Acidentes ocasionados ao enfermeiro na unidade de terapia intensiva com material perfurocortante / Accidents caused to the nurse in the intensive care unit with stripping material

Danielle Sampaio Teixeira, Rena Maria Martins de Castro, Elisabeth Soares Pereira da Silva, Wanderson Alves Martins, Jéssica Souza de Lima, David Jeronimo dos Reis Garcia, Mônica Bernardo Cavalcante, Maria Cardoso Rodrigues de Carvalho

Abstract


Este trabalho pretende identificar e analisar os principais acidentes com material perfurocortante aos quais estão expostos os trabalhadores de enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O objetivo deste artigo é analisar os riscos de acidentes devido a exposição de material perfurocortante entre profissionais de enfermagem, descrevendo o perfil dos acidentes envolvendo material perfurocortante na UTI, avaliando e analisando a luz da literatura pertinente a forma de como acontece os acidentes envolvendo os profissionais de enfermagem. A metodologia   a qual utilizou-se foi um levantamento bibliográfico como forma de encontrar informações para entender como acontecem os acidentes sobre a visão da CIPA e como os profissionais de enfermagem podem prevenir-se contra os acidentes na UTI. Identificou-se os tipos de risco e as doenças mais comuns a que os Enfermeiros estão expostos no seu dia a dia no ambiente de trabalho. Com este estudo, conclui-se que uma melhor efetividade das ações educativas, seja necessária, como: intensificar os programas de educação permanente e treinamento dos profissionais de saúde; dispor-se de um quadro de profissionais suficientes para realização das práticas com segurança e qualidade, viabilizar dispositivos seguros, como os sistemas sem agulhas, agulhas retráteis e os sistemas protetores de agulhas, disponibilizar recipientes de descarte de perfurocortante em locais de fácil acesso dos profissionais que não sejam apenas na UTI; viabilizar as ações do SESMT na prevenção dos acidentes biológicos e no acompanhamento dos Enfermeiros acometidos .


Keywords


Enfermeiro, Acidente, Perfurocortante, Unidade de Terapia Intensiva.

References


ALESSI, N.P. et al. Saúde e trabalho rural: o caso dos trabalhadores da cultura canavieira na Região de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 13 (supl.2), p.111-121, 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 de ago. de 2017.

ALMEIDA, C. B.; PAGLIUCA, L. M. F.; LEITE, A. L. S. Acidentes de trabalho envolvendo os olhos: avaliação de riscos ocupacionais com trabalhadores de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 13, n. 5, p. 708-716, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 de ago. de 2017.

BARDI, G.T.; PILATTI L.A.; KOVALESKI, J.L. Acidentes de trabalho: fatores e influências comportamentais, 2005. Disponível em:. Acesso em :13 de ago. 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL. Quantidade de acidentes do trabalho registrados, por motivo, segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) - 2004/2006 – Anuário Estatístico da Previdência Social, 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 de ago. de 2017.

BRASIL. Dermatoses ocupacionais. Saúde do Trabalhador: Protocolos de complexidade diferenciada. Normas e Manuais Técnicos. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de procedimentos para os serviços de saúde. Doenças relacionadas ao trabalho. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Ações Programáticas estratégicas. Exposição a materiais biológicos. Brasília. p. 76, 2006.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Norma Regulatória NR 6 – Equipamento de Proteção Individual – EPI. Portal do Trabalho e Emprego. Texto dado pela Portaria SIT n.º 25, de 15 de outubro de 2001. Disponível em: . Acesso em: 13 de ago. de 2017.

CAMPOS, J.F. DAVID, H.S.L. Avaliação do contexto de trabalho em terapia intensiva sob o olhar da psicodinâmica do trabalho. Rev Esc Enferm USP, 45(2):363-8, 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 de ago. de 2017.

CASTRO, A. B.; SOUSA, J. T. C.; SANTOS, A. A. Atribuições do enfermeiro do trabalho na prevenção de riscos ocupacionais. J Health Sci Inst. 28(1):5-7, 2010. Disponível em: . Acesso em: 1 de set. de 2017.

COFEN. CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução n.311 de 8 de fevereiro de 2007. Apresenta o Código de ética dos profissionais de enfermagem. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. de 2017.

DIAS, E. C.; ALMEIDA FILHO, N.; ROUQUAYROL, M. Z. Saúde dos trabalhadores (Eds.). Epidemiologia & Saúde. 21. ed. Rio de Janeiro: Medsi. p. 431-456, 2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, p. 176, 2002.

INOUE, K. C.; MATSUDA, L. M. Dimensionamento da equipe de enfermagem da UTI-adulto de um hospital ensino. Rev. Eletr. Enf. 11(1):55-63, 2009. Disponível em: . Acesso em 15 de ago. de 2017.

LAPA, A.T.; SILVA, J.M.; SPINDOLA, T. A ocorrência de acidentes por material perfurocortante entre trabalhadores de enfermagem intensivista. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 20(esp.1):642-7, 2012. Disponível em: . Acesso em: 24 de ago de 2017.

LIMA, I. A. S. et al. Acidentes ocupacionais com pérfurocortantes: estudo com profissionais de enfermagem. Revista Interdisciplinar em Saúde, Cajazeiras, 2 (1): 26-43, 2015. Disponível em:. Acesso em: 15 de ago. de 2017.

MACEDO, I.S.C. et al. Avaliação do ruído em Unidades de Terapia Intensiva. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology (Impr.), São Paulo. V.75 nº 6, 2009. Disponível em: . Acesso em: 9 de ago. de 2017.

MARZIALE, M.H.S.; HEC, S.; CENZI, C.M.; ROCHA, F.L.R.; TROVÓ, M.E.M. Consequências da exposição ocupacional a material biológico entre trabalhadores de um hospital universitário. Esc. Anna Nery.18(1), 2014. Disponível:< http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20140002>. Acesso em: 3 de set. de 2017.

MENDES, A. M.; FERREIRA, M. C.; CRUZ, R. M. Inventário sobre Trabalho e Riscos de Adoecimento – ITRA: Instrumento auxiliar de diagnóstico de indicadores críticos no trabalho. In Mendes AM. Psicodinâmica do Trabalho: teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2007.

RIBEIRO, E. J. G.; SHIMIZU, H. E. Acidentes de trabalho com trabalhadores de enfermagem. Rev. bras. enferm. Brasília, v.60, n.5, 2007. Disponível em:. Acesso em: 27 de ago. de 2017.

SECCO, I.A.O.; ROBAZZI, M.L.C.C.; SOUZA, F.E.A.; SHIMIZU, D.S. Cargas psíquicas de trabalho e desgaste dos trabalhadores de enfermagem de hospital de ensino do paraná, brasil. Revista eletrônica saúde mental álcool drogas, Ribeirão Preto, v.6, n.1, p. 1-17, 2010. Disponível em:< http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S180669762010000100016>. Acesso em 27 ago. 2017.

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO: Lei n. 6.514, de 22 dezembro de 1977, normas regulamentadoras (NR) aprovadas pela Portaria nº 3.214 de 8 de junho de 1978. São Paulo: Atlas, 2008.

SILVA, C.D.L.; PINTO, W.M. Riscos ocupacionais no ambiente hospitalar: fatores que favorecem a sua ocorrência na equipe de enfermagem. Saúde Coletiva em Debate, Serra Talhada, v.2, n.1, p.62-29, 2012. Disponível em:< http://fis.edu.br/revista enfermagem/artigos/vol02/artigo10.pdf>. Acesso em: 15 de ago. de 2017.

TORTORELLO. J. A. Acidentes do Trabalho: Teoria e Prática. 21 ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

VERÇOSA, R. C. M.; MONTEIRO, V. G. N.; FERREIRA, F. A. S. Acidentes com perfurocortantes entre profissionais de enfermagem de um hospital universitário. Rev enferm UFPE. Recife, 8(4):864-71, 2014. Disponível em:< https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/9754/9873>. Acesso em: 21 de ago. de 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-105

Refbacks

  • There are currently no refbacks.