Influência da faixa etária materna sobre o perfil de nascidos vivos em um centro de referência / Influence of maternal age group on the profile of live births in a reference center

Paula Gabriella Pereira Brandão, Isadora Melo Viana, Lydice Marise Cesar Gomes, Victória Cesar Monteiro, Erasmo Eustáquio Cozac, Maria Eduarda Silva Caetano

Abstract


O período gestacional é uma fase ímpar na vida da mulher e merece especial atenção. Inegavelmente, a gestação nos extremos da vida reprodutiva materna, assim como os possíveis desfechos desse contexto no neonato, é uma contingência que merece destaque. Desse modo, o objetivo do presente trabalho é reconhecer o perfil de nascidos vivos em uma unidade de referência do centro-oeste, para estratificar os dados de acordo com a idade materna. Quanto à metodologia, trata-se de um estudo retrospectivo dos partos que ocorreram no município de Anápolis, Goiás, no segundo semestre de 2019, a partir de consultas aos dados do registro interno de nascidos vivos da Santa Casa de Misericórdia de Anápolis. Foram coletadas informações das gestantes correspondentes ao período de julho a dezembro de 2019, e elas foram subdivididas em três faixas etárias para a realização do estudo: a faixa abaixo dos 20 anos, entre 20 e 35 anos e acima de 35 anos. Foi reconhecido e estratificado o perfil de nascidos vivos a partir dos seguintes dados: número de consultas pré-natal, Apgar de primeiro e quinto minuto, classificação do recém-nascido, peso e tipo de parto. Os resultados encontrados foram que não houve diferenças significativas ao comparar número de consultas pré-natais e Apgar de primeiro e quinto minuto entre as idades maternas. As maiores diferenças (p<0,001) foram quanto ao peso do neonato, em que mulheres > 35 anos apresentaram maiores alterações, sendo a mais prevalente o “baixo peso” (8,5%), seguida de “macrossomia” (3,4%) e, quanto ao tipo de parto, em que foi evidenciado um aumento expressivo no número de partos cesáreo com o aumento da faixa etária materna, representando 80,3% dos partos nas mulheres >35 anos e 51,2% nas mulheres <20 anos, com consequente decréscimo do número de partos normais realizados nessa faixa etária.


Keywords


Idade materna. Recém-nascido. Fatores de Risco.

References


ARAGÃO, F.M.X.; OLIVEIRA, M.C.R. A influência da idade materna sobre as condições perinatais. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 17, n. 2, p. 56-60, 2004.

BORGES, E.M.; et al. Condição materna de Adolescentes e Impactos na vida do neonato. Revista Brasileira de Educação e Saúde. V.9, n.1, p.43-49, 2019.

CAETANO, L.C.; NETTO, L.; MANDUCA, J.N.L. Gravidez depois dos 35 anos: uma revisão sistemática da literatura. Revista Mineira de Enfermagem, v. 15, n. 4, p.579-587,2011.

CANHAÇO, E. E.; et al. Resultados perinatais em gestantes acima de 40 anos comparados aos das demais gestações. Einstein (São Paulo), v. 13, n.1, p. 58-64, 2015.

CARVALHO, A.P.F.; FREITAS, P.F.; ROJAS, P.F.B. Prevalência e associação da idade materna avançada com desfechos perinatais no estado de Santa Catarina no ano de 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. 2016.

CHERMONT, A.G.; et al. Fatores de risco associados à prematuridade e baixo peso ao nascer nos extremos da vida reprodutiva em uma maternidade privada. Revista Eletrônica Acervo Saúde. V.Sup, n.39, p. 1-8, 2020.

CHITARRA, C. A.; et al. Perfil clínico obstétrico das parturientes atendidas em um hospital universitário, quanto à indicação do tipo de parto. Brazilian Journal of Health Review. v. 3, n. 4, p. 7893-7909, 2020.

COTRIM, T. S.; et al. Avaliação do pré-natal de usuárias cadastradas em uma Estratégia Saúde da Família de uma cidade do Pará. Revista Artigos.com. v.17, ISSN 2596-0253, p.1-10, 2020.

GRAVENA, A. A. F.; et al. Resultados perinatais nos extremos da vida reprodutiva e fatores associados ao baixo peso ao nascer. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 32, n. 2, p. 352, 2011.

LUCINDO, A.L.M.M.M.; SOUZA, G.S. A nutrição materna como ponto chave na prevenção de doenças e no desenvolvimento fetal. Brazilian Journal of Health Review. V.4, n.2, p.5489-5497, 2021.

MOLINA-GARCIA, L.; et al. Maternal Age and Pregnancy, Childbirth and the Puerperium. Obstetric Results. J. Clin. Med, v. 8, n. 5, p. 672, 2019.

SANTOS, G.H.N.; et al. Impacto da idade materna sobre os resultados perinatais e via de parto. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 31, n. 7, p. 326-334, 2009.

SILVA, E.V.; et al. Relação do tipo de parto com o perfil epidemiológico da assistência pré-natal e perinatal em um município de Minas Gerais. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. v. 20, n. 1, p. 249-256, 2020.

SILVA, P.C.; et al. Influência da idade materna nas condições perinatais em nascidos vivos de São Luís, Maranhão. Revista Online de Pesquisa. V.12, p. 292-299, 2020.

TAKAGI, M. M.; et al. Resultados perinatais em gestantes acima de 35 anos. Arquivos médicos dos hospitais e da faculdade de ciências médicas da Santa Casa de São Paulo. v. 55, n. 3, p. 108-114, 2010

THOMÉ, M.T.; et al. Análise do pré-natal e do Apgar no 1 minuto de nascidos vivos em 2018. Brazilian Journal of Development. V.6, n.8, p. 54384-54392, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-139

Refbacks

  • There are currently no refbacks.