Estresse em docentes do curso de enfermagem em uma universidade pública do Estado do Tocantins/ Stress in detaces of the course of nurmation in a public university of the Tocantins State

Wiliane Freire Pinheiro, Ana Caroline Pereira Bezerra, Ana Maria da Costa Teixeira Carneiro, Hugo Araújo Salis, Janayna Araújo Viana, Luysa dos Santos Sanches, Maikon Chaves de Oliveira, Victor Martins Eleres

Abstract


O estresse pode ser compreendido como um processo de tensão diante de uma situação de desafio por ameaça ou conquista. Os docentes constituem um grupo especialmente susceptível ao desencadeamento deste. O estudo objetivou analisar os níveis de estresse em docentes do curso de enfermagem de uma Universidade Estadual do Tocantins. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa, incluindo pesquisa de campo, tendo como principal finalidade explorar, observar e descrever o tema proposto. Os dados foram coletados por meio dos seguintes instrumentos: Questionário para descrever o perfil sociodemográfico e profissional dos docentes e um Teste que avalia os níveis de estresse (Teste de Dr Rahe). O nível de estresse nos docentes do curso de enfermagem foi alto (46,15%) segundo o teste de nível de estresse, no entanto 55,5% consideram moderado seu nível estresse. As situações avaliadas como mais estressantes foram: trabalho/qualificação e social/pessoal. Pode-se constatar neste estudo que o nível de risco de adoecer por estresse é alto entre os docentes, por isso se faz necessário a identificação dos agentes estressores, afim de que se possa traçar estratégias voltadas para promoção e prevenção da saúde desses trabalhadores.


Keywords


Docentes, Estresse, Meio laboral, Saúde.

References


ALVAREZ, MA. Stress temas de psiconeuroendocrinologia. 2ª ed. São Paulo: Robe Editorial, 2001.

ANDRADE, OS; CARDOSO, TAO. Prazer e dor na docência: revisão bibliográfica sobre a síndrome de burnout. Rev. Saúde Soc, v. 21, n1, p.129-40. 2012.

BARRETO, MA. Docência universitária: condições de trabalho, estresse e estratégias de enfrentamento. In: Resumos do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração; 2008. p. 32.

BRASIL. Decreto nº 94.664/87. Aprova o Plano Único de Classificação e Retribuição de Cargos e Empregos de que trata a Lei nº 7.596, de 10 de abril de 1987. Brasília: Congresso Nacional, 1987.

CATALADI, MJG. O stress no meio ambiente de trabalho. São Paulo (SP): LTr; 2002.⁹

CARLOTTO, MS; PALAZZO, LS. Síndrome de burnout e fatores associados: um estudo epidemiológico com professores. Cad. Saúde Pública, v. 22, n.5, p.1017-1026, mai.2006.

DALAGASPERINA, P.; KIELING, M.; JANINE. Estresse e docência: um estudo no ensino superior privado. Revista Subjetividades, v. 16, n.1, p. 37-51. 2016. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=527554776004. Acesso em 10 de novembro de 2020.

FERNÁNDEZ, FA. Una panorámica de la salud mental de los profesores. Revista Ibero-americana de Educación, v.66, p.19-30. 2014.

FREUDENBERGER, H. Staff burnout. Journal of Social Issues, v.30, p. 159-165. 1974.

GIACON, BDM. Caminho para se repensar a formação de professores: Síndrome de Burnout [dissertação] São Paulo (SP): Programa de Pósgraduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: 2001.

GODINHO, RLP; OLIVEIRA, LA; FERREIRA, JS; SANTOS, NARS; VELASCO, AR; PASSOS, JP. O estresse ocupacional e os docentes de enfermagem. Revista Pró-UniverSUS, v.6, n.3, p. 17-22. jul./dez. 2015.

KLASSEN, RM; MING, CM. Effects on teachers`self-efficacy job satisfaction: Teacher gender years of experience, and job stress. Journal of Educational Psychology, v.102, n.3, p. 741-756. 2010. Doi: 10.1037/a0019237

LIMA, MFEM; LIMA-FILHO, DO. Condições de trabalho e saúde do/a professor/a universitário/a. Ciênc. cogn., v.14, n.3, p.62-82. 2009.

LIPP, MEN. O STRESS DO PROFESSOR. Campinas, São Paulo (SP): Papirus, 2002

LIPP, MEN. O stress está dentro de você. 2ª ed. São Paulo (SP): Contexto, 2000.

LIPP, ME.N. Pesquisas sobre stress no Brasil: saúde, ocupações e grupo de risco. Campinas: Papirus, 1996.

SANTOS, M. S. G. Os principais agentes desencadeadores do estresse em professores da rede pública de ensino. Trabalho de conclusão de curso. 23f. Graduação em Psicologia. Juazeiro do Norte-CE: Centro Universitário Doutor Leão Sampaio, 2018.

MIRANDA, LCS; PEREIRA, CA; PASSOS, JP. O estresse nos docentes de enfermagem de uma universidade pública. Rev. de pesquisa cuidado é fundamental, v.1, n.2,p. 335-344, set/dez. 2009.

PEREIRA, SMA. A síndrome de Burnout- O estresse em docentes das instituições de ensino superior privada de Porto Velho. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Brasília: Universidade de Brasília, 2008.

PÉREZ, JR. Stress no ambiente organizacional: conceitos e tendências. São Paulo. Boletim de Psicologia, v.42, n.96/97, p.89-97, jan/dez.1992.

PORTELA, LF. Relações entre o estresse psicossocial no trabalho segundo o modelo demanda-controle e a pressão arterial monitorada: o papel do trabalho doméstico [Tese de Doutorado]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ; 2012.

ROCHA, SSL; FELLI, VEA. Qualidade de vida no trabalho docente em enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem, v.12, n.1, p.28-35, jan/fev. 2004.

SLISKOVIC, A; SERSIC, DM. Work stress among university teachers: gender and position differences. Archives of Industrial Hygiene and Toxicology, v. 2, n.4, p.299-307. 2011.

SOUZA, MC; GUIMARÃES, A. C. A; ARAUJO,CCR. Estresse no trabalho em professores universitários. Rev. Bras. Ciên. Saúde, v.11, n.35, p.1-8. 2013.

STACCIARINI, JMR; TRÓCCOLI, BT. O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Rev. Latino Am. Enfermagem, v.9, n2, p.17-25, mar/abr. 2001




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30561

Refbacks

  • There are currently no refbacks.