Gestão Pública Municipal: um quadro dos recursos humanos nos municípios do Brasil, no período de 2017 e 2018 / Municipal Public Management: a picture of human resources in Brazil's municipalities in the period 2017 and 2018

Edna Marques Rodrigues, Leny Pereira Neves, Kezia Gonçalves de Souza, Edimilson Eduardo da Silva

Abstract


A gestão de recursos humanos no Brasil é uma importante área da administração pública. A visão moderna da gestão de pessoas passa pela formação dos quadros da administração pública, nos níveis federal, estadual e municipal. Nesse sentido, o trabalho tem como objetivo analisar o quadro de recursos humanos nas administrações públicas municipais do Brasil, no período de 2017 e 2018. Utilizou-se como método de levantamento, a pesquisa documental, em dados secundários de fontes governamentais relacionadas à gestão de pessoas na Administração Pública. Foi aplicada a correlação de Spearman e realizado o teste não paramétrico de Wilcoxon. Os resultados da análise das administrações públicas mostraram que os regimes de contratação praticados para a formação de quadros no Brasil, de 2017 a 2019, prevaleceram os estatutários, seguidos dos não permanentes. Os regimes estatutário e comissionado apresentaram coeficientes positivos e estatisticamente significativos no número de servidores em 2017 e 2018, demonstrando uma convergência do número de pessoal nesses regimes de contratação. Por outro lado, os dados revelaram um maior enxugamento do Estado, no que diz respeito ao número de empregados estatutários localizados nas regiões Norte e Nordeste. A análise dos dados sobre os regimes de contratação das administrações públicas municipais no Brasil lança luz sobre a prática de contratação realizada pela gestão de pessoas.


Keywords


Gestão de Pessoas, Política de Contratação, Administração Pública.

References


Araújo, F. D. (2007). Os Regimes Jurídicos dos Servidores Públicos no Brasil e suas vicissitudes históricas. Revista da Faculdade de Direito da UFMG, 50, 143-169.

Bergue, S. T. (2007). Gestão de Pessoas em Organizações Públicas. 2. ed. rev. e atual. Caxias do Sul: Educs.

Bergue, S. T. (2014). Gestão estratégica de pessoas no setor público. São Paulo: Atlas.

Bergue, S. T. (2007). Gestão de pessoas em organizações públicas. 2. ed. rev. e atual. Caxias do Sul: Educs.

Bergue, S. T. (2011). Modelos de gestão em organizações públicas: Teorias e tecnologias para análise e transformação organizacional. Caxias do Sul, RS: EDUC.

Brasil (1988). Constituição: República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal.

Calado, S. S. dos., & Ferreira, S. C. R. dos. (2004). Análise de documentos: método de recolha e análise de dados. Disponível em: .

Cruz, D. A., Souza, R. V., & Oliveira, J. C. (2010). Gestão de Pessoas: Mudanças e exigências de mercado e sua influência sobre o colaborador dentro da organização. Disponível em: http://www.opet.com.br/faculdade/revista-cc-adm/pdf/n3/GESTAO-DE-PESSOAS_-MUDANCAS-E-EXIGENCIAS-DE-MERCADO-E-SUA-INFLUENCIA-SOBRE-O-COLABORADOR-DENTRO-DA-ORGANIZACAO.pdf

Drumond, A. M., Silveira, E. A., & Silva, E. A. (2014). Predominância ou coexistência? Modelos de administração pública brasileira na Política Nacional de Habitação. Revista de Administração Pública, 48(1), 3-26.

Dutra, A. (2009). Curso de Especialização em Administração Pública. Gestão de pessoas na área pública. São Paulo: Atlas S. A.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. L. da., & CHAN, B. L. (2009). Análise de dados - Modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Freitas, J. C. T. (2012). Estratégia organizacional: Utilizando a política de treinamento e desenvolvimento como vantagem competitiva. IX Seget - Simpósio de Excelência em Gestão Tecnologia.

Garcia, B. A., Barbosa, R. C., & Oliveira, J. P. L. de. (2020). O papel da liderança para a melhoria de resultados e das equipes comerciais. Brazilian Journal of Development, 6(10), 76558–76572. https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-179

Gemelli, I. M. P., & Filippim, E. S. (2010). Gestão de pessoas na administração pública: o desafio dos municípios. RACE - Revista de Administração Contabilidade e Economia, 9(1-2), 153-180.

Gil, A. C. (2009). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2007). Gestão de pessoas. Enfoque nos papéis profissionais. 1ª ed. São Paulo, Atlas.

Malhotra, N. K. (2001). Pesquisa de marketing. 3.ed. Porto Alegre: Bookman.

Malhotra, N. K. (2012). Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 6. ed. Porto Alegre: Bookman.

Matias-Pereira, J. (2013). The effects of the recovery of the patrimonialist model in Brazil. International Journal of Humanities and Social Science, 3(8), 27-38.

Meirelles, H. L. (2000). Direito administrativo brasileiro. 25. ed. São Paulo: Malheiros.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa social: Métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas.

Santos, A. F. dos. (2018). Administração pública brasileira: O modelo gerencial e as ferramentas de melhoria na gestão pública. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 4, 69-85.

Santos, A. F. dos. (2017). Evolução dos modelos de administração pública no Brasil. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 1(4), 848-857.

Schikmann, R. (2010). Gestão estratégica de pessoas: Bases para a concepção do curso de especialização em gestão de pessoas no serviço público (Capítulo I, pp.11-28). In: Camões, M. R. de S., Pantoja, M. J., & Bergue, S. T. (Orgs.). Gestão de pessoas: bases teóricas e experiências no setor público. Brasília: Enap.

Secchi, L. S. (2009). Modelo organizacionais e Reformas da administração Pública. Revista de Administração Pública, Revista de Administração Pública, 43(2), 347-369.

Sorj, B. (2000). A nova sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Vergara, S. C. (2007). Projetos e relatórios em administração. 5ª edição - São Paulo: Atlas.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n6-042

Refbacks

  • There are currently no refbacks.