A formação do professor mediador no contexto da educação básica: uma reflexão dialético-pedagógica / The training of the mediate teacher in the context of basic education: a dialectic-pedagogical reflection

Adriana Regina de Jesus Santos, Daniella Caroline R.R. Ferreira, Thaise Pereira da Silva

Abstract


 Este trabalho aborda a relação entre formação docente e mediação. Neste contexto, a mediação é entendida a partir dos pressupostos da teoria histórico-cultual, que por sua vez apresenta possíveis caminhos para se compreender as relações que são estabelecidas entre professores e alunos diante do processo de ensino e aprendizagem. Nesta perspectiva, o objetivo deste trabalho é apresentar considerações sobre a formação dos licenciados enquanto mediadores do conhecimento científico, tendo em vista a atuação do professor no cenário da educação básica, especificamente, nas escolas públicas que oferecem ensino fundamental nas séries iniciais. O estudo é de análise teoria e de abordagem qualitativa. Entre os teóricos supracitados estão, Vygotsky (1999), Arnoni (2012), Saviani (2011), assim como outros autores que contribuem com a temática em questão por meio de seus escritos. A partir dessa discussão, busca-se contrapor a lógica neoliberal, que vem incentivando a propagação de pedagogias hegemônicas no contexto educacional e negando as formas clássicas de educação escolar. Para tanto, propõe-se apresentar a metodologia da mediação dialético-pedagógica, considerando-a como matriz da práxis educativa e, portanto um caminho para a superação de grandes desafios na formação de professores.


Keywords


Docência, Mediação dialético-pedagógica, Educação, Emancipação.

References


ARNONI, Maria Eliza Brefere Arnoni. Mediação dialético-pedagógica e práxis educativa: o aspecto ontológico da aula. Revista Educação e Emancipação, São Luis, v. 5, n.2. p. 58 – 82, 2012.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Conselho Nacional de Educação. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, D.F., 2 de jul. 2015. Seção 1, n. 124, p. 8-12.

DUARTE, Newton. Conhecimento tácito e conhecimento escolar na formação do professor (por que Donald Schön não entendeu Luria). Educação e Sociedade, v. 24, n. 83, 2003.

GASPARIN, João Luiz – Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 4. ed. Campinas, SP : Autores Associados, 2007. p.113-115.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Londrina: Planta 2004.

LUKÀCS, Georgy. As bases ontológicas do pensamento e da atividade do homem. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. [S.I.:s.n.], 1979.

MOYSÉS, Lúcia Maria. O desafio de saber ensinar. Campinas, SP: Papirus, 1994. p.25.

SACRISTÁN, José Gimeno. O aluno como invenção. trad. Daisy Vaz de Moraes. – Porto Alegre: ArtMed, 2005.

SAVIANI. Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2011, 153 p.

SNYDERS, George. Escola, classe e luta de classes. São Paulo: Centauro, 2005.

REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999. p.74,104.

VIGOTSKII, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 10ª ed. São Paulo: Ícone, 2006. Cap.4.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30364

Refbacks

  • There are currently no refbacks.