for patient safety practices. Evidence report/technology assessment, n. 211, p. 1-945, 2013. Avaliable from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24423049/

Taylor, SL et al. What context features might be important determinants of the effectiveness of patient safety practice interventions?. BMJ quality & safety, v. 20, n. 7, p. 611-617, 2011. DOI: 10.1136/bmjqs.2010.049379

Ministério da Saúde (BR). Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. 2014.

Vogus TJ; Sutcliffe KM; Weick KE. Doing no harm: enabling, enacting, and elaborating a culture of safety in health care. Academy of Management Perspectives, v. 24, n. 4, p. 60-77, 2010.

Siman AG et al. Desafios da prática na segurança do paciente. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, n. 6, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0441

Campbell C; Cornish F. Towards a “fourth generation” of approaches to HIV/AIDS management: creating contexts for effective community mobilisation. AIDS care, v. 22, n. sup2, p. 1569-1579, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0441

Champagne F, Brousselle A, Hartz ZMA, Contandriopoulos AP, Denis JL. A análise de implantação. In: Brousselle A, Champagne F, Contandriopoulos AP, Hartz ZMA, organizadores. Avaliação, conceitos e métodos. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2011. p. 217-38.

Weaver SJ et al. Promoting a culture of safety as a patient safety strategy: a systematic review. Annals of internal medicine, v. 158, n. 5_Part_2, p. 369-374, 2013. DOI: https://doi.org/10.7326/0003-4819-158-5-201303051-00002

Reis, CT, Paiva SG, Sousa P. The patient safety culture: a systematic review by characteristics of hospital survey on patient safety culture dimensions. International Journal for Quality in Health Care, v. 30, n. 9, p. 660-677, 2018. DOI: https://doi.org/10.1093/intqhc/mzy080

Clay-Williams R et al. Do quality management systems influence clinical safety culture and leadership? A study in 32 Australian hospitals. International Journal for Quality in Health Care, v. 32, n. Supplement_1, p. 60-66, 2020. DOI: https://doi.org/10.1093/intqhc/mzz107

Vogus TJ, Sutcliffe KM, Weick KE. Doing No Harm:: Enabling, Enacting, and Elaborating a Culture of Safety in Health Care. Academy of Management Perspectives, v. 24, n. 4, p. 60–77, 1 nov. 2010. DOI: https://doi.org/10.5465/amp.2010.24.4.3652485.a

Singer SJ, Vogus TJ. Reducing hospital errors: interventions that build safety culture. Annual review of public health, v. 34, p. 373-396, 2013. DOI: https://doi.org/10.1146/annurev-publhealth-031912-114439

Reis CT, Laguardia J, Martins M. Adaptação transcultural da versão brasileira do Hospital Survey on Patient Safety Culture: etapa inicial. Cadernos de Saúde Pública, v. 28, n. 11, p. 2199-2210, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2012001100019

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitati-MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitati-CS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 10ª ed. São Paulo: Hucitec, 2007.

Donabedian A. The definition of quality: a conceptual exploration. Explorations in quality assessment and monitoring. Michigan: Health Administration Press; 1988.

Lee SE, Dahinten VS. The Enabling, Enacting, and Elaborating Factors of Safety Culture Associated With Patient Safety: A Multilevel Analysis. Journal of Nursing Scholarship, v. 52, n. 5, p. 544-552, 2020. DOI: https://doi.org/10.1111/jnu.12585

Bohrer CD et al. Comunicação e cultura de segurança do paciente no ambiente hospitalar: visão da equipe multiprofissional. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 6, n. 1, p. 50-60, 2016. DOI: https://doi.org/10.5902/2179769219260

Farias ES, Santos JO, Góis RMO. Comunicação efetiva: elo na segurança do paciente no âmbito hospitalar. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-SERGIPE, v. 4, n. 3, p. 139, 2018. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernobiologicas/article/view/5168/2721

Gomes RM et al. Limites e desafios da comunicação efetiva para a segurança do paciente: um discurso coletivo. Revista Eletrônica Acervo Saúde/Electronic Journal Collection Health ISSN, v. 2178, p. 2091, 2018. DOI: 10.25248/REA396_2018

Hemesath MP et al. Comunicação eficaz nas transferências temporárias do cuidado de pacientes hospitalizados. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 40, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2019.20180325

Aveling E-L et al. Why is patient safety so hard in low-income countries? A qualitative study of healthcare workers’ views in two African hospitals. Globalization and health, v. 11, n. 1, p. 1-8, 2015. DOI: 10.1186/s12992-015-0096-x

Corrigan JM. et al. Crossing the quality chasm. Building a better delivery system, 2005. p.79

Wegner W et al. Educação para cultura da segurança do paciente: Implicações para a formação profissional. Escola Anna Nery, v. 20, n. 3, 2016. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160068

Akbari N et al. Safety culture in the maternity unit of hospitals in Ilam province, Iran: a census survey using HSOPSC tool. The Pan African Medical Journal, v. 27, 2017. DOI: 10.11604/pamj.2017.27.268.9776

Da Silva A et al. Registro correto como segurança para o paciente e para a enfermagem. Enfermagem Brasil, v. 17, n. 4, p. 411-417, 2018. Disponível em: http://portalatlanticaeditora.com.br/index.php/enfermagembrasil/article/view/2277/3893

Macedo RS de; Bohomol E. Análise da estrutura organizacional do Núcleo de Segurança do Paciente dos hospitais da Rede Sentinela. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 40, n. SPE, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2019.20180264

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Resolução - RDC nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil. 2013 Jul 26; 150(143 Seção 1):32-3.

KRUTZSCH, Alessandra Rodrigues Betin et al. A percepção da equipe de enfermagem a respeito da cultura de segurança do paciente. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 9, p. 15856-15878, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-147

Refbacks

  • There are currently no refbacks.