Uma possibilidade de elaboração a partir da transferência: um estudo de caso na clínica oncológica de cuidados paliativos/ A possibility of elaboration from transference: a case study in the oncology palliative care clinic

Alaiana Menezes da Silva, Ana Carolina Peck Vasconcelos, Daniele Evelin Viana Pinheiro, Jessica Samantha Lira da Costa, Julliana Morgado Rocha, Marina Moura Mourão, Tamires Viana

Abstract


Este artigo constitui-se em um estudo de caso desenvolvido na clínica oncológica de cuidados paliativos. Neste sentido, adotou-se como balizadora para escuta e escrita do artigo a teoria psicanalítica. Considerando o que chamamos de psicanálise em extensão, o hospital aparece como campo importante de assistência e pesquisa sobre as implicações psíquicas do processo de adoecimento e possíveis repercussões deste na contemporaneidade. Assim, a Psicanálise precisa manter-se atual para acompanhar as demandas de sua práxis que se fazem necessárias em outros ambientes que não o consultório da clínica tradicional.


Keywords


Psicanálise, Hospital, Oncologia, Cuidados Paliativos, Transferência.

References


BERLINCK, M. A dor. In: M. Berlinck (Org.). Dor. São Paulo: Escuta, 1999.

FREGONESE, A. et al. A psicologia nos cuidados paliativos. In: BRUSCATO, W. (Org.). A psicologia na saúde da atenção primária à alta complexidade. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2014.

FREUD, S. Obras Completas. Tradução Paulo César de Souza – São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

_____. A dinâmica da transferência. (1912). In: FREUD, S. Obras Completas. Tradução Paulo César de Souza – São Paulo: Companhia das Letras, 2011. v. 10.

_____. Inibição, Sintoma e Angústia. (1926). In: FREUD, S. Obras Completas. Tradução Paulo César de Souza – São Paulo: Companhia das Letras, 2011. v. 17.

GOMES, D; PRÓCHNO, C. O corpo-doente, o hospital e a psicanálise: desdobramentos contemporâneos? Revista Saúde e Sociedade. São Paulo, v.24, n.3, p.780-791, 2015.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). BERNAT, A. B; LIMA, F; ALCÂNTARA, L; SWINERD, M. (orgs). Os tempos no hospital oncológico. Rio de Janeiro: INCA, 2015.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Particularidades do câncer infantil, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20/04/2017.

LACAN, J. O seminário, livro 10: A angústia. (1962/63). Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

MACHADO, S. Psicanálise e Cuidados Paliativos: do sem-sentido à invenção. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 13, n. 2, p. 613-618, 2015.

MORETTO, M. O que Pode um Analista no Hospital? 3ª Ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

MOURA, M. Urgência subjetiva e tempo: o que é isto? In: MOURA, M. (org.) Psicanálise e Hospital 3 – Tempo e Morte: da urgência ao ato analítico. Rio de Janeiro: Revinter, 2003.

NOGUEIRA, L. A pesquisa em Psicanálise. Psicologia USP, São Paulo, v. 15, n.1- 2, p. 83-106, jan./-jun. 2004.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Câncer. 2006. Disponível em: . Acesso em: 20/05/2017.

VORCARO, A. Psicanálise e o Método Científico: o lugar do caso clínico. In: NETO, F. K.; MOREIRA, J. (Org.). Pesquisa em Psicanálise: transmissão na universidade. Barbacena, MG: Ed. UEMG, p. 11-23, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30587

Refbacks

  • There are currently no refbacks.